Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/33175
Type: Artigo de periódico
Title: Influência do choro e de padrões respiratórios na deposição de medicação inalatória em crianças
Title Alternative: The influence of crying and breathing pattern on inhalatory drug deposition in children
Author: Santos, Camila Isabel da S.
Rosa, George Jung da
Shiratori, Ana Paula
d'Aquino, Andrezza Brognoli
Bueno, Geisi
Okuro, Renata Tiemi
Abstract: OBJECTIVE: To verify the influence of crying and breathing patterns in the effectiveness of inhalatory therapy in children. DATA SOURCES: Systematic search of scientific studies on the subject in the Cochrane Controlled Trials Database, MedLine and Science Direct, published from 1994 to 2009. The descriptors crying, inhalation, aerosol, work of breathing and child, in Portuguese and in English, were applied. DATA SYNTHESIS: 13 studies were selected, 12 in English and one in Portuguese. Most studies reported the effects of inhalation therapy in children, without discussing the influence of crying and breathing patterns on the deposition of the medication. Studies related to this subject found that the respiratory pattern, especially the cry, reduces the amount of drug that reaches the peripheral airways. Authors discuss the anatomical and physiological differences between adults' and children's respiratory system that may interfere with the effectiveness of inhalation. However, most of them do not examine the qualitative and quantitative influence of the breathing patterns and crying on pulmonary mechanics. CONCLUSIONS: Crying and breathing patterns influence the inhalation therapy. The presence of cry significantly reduces the amount of drug deposition in the airways. There is insufficient evidence about the possible mechanisms that explain potential changes of inhalatory drugs deposition in children, despite its relevance to the management of pediatric pulmonary disorders.
OBJETIVO: Verificar a influência do choro e de padrões respiratórios na eficácia da terapia inalatória em crianças. FONTES DE DADOS: busca sistemática por artigos científicos referentes ao tema nas bases de dados Cochrane Controlled Trials Data Base, MedLine e Science Direct, publicadas no período de 1994 a 2009. Utilizaram-se os descritores: choro, inalação, aerossol, trabalho respiratório e criança, nos idiomas português e inglês. SÍNTESE DE DADOS: Foram selecionados 13 artigos, 12 em inglês e um em português. A maioria dos trabalhos apresenta os efeitos da terapia inalatória em crianças, sem discutir a influência do choro e de diferentes padrões respiratórios sobre a deposição da medicação. Estudos que fizeram essa relação verificaram que a respiração e, principalmente, o choro reduzem a quantidade de fármaco que chega às vias aéreas periféricas. Autores discutem as diferenças anatômicas e fisiológicas do sistema respiratório da criança que podem interferir na eficácia da terapia inalatória. Porém, a maioria deles não analisa a influência qualitativa e quantitativa dos padrões respiratórios e do choro sobre a mecânica pulmonar. CONCLUSÕES: O choro e os padrões respiratórios influenciam na terapia inalatória, sendo atribuída ao choro a redução significativa da deposição medicamentosa nas vias aéreas. Pouco se sabe sobre o princípio determinante para a alteração do potencial de deposição, pois são escassas as evidências sobre o tema, apesar de sua relevância no manejo de afecções pulmonares da população pediátrica.
Subject: inalação
choro
trabalho respiratório
inhalation
crying
work of breathing
Editor: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S0103-05822010000400017
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-05822010000400017
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822010000400017
Date Issue: 1-Dec-2010
Appears in Collections:Unicamp - Artigos e Outros Documentos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0103-05822010000400017.pdf193.72 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.