Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331490
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Interpretações heterodoxas da grande recessão = uma comparação das escolas marxista e pós-keynesiana = Heterodox interpretations of the great recession: a comparation between marxist and post-keynesian schools
Title Alternative: Heterodox interpretations of the great recession : a comparation between marxist and post-keynesian schools
Author: Vilella, Caio Vinicius Fernandes, 1993-
Advisor: Andrade, Rogério Pereira de, 1958-
Abstract: Resumo: Esta dissertação tem como objetivo discutir as interpretações heterodoxas da chamada Grande Recessão, concentrando-se nas leituras de autores associados às escolas de pensamento marxista e pós-keynesiana, que, conforme procurou-se apresentar, possuem vários pontos de convergência. O trabalho desenvolve-se tendo em vista três objetivos específicos. O primeiro consiste em organizar o debate sobre a Grande Recessão em cada uma das escolas em torno de um conceito central em seu próprio corpo teórico. O segundo objetivo busca apontar as divergências e convergências entre os vários autores selecionados. O terceiro objetivo procura investigar se é possível sugerir uma interpretação da Grande Recessão que articule de forma consistente e coerente os pontos de convergência destas duas tradições de economia política. O trabalho está estruturado da seguinte forma. O Capítulo 1, introdutório, discute o estouro da bolha subprime e apresenta dois objetos que terão seus conceitos utilizados durante toda a dissertação, a saber, inovações financeiras e Shadow Banking System. O Capítulo 2 aborda o debate marxista em torno da Lei de Tendência de Queda da Taxa de Lucro, contrapondo a vertente que se utiliza deste conceito para explicar o evento em questão às vertentes que utilizam as finanças, a estagnação e/ou a hegemonia americana como causa da Grande Recessão. O Capítulo 3 contempla o debate pós-keynesiano em torno do conceito da Hipótese da Instabilidade Financeira, em que o excesso de agentes em situação Ponzi conduziu à uma estrutura financeira fragilizada responsável por gerar o "Momento Minsky", contrapondo esta visão às abordagens que explicam a Grande Recessão através do processo de financeirização e/ou por meio do processo de meio século (a partir dos anos 1960) que alimentou um sistema subestimador de risco e maximizador de ganhos denominado por Hyman Minsky como "capitalismo do gestor de dinheiro" (money manager capitalism). O trabalho identifica ainda, no Capítulo 4, sete pontos de convergência entre as interpretações marxistas e pós-keynesianas, a saber: 1) o destaque dado às mudanças provocadas pelo neoliberalismo e pela globalização que ditaram o fluxo de capital internacional; 2) o arrocho salarial como resultado do processo neoliberal que ocasionou alguns desequilíbrios durante o período entre 1980 e 2007; 3) a deterioração da distribuição de renda, provocada tanto pela queda do salário como pela perda de atratividade dos investimentos produtivos; 4) a competição entre credores, que intensificou a lucratividade financeira e a expansão do ritmo de acumulação das finanças; 5) a mudança de estratégia visando maximizar o ganho dos acionistas, submetendo as decisões econômicas às finanças; 6) o foco das análises sobre fundos de investimentos e demais investidores institucionais que alteram o modus-operandi bancário de bank based para market based e; 7) o caminho percorrido pelas finanças da "explosão" até a "implosão", provocando o "Momento Minsky". Por fim, na Conclusão, defendemos a ideia de que a análise que parte dos anos 1980 mesclando abordagens marxistas e pós-keynesianas é capaz de mostrar a Grande Recessão como consequência de uma mudança na forma de extração de mais-valia que interagiu com a subordinação do trabalho às finanças, estas possibilitaram a expansão dos desequilíbrios vistos no período neoliberal

Abstract: This thesis aims to discuss the heterodox interpretations of the so-called Great Recession, focusing on the readings of authors associated with the Marxist and Post-Keynesian schools of thought, which, we believe, have several points of convergence. The work there are three main objectives. The first one is to organize the debate about the Great Recession in each of the schools around a central concept in their own theoretical body. The second objective seeks to point out the divergences and convergences among the various selected authors. The third objective seeks to investigate whether it is possible to suggest an interpretation of the Great Recession that articulates consistently and coherently the points of convergence of these two schools of political economy. The paper is structured as follows. Chapter 1, introductory, discusses the subprime bubble burst and presents two objects that will have their concepts used throughout the dissertation: financial innovations and Shadow Banking System. Chapter 2 deals with the Marxist debate on the Law of Tendency to Fall in Profit Rate, contrasting the slope that is used of this concept to explain the event in question to the slopes that use finance, stagnation and/or American hegemony as cause of the Great Recession. Chapter 3 contemplates the post-Keynesian debate around the concept of the Financial Instability Hypothesis, in which the excess of agents in the Ponzi situation led to a fragile financial structure responsible for generating the "Minsky Moment", opposing this view to the approaches that explain the Great Recession through the process of financialization and/or through the half-century process (from the 1960s) that under-prices risk and maximizing returns system, called by Hyman Minsky as money manager capitalism. The paper also identifies in Chapter 4 seven points of convergence between Marxist and post-Keynesian interpretations: 1) the emphasis given to the changes brought about by neoliberalism and globalization that dictated the flow of international capital; 2) the wage tightening as a result of the neoliberal process that caused some imbalances during the period between 1980 and 2007; 3) the deterioration of income distribution, caused both by the fall in wages and by the loss of attractiveness of productive investments; 4) competition among creditors, which has increased financial profitability and the expansion of the pace of accumulation of finances; 5) a change of strategy aimed at maximizing shareholder values, subortinating economic decisions to finance; 6) the focus of analyzes on investment funds and other institutional investors that change the banking modus-operandi from bank based to market based and; 7) the way taken by the finances from "explosion" to the "implosion", provoking the "Minsky Moment". Finally, in Conclusion, we defend the idea that the analysis wich starts from the 1980s mixing Marxian and Post Keynesian approaches is able to show the Great Recession as a consequence of a change in the form of extraction of surplus value that interacted with subordination from work to finance, these have enabled the expansion of the imbalances seen in the neoliberal period
Subject: Minsky, Hyman P., 1919-1996
Crise econômica - 2008
Economia marxista
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: VILELLA, Caio Vinicius Fernandes. Interpretações heterodoxas da grande recessão: uma comparação das escolas marxista e pós-keynesiana = Heterodox interpretations of the great recession: a comparation between marxist and post-keynesian schools. 2018. 1 recurso online (130 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Economia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331490>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Vilella_CaioViniciusFernandes_M.pdf1.35 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.