Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331220
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Contra-invenciones indígenas = antropologías, políticas y culturas en comparación desde los movimientos Nahua (Jalisco, México) y Tupinambá (Bahía, Brasil) = Contra-invenções indígenas: antropologias, políticas e culturas em comparação desde os movimentos Nahua (Jalisco, México) e Tupinambá (Bahia, Brasil)
Title Alternative: Contra-invenções indígenas : antropologias, políticas e culturas em comparação desde os movimentos Nahua (Jalisco, México) e Tupinambá (Bahia, Brasil)
Author: Mejía, Ernenek, 1980-
Advisor: Godoi, Emília Pietrafesa de, 1960-
Abstract: Resumo: Esta pesquisa é uma comparação que relaciona os desdobramentos mútuos entre o movimento indígena dos Tupinambá de Olivença, no sul da Bahia, Brasil, e o dos Nahuas de Ayotitlán, no sul de Jalisco, México. Em ambos os casos tratam-se de lutas pelo reconhecimento de direitos e pela sua reconstituição como povos indígenas, demandas que, no entanto, são questionadas pelas populações vizinhas, os governos e pelos especialistas que os consideram indígenas aculturados ou misturados. Esta situação tem levado aos agentes das políticas das diferenças à montagens (teóricas e práticas) para explicar porque estes indígenas, supostamente exíguos, teriam "decidido assumir uma identidade indígena". Do mesmo modo, estes movimentos têm produzido amplos repertórios (teóricos e práticos) para responder aos questionamentos de sua suposta e escassa indianidade. Um confronto que torna óbvio relações assimétricas e de colonialidade na disputa pela definição e o sentido do que é o indígena. No meio desse conflito, marcado por invenções e contra-invenções criativas, estes movimentos indígenas também tem tornado óbvio a elaboração de categorias e de práticas que contestam as questões levantadas sobre eles pelas diversas teorias que se deparam com esse "tipo de fenômenos", mostrando ao interior da produção do saber antropológico e sobre o outro, importantes questões éticas, metodológicas, epistemológicas, políticas e teóricas. Esta pesquisa de doutorado se deparou com esse conjunto de relações, questões e dilemas, problematizando quatro pontos: o primeiro, refletir sobre a relação entre as práticas indígenas e as da antropologia na produção das categorias em disputa que definem os âmbitos destes dois conflitos; o segundo, documentar a produção no entramado desses movimentos das definições de alteridade e mesmidade como parte de uma produção relacionada entre invenções e contra-invenções práticas e categorias; o terceiro, fazer uma nova leitura possível, desde o ponto de vista dos indígenas, de suas lutas e dos problemas postos a eles pelas políticas da diferença com o fim de se adentrar nesses entramados históricos, por fora dos enquadramentos e supostos dados que são designados a eles ao considerá-los "indígenas exíguos"; e finalmente, desenvolver um trabalho autorreflexivo dos encontros e desencontros que foram se construindo ao longo das relações, dentro e fora da pesquisa, com o fim de tornar óbvio o trabalho e a prática antropológica tanto na produção destes conflitos, como na extensão e coprodução das questões que eles fazem aos mundos que compartilhamos

Abstract: This research is a comparison that relates the mutual splitting between the indigenous movement of the Tupinambá of Olivença peoples ¿South of Bahia, Brazil¿ and that of the Nahuas of Ayotitlán ¿South of Jalisco, Mexico¿. Both cases centre in their struggle to get their rights recognised and their reconstitution as indigenous peoples. However, the neighbouring populations, governments, and specialists, who consider them being acculturated or mixed, have questioned their demands. This situation has led the agents of the policies of difference to stage assembles (theoretical and practical) to explain why these indigenous peoples, allegedly meagre, would have "decided to assume an indigenous identity". Similarly, these movements have produced wide repertoires (theoretical and practical) to answer to those questionings regarding that alleged "poor indigenousness" that is assigned to them. This confrontation reveals the asymmetrical and colonial relations in the dispute for the definition, and the meaning of what it means being indigenous. In the midst of this conflict, marked by creative inventions and counter-inventions, the movements also made obvious the elaboration of the categories and practices that question the raised issues about them, through the diverse theories derived from these "kind of phenomena". At the same time, this situation shows the insides of the production of the anthropological knowledge and about the other, regarding important issues: ethical, methodological, epistemological, political and theoretical. This doctoral research dealt these series of relations, issues and dilemmas, problematizing four points. Firstly, a reflection about the relation between the indigenous practices and those of anthropology in the production of the disputed categories that define the scope of these conflicts. Secondly, the documentation of the production, inside the framework of these movements, de definitions of alterity and sameness as part of a production related with the inventions and counter-inventions, both practical and of categories. Thirdly, the elaboration of a new possible reading, from the point of view of the indigenous