Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331496
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Stylized facts and industrial dynamics = an empirical analysis of Brazilian Manufacturing (1996-2013) = Fatos estilizados e dinâmica industrial: uma análise da manufatura brasileira (1996-2013)
Title Alternative: Fatos estilizados e dinâmica industrial : uma análise da manufatura brasileira (1996-2013)
Author: Haddad, Elias Youssef, 1989-
Advisor: Luna Huamaní, Ivette Raymunda, 1978
Abstract: Resumo: A crescente disponibilidade de dados longitudinais ao nível de firmas e plantas nas últimas decadas tem possibilitado uma série de avanços no que se sabe a respeito de fatos estilizados em Organização Industrial, especialmente no campo de microeconomia evolucionária. Alguns desses padrões constituem algumas das regularidades mais antigas em Economia, como a Lei de Gibrat, e o formato lognormal e de Pareto das distribuições de tamanho das firmas. Entretanto, há uma lacuna na literatura no que se refere ao comportamento desses mesmos fenômenos para países em desenvolvimento. Esse trabalho visa contribuir para essa literatura através de resultados originais para o Brasil utilizando de informação ao nível de firmas provindas da Pesquisa Industrial Anual (PIA). Particularmente, nós queremos entender quão bem os fatos estilizados encontrados para os países desenvolvidos descrevem estruturas produtivas de economias periféricas como o Brasil. Depois, iremos verificar se esses fatos são persistentes no tempo e robustos à desagregação. Finalmente, vamos contrastar esses resultados com visões teóricas a respeito das características dos mercados, competição, capacidade das firmas e crescimento. Para alcançar esses objetivos, nós iniciamos com uma análise das \textit{proxies} mais importantes para tamanho das firmas, produtividade, crescimento e variação da produtividade, e avançamos com exercícios de concentração, distribuições de probabilidade e seu \textit{fit} paramétrico. Além disso, investigamos a linha mais recente de pesquisa relacionada à seleção de mercado. Para tanto, fazemos decomposições da variação da produtividade nos seus componentes principais usando dados da PIA e da Pesquisa Anual de Serviços (PAS), para diferentes classes de tamanho. Nossas contribuições geram evidências de uma heterogeneidade ubíqua nas principais métricas econômicas. Também há evidência favorável para o formato lognormal e de Pareto para a distribuição de tamanho das firmas, ambos robustos à desagregação e persistentes no tempo. A distribuição das taxas de crescimento e variação da produtividade tem um formato relativamente simétrico, bem descritas por uma distribuição AEP, com a maior parte das caudas mais pesadas que uma Laplaciana, o que sugere algum tipo de correlação de curto prazo nas oportunidades de crescimento, i.e., o crescimento de uma firma não é independente do de suas competidoras. Finalmente, a distribuição da produtividade apresenta um formato claramente assimétrico, com evidência de uma ''fronteira de eficiência'' que limita a performance dos líderes do mercado, enquanto o lado esquerdo da distribuição é pouco constrangido, e assume caudas mais pesadas. Com relação a decomposição da produtividade para manufatura e serviços, nossos resultados demonstram que firmas pequenas da manufatura parecem ser muito mais afetadas por nossas \textit{proxies} de competição, enquanto que, para firmas maiores de ambos os setores, a competição não parece ser tão agressiva quanto teorias evolucionárias prediriam. Em relação às mudanças internas das firmas, nossa métrica de aprendizado aparenta ser altamente correlacionada com o ciclo econômico, e representa a maior parte da variação da produtividade

Abstract: The growing availability of longitudinal data at the firm and plant levels in the last decades has enabled a series of advancements in what is known about stylized facts in Industrial Organization, especially in the field of evolutionary microeconomics. Some of these industrial patterns constitute one of the oldest regularities in Economics, such as the Gibrat Law of Proportionate Effect, and the lognormal and Pareto fits of firm size distributions. However, there is a gap in the literature regarding how the same phenomena behave in developing countries. This work aims to contribute to this literature by providing original results using firm-level data from Brazil's Industrial (PIA). Particularly, we want to understand better how well those stylized facts found in developed countries describe productive structures of peripheral economies such as Brazil. Then, we are going to inspect if these facts are persistent in time and robust to disaggregation. Finally, we are going to contrast these results with current theoretical views about market characteristics, competition, firm's capabilities and growth. To achieve this, we analyze the most important proxies for firm size, productivity, growth and productivity change, and go further with exercises of concentration, distribution probabilities and, finally, their parametric fitting. Also, we investigate the more recent venue of research pertaining market selection. For this, we perform exercises on the decomposition of productivity change in its main components for PIA and Services Surveys (PAS), using different classes of firm size. Our contributions provided evidence of an ubiquitous heterogeneity in the most important metrics of size, growth and performance. There is also compelling evidence regarding the lognormal and Pareto shape of firm size distributions, which seems robust to disaggregation and persistent in time. Firm rates have a symmetrical shape, well described by an AEP distribution, with most tails at least Laplacian, which imply some kind of short-term correlation in the growth events. Finally, productivity distribution appears to have an asymmetrical shape, with some evidence of an ''efficiency frontier'' that limits the performance of the market leaders, while the left side of the distribution is mostly unconstrained and assumes fatter tails. Regarding productivity decomposition for manufacture and services sectors, our results show that smaller firms for manufacturing appear to be much more affected by our proxy of competition or market selection, while for bigger firms in all industries, competition doesn't appear to ''bite'' as much as evolutionary theories would predict. Regarding the firm-specific internal variation, learning appears to be highly correlated to the economic cycle, and represents most of productivity change
Subject: Organização industrial (Teoria econômica)
Distribuição (Probabilidades)
Indústrias - Tamanho
Indústria manufatureira
Produtividade do trabalho
Language: Inglês
Editor: [s.n.]
Citation: HADDAD, Elias Youssef. Stylized facts and industrial dynamics: an empirical analysis of Brazilian Manufacturing (1996-2013) = Fatos estilizados e dinâmica industrial: uma análise da manufatura brasileira (1996-2013). 2017. 1 recurso online (104 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Economia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331496>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2017
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Netto_EliasYoussefHaddad_M.pdf6.38 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.