Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331359
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: A vida por um fio : no limi(t)ar de um acontecimento
Title Alternative: Life on a thread : between the limit and the dawn of an event
Author: Alves, Thais Caroline, 1993-
Advisor: Coracini, Maria José Rodrigues Faria, 1949-
Abstract: Resumo: Esta pesquisa estuda as representações de vida-morte no dizer de pessoas que passaram por alguma situação de quase-morte e visa contribuir para a construção de um novo olhar sobre a morte, comumente tão ignorada pela sociedade, ainda que seja uma condição imutável. É nesse sentido que este estudo se situa no grupo de pesquisa "Vozes (in)fames: exclusão e resistência", coordenado pela Profa Dra. Maria José Coracini, já que em nossa língua-cultura (CORACINI, 2007) não só o dizer sobre a morte é silenciado, como o ouvir também. Tendo em vista tudo isso e partindo do pressuposto de que não é possível ao sujeito ter controle sobre si e sobre as situações que o cercam, lançamos a hipótese de que uma situação de quase-morte funciona como acontecimento (DERRIDA, [2001] 2004; FOUCAULT, [1966] 2016, [1969] 1986, [1970] 1996, 2009, 2012). Em outras palavras, o susto da proximidade com a morte traria à consciência, mesmo que por alguns minutos, a incompletude da vida e a falta de controle sobre todas as coisas (DERRIDA, 2002) ¿ seria o Real (LACAN, [1975] 1985) que se impõe ¿ e toda a vida, a partir disso, passaria a ser repensada. Para realizar este estudo, buscamos captar, a partir de testemunhos-ficção (DERRIDA, [1998] 2015), as representações de vida-morte que emergissem dos dizeres de cinco participantes, assim como observar a presença, ou não, de marcas linguísticas que apontassem para a possibilidade de uma situação de quase-morte ser encarada como um acontecimento. Tivemos, como alguns de nossos resultados, a associação da experiência de quase-morte ao susto; a busca por uma explicação palpável para aquilo que, na verdade, não tinha explicação; a tentativa de abrandar o Real da morte por meio de já-ditos de nossa língua-cultura (senso comum, religião, bem-estar...); e o relato de mudanças com relação à percepção da vida-morte que, muitas vezes, por questões de autopreservação, acaba(ra)m caindo no esquecimento. Em suma, essas e outras representações encontradas ao longo de nosso trabalho levaram-nos à conclusão de que nossa hipótese inicial pode, sim, ser confirmada

Abstract: This research studies representations of life-death in the saying of people who went through some situation of almost-death, and searches to contribute for a new view about death, that is a topic commonly ignored by the society despite of being an unchangeable reality. This study takes place in the research group "Vozes (in)fames: exclusão e resistência" coordinated by the Prof. Maria José Coracini, assuming that our language-culture (CORACINI, 2007) not only disregard talking about death but also ignores listening about this topic. Considering that is not possible for a person to have control of him/herself and of the situations around him/herself we hypothesize that a situation of almost-death works like an event (DERRIDA, [2001] 2004; FOUCAULT, [1966] 2016, [1969] 1986, [1970] 1996, 2009, 2012) in his/her life. In other words, the fright of getting close to death may bring up to consciousness ¿ even if only for a few minutes ¿ the incompleteness of life and the lack of control over things (DERRIDA, 2002) ¿ would be a Real (LACAN, [1975] 1985) that imposes itself ¿ and all life from this point on would be reviewed. In order to make this study research capture the representation of life-death from the testimony-fiction (DERRIDA, [1998] 2015), we collected 5 testimonies and observed the presence or absence of linguistic marks on this sayings, that indicated the possibility of an almost-death situation faced as an event. Some results were: the association of the experience of the almost-death to fear; the search for a concrete explanation for something inexplicable; the appearance of certain statements that once belonged to a discursive formation other than the ones in which of the participant subject is subscribed; an attempt to slow down the real of death by means that were already said in our language-culture (common-sense, religion, well-being...); as well as reports of changes related to the perception of life-death, in which many times self-preservation is forgotten. In summary, our hypothesis was confirmed
Subject: Experiências de quase-morte - Ficção
Percepção - Estudo de casos
Representação (Linguística)
Semantica do acontecimento
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: ALVES, Thais Caroline. A vida por um fio: no limi(t)ar de um acontecimento. 2018. 1 recurso online (104 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331359>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Alves_ThaisCaroline_M.pdf1.65 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.