Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331479
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Idoso com bom desempenho físico vive mais ou melhor? Dados do estudo FIBRA
Title Alternative: Older adult with best physical performance lives more or better? FIBRA study data
Author: Soares, Vinícius Nagy, 1989-
Advisor: Fernandes, Paula Teixeira, 1975-
Abstract: Resumo: Estimativas de desempenho físico representam importantes indicadores para a previsão da mortalidade. Apesar disso, diretrizes sobre envelhecimento saudável superaram o paradigma da longevidade, direcionando-se à autonomia e à funcionalidade dos idosos. Assim, não basta analisar somente o tempo de sobrevivência, devemos também refletir sobre como os anos estão sendo vividos. Objetivo: verificar a influência do desempenho físico na mortalidade, funcionalidade e satisfação com a vida de idosos não hospitalizados. Método: foi realizado o seguimento de uma amostra de 900 idosos de Campinas-SP (624 mulheres) entre 2008 e 2016. As variáveis de desempenho físico, funcionalidade e satisfação com a vida foram coletadas no início do seguimento. Como estimativas de desempenho físico, foram avaliadas a força de preensão manual e a velocidade usual de marcha. A funcionalidade foi avaliada através de questionário, que abordava atividades básicas, instrumentais e avançadas da vida diária. A satisfação com a vida consistiu em outro questionário, que investigava a satisfação global, saúde, memória, vizinhança e relações sociais. A data e a causa do óbito foram identificadas pelo Sistema de Informação de Mortalidade do município de Campinas-SP. Resultados: foram registrados 154 óbitos por causas naturais (88 mulheres). A análise de Kaplan-Meier demonstrou que o ritmo de ocorrência da mortalidade foi maior para os idosos com baixos níveis de força de preensão manual (Log Rank: X2=12,18, p<0,001) e de velocidade usual de marcha (Log Rank: X²=16,64, p<0,001). A regressão de Cox demonstrou que déficit de força (R.R.=1,60; IC=1,15¿2,23; p=0,005) e de marcha (R.R.=1,82; IC=1,30¿2,55; p<0,001) associaram-se com o aumento do risco de mortalidade. A idade foi um fator de confusão para a força (R.R.=1,06; IC=1,03¿1,09; p<0,001), enquanto que a artrite reumatoide foi um fator de confusão para a velocidade (R.R.=2,02; IC=1,36¿3,01; p<0,001). O Modelo Linear Geral multivariado identificou que os participantes com melhores desempenhos de força e de marcha faziam mais atividades do cotidiano. Por fim, foi verificado efeito da velocidade usual de marcha na satisfação com a vida (F=7,17; p=0,008). Conclusões: o bom desempenho físico parece ser fundamental para uma vida mais extensa e com melhor funcionalidade. Além disso, a boa mobilidade pode estar relacionada à satisfação com a vida

Abstract: Estimates of physical performance represent important indicators for predicting mortality. Although, guidelines on healthy aging have surpassed the longevity paradigm, targeting the autonomy and functionality of the elderly. Thus, it is not enough to analyze only the survival time, we must also reflect on as the years are being lived. Objective: to verify the influence of physical performance on mortality, functionality and satisfaction with life of the non-hospitalized elderly. Method: A sample of 900 older adults from Campinas-SP (624 women) was followed between 2008 and 2016. The variables of physical performance, functionality and life satisfaction were collected at beginning of the follow-up. As physical performance estimates, the manual grip strength and usual walking speed were evaluated. The functionality was evaluated through a questionnaire, which basic, instrumental and advanced activities of daily living. The satisfaction with life consisted of a questionnaire, in which was investigated global satisfaction, health, memory, neighborhood and social relations. The date and cause of death were identified in Mortality Information System of the city of Campinas-SP. Results: 154 deaths were recorded to natural causes (88 women). Kaplan-Meier analysis demonstrated that rate of mortality was higher for the elderly with low levels of manual grip strength (Log Rank: X² = 12.18, p <0.001) and usual walking speed (Log Rank: X² = 16.64, p <0.001). The Cox regression showed that strength deficit (RR = 1.60, CI = 1.15-2.23, p = 0.005) and gait deficit (RR = 1.82, CI = 1.30-2.55; p <0.001) were associated with increased risk of mortality. Age was a confounding factor for strength (RR = 1.06, CI = 1.03-1.09, p <0.001), whereas rheumatoid arthritis was confounding factor for speed (RR = 2, 02, CI = 1.36-3.01, p <0.001). The multivariate General Linear Model identified that participants with better strength and gait performed more daily activities. Finally, was verified the usual gait velocity effect on life satisfaction (F = 7.17, p = 0.008). Conclusions: Best physical performance seems to be fundamental for a longer and better functioning life. In addition, good mobility may be related to satisfaction with life
Subject: Mortalidade
Satisfação pessoal
Envelhecimento
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: SOARES, Vinícius Nagy. Idoso com bom desempenho físico vive mais ou melhor? Dados do estudo FIBRA. 2018. 1 recurso online (62 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331479>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Soares_ViniciusNagy_M.pdf2.54 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.