Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331497
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Avaliação dos produtos finais da glicação avançada (AGEs) medidos por autofluorescência da pele e sua associação com doença cardiovascular e distúrbio mineral e ósseo em pacientes com doença renal crônica categorias 3 e 4
Title Alternative: Evaluation of advanced glycation end products (AGEs) measure by skin autofluorescence and its relations with cardiovascular disease and chronic kidney disease mineral and bone disorder in ckd patients categories 3-4
Author: Esteves, Andre de Barros Albuquerque, 1983-
Advisor: Oliveira, Rodrigo Bueno de, 1975-
Abstract: Resumo: A doença renal crônica (DRC) apresenta elevadas taxas de morbidade e mortalidade, sendo a doença cardiovascular (DCV) e o distúrbio mineral e ósseo (DMO) complicações frequentes. Os produtos finais da glicação avançada (AGEs) são toxinas urêmicas associadas a DCV e possivelmente ao DMO-DRC. Seu acúmulo tecidual pode ser indiretamente estimado através do instrumento AGE-ReaderTM, por meio da quantificação da intensidade da autofluorescência da pele (sAF). A metodologia encontra-se validada em pacientes com DRC. OBJETIVOS: Avaliar as relações entre os níveis teciduais cutâneos, séricos, ósseos e o consumo dietético de AGEs totais e frações com parâmetros clínicos, bioquímicos e de imagem relativos à DCV e de DMO em pacientes com DRC categorias 3 e 4. MÉTODOS: Estudo clínico observacional, transversal no qual foram incluídos 26 pacientes em tratamento conservador (grupo DRC) a partir do Hospital de Clínicas da UNICAMP; 59 indivíduos hígidos (Grupo Controle) foram incluídos para comparação. Foram coletados dados demográficos, clínicos e laboratoriais, e realizados leitura da sAF, aferição do índice tornozelo-braquial (ITB) por ultrassonografia Doppler, e registro alimentar para quantificação de consumo de AGEs totais, carboximetil-lisina (CML) e metilglioxal (MG). O Grupo DRC realizou exames de imagem (radiografias de quadril, mãos e abdome lateral, ecocardiograma transtorácico e densitometria óssea), dosagem sérica de CML, análise histomorfométrica semi-quantitativa do tecido ósseo e análise de AGEs do osso cortical pela técnica da imunoperoxidase a partir de amostra obtida por meio de biópsia óssea de crista ilíaca. RESULTADOS: Os níveis de AGEs-sAF foram elevados para a idade nos grupos DRC e Controle, porém mais elevados no primeiro (3,15 UA vs. 2,33 UA; p < 0,001). Não houve diferença entre a ingestão dietética de AGEs totais e suas frações entre os grupos. No grupo DRC, AGEs-sAF se correlacionaram negativamente com a taxa de filtração glomerular (TFG). Níveis mais elevados de AGEs-sAF foram encontrados no subgrupo DRC categoria 4 quando comparados ao subgrupo DRC categoria 3. A pontuação do escore de Framingham do grupo DRC, septo interventricular e pressão arterial sistólica se correlacionaram positivamente com a intensidade de AGEs-sAF. Pacientes com calcificação vascular (CV) presente apresentaram níveis maiores de AGEs-sAF comparados aos pacientes sem CV. A maioria dos pacientes submetidos a biópsia óssea foi diagnosticada com osteíte fibrosa (9; 75%). Houve correlação positiva entre a intensidade dos AGEs-sAF e os níveis séricos de PTHi. Do mesmo modo, a concentração de AGEs na camada de osso cortical se correlacionou positivamente com a intensidade de AGEs-sAF, PTHi, fosfato, e inversamente a TFG. CONCLUSÕES: A deposição de AGEs na pele e osso cortical está elevada em pacientes com DRC estágio 3-4, apresentando uma correlação positiva. Aparentemente tal acúmulo independe do consumo dietético e não está relacionado com níveis séricos de CML. A deposição de AGEs em osso cortical também se correlacionou com os níveis séricos de PTHi e P. Além disso, observamos correlações de AGEs-sAF com parâmetros reconhecidos de DCV, como septo interventricular, pressão arterial sistólica, presença de CV e escore de Framingham. Estudos futuros são necessários para elucidar a natureza dessas associações

