Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331372
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Inflamação sistêmica e os principais biomarcadores da Doença de Alzheimer = Systemic inflammation and Alzheimer's disease biomarkers
Title Alternative: Systemic inflammation and Alzheimer's disease biomarkers
Author: Magalhães, Thamires Naela Cardoso, 1991-
Advisor: Balthazar, Marcio Luiz Figueredo, 1975-
Abstract: Resumo: A demência na doença de Alzheimer (DA) é um grave problema de saúde pública que tende a se intensificar devido, sobretudo, ao envelhecimento da população. Quanto aos aspectos clínicos da doença, o primeiro sintoma geralmente observado é a dificuldade em armazenar informações novas, afetando principalmente a memória episódica, à medida que a doença progride, outras funções cognitivas também são afetadas. A fisiopatologia da DA é caracterizada por uma série de alterações neuropatológicas que incluem: placas senis que contêm em excesso depósitos extracelulares de peptídeo ß-amiloide (ßA) e emaranhados neurofibrilares intracelulares que contêm proteína Tau hiperfosforilada (p-Tau), levando a uma maciça perda sináptica, morte neuronal e alterações funcionais em redes neurais, como na Default Mode Network (DMN). A conectividade funcional (CF) da DMN é alterada na DA devido ao acumulo de ßA em suas regiões, contribuindo para severidade dos sintomas cognitivos e clínicos. Alterações estruturais como atrofia cerebral, principalmente atrofia do hipocampo, também são observadas na doença. Há crescente evidência de que a inflamação sistêmica, através de mediadores inflamatórios, como por exemplo, as citocinas, desempenha um papel importante na produção e regulação dessas proteínas (ßA e Tau) presentes no líquido cefalorraquidiano (LCR). Existem vias de comunicação entre o cérebro e o sistema imune periférico que podem estar alteradas desde da fase pré-demencial, favorecendo ou não a progressão da doença, decorrente disso a inflamação sistêmica também tem sido associada com a cognição e morfologia cerebral. Nosso objetivo principal foi verificar a hipótese se a inflamação sistêmica pode ser associada com os principais biomarcadores da DA (proteínas do LCR e neuroimagem). Para isso, adquirimos imagens de ressonância magnética em 3T de 25 controles saudáveis, 45 pacientes com Comprometimento Cognitivo Leve amnéstico (CCLa) e 28 pacientes com DA leve. Observamos que os pacientes com CCLa nos quais detectamos IL-12, TNF-'alfa' e IL-6 apresentaram aumento da CF das regiões da DMN; os pacientes do grupo DA nos quais detectamos IL-12, IL-6, IL-10 e TNF-'alfa' apresentaram maior volume do hipocampo, menos ßA1-42 e diminuição na CF da DMN. Nossos resultados podem indicar uma possível relação entre o perfil de inflamação sistêmica e os biomarcadores da DA

Abstract: Dementia in Alzheimer's disease (AD) is a serious public health problem that tends to intensify, mainly due to the aging of the population. Regarding the clinical aspects of the disease, the first symptom usually observed is the difficulty in storing new information, affecting episodic memory, as the disease progresses, other cognitive functions are affected. The pathophysiology of AD is characterized by a series of neuropathological changes that include: senile plaques that contain excess extracellular deposits ß-amyloid peptide (Aß) and intracellular neurofibrillary tangles that contain hyperphosphorylated Tau protein (p-Tau), leading to a massive neuronal death, and functional abnormalities in neural network, such as in the Default Mode Network (DMN). The functional connectivity (FC) of DMN is altered in AD due to the accumulation of Aß in its regions, contributing to the severity of cognitive and clinical symptoms. Structural changes such as brain atrophy, especially hippocampal atrophy, are also seen in the disease. There is increasing evidence that systemic inflammation, through inflammatory mediators, such as cytokines, plays an important role in the production and regulation of these proteins (ßA and Tau) present in cerebrospinal fluid (CSF). There are pathways of communication between the brain and the peripheral immune system that may be altered from the pre-dementia phase, favoring or not the progression of the disease, as a result of which systemic inflammation has also been associated with cerebral cognition and morphology. Our main objective was to verify the hypothesis that sistemic inflammation may be associated with the main biomarkers of AD (CSF proteins and neuroimaging). For this, we acquired magnetic resonance imaging in 3T of 25 healthy controls, 45 amnestic Mild Cognitive Impairment (aMCI) and 28 patients with mild AD. We observed that patients with aMCI in whom we detected IL-12, TNF-'alpha' and IL-6 showed increased FC of the regions of the DMN; the patients in the mild AD group in which we detected IL-12, IL-6, IL-10 and TNF-'alpha' had higher hippocampal volume, less Aß1-42, and decreased FC in DMN. Our results may indicate a possible relationship between the systemic inflammation profile and the biomarkers of AD
Subject: Alzheimer, Doença de
Citocinas
Editor: [s.n.]
Citation: MAGALHÃES, Thamires Naela Cardoso. Inflamação sistêmica e os principais biomarcadores da Doença de Alzheimer = Systemic inflammation and Alzheimer's disease biomarkers. 2017. 1 recurso online (77 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331372>. Acesso em: 1 set. 2018.
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Magalhaes_ThamiresNaelaCardoso_M.pdf1.95 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.