Abstract: Chronic kidney disease (CKD) is associated with high morbidity and mortality rates, main causes related with cardiovascular disease (CVD) and bone mineral disorder (CKD- BMD). Advanced glycation end-products (AGEs) are uremic toxins that play a role on development of CVD and CKD-BMD. Its tissue accumulation can be indirectly estimated through the AGE-Reader ¿ instrument by quantifying the intensity of autofluorescence of the skin (sAF). The methodology is validated in CKD patients. AIMS: Evaluate in CKD categories 3 and 4 patients the relationships among AGEs detected via sAF, serum, bone and dietary intake, and metabolic and structural parameters of bone and cardiovascular disease, including vascular calcification (VC) evaluation. METHODS: A cross-sectional, observational clinical study in which 26 patients on conservative treatment (CKD Group) were included from the Hospital de Clínicas da UNICAMP; 59 healthy subjects (Control Group) were included for comparison. Demographic, clinical and laboratory data were collected. All subjects performed biochemical tests, ankle-braquial index (ABI) measurement by Doppler ultrasound, AGEs-sAF and quantification of dietary AGEs, carboxymethyl-lysine (CML) and methylglyoxal (MG) intakes by three-day dietary record. CKD Group underwent hip, hands and lateral abdominal x-rays; transthoracic echocardiography; bone densitometry; serum CML; semi-quantitative bone histomorphometric analysis and a cortical bone AGEs analysis using the immunoperoxidase technique obtained by bone biopsy sample. RESULTS: AGEs-sAF levels were elevated according to age in both HD and Control groups, however were higher in CKD patients (3.15 AU vs. 2.33 AU, p <0.001). On the other hand, there was no difference between the total AGEs intake and their analyzed fractions between the groups. In the CKD group, AGEs-sAF correlated negatively with glomerular filtration rate. Higher levels of AGEs-sAF were found in the CKD category 4 subgroup when compared to the CKD category 3 subgroup. The Framingham score, interventricular septum and systolic blood pressure positively correlated with the AGEs-sAF intensity. Patients who had vascular calcification (VC) presented higher levels of AGEs-sAF than patients without VC. The majority of patients submitted to bone biopsy were diagnosed with osteitis fibrosa (n = 9; 75%). There was a positive correlation between AGEs-sAF and PTHi. Likewise, the cortical bone AGEs correlated positively with AGEs-sAF, PTHi, phosphate and inversely to GFR. CONCLUSION: The deposition of AGEs in skin and cortical bone is elevated in patients with stage 3-4 CKD, presenting a positive correlation. Apparently such accumulation is independent of dietary intake and is not related to serum levels of CML. The deposition of AGEs in cortical bone also correlated with the serum levels of PTHi and P. In addition, we observed correlations of AGEs-sAF with recognized parameters of CVD, such as interventricular septum, systolic blood pressure, CV presence, and Framingham score. Future studies are needed to elucidate the nature of these associations
Subject: Insuficiência renal crônica
Produtos finais de glicosilação avançada
Hormônio paratireóideo
Distúrbio mineral e ósseo na doença renal crônica
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: ESTEVES, Andre de Barros Albuquerque. Avaliação dos produtos finais da glicação avançada (AGEs) medidos por autofluorescência da pele e sua associação com doença cardiovascular e distúrbio mineral e ósseo em pacientes com doença renal crônica categorias 3 e 4. 2017. 1 recurso online (104 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331497>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Esteves_AndreDeBarrosAlbuquerque_M.pdf2.55 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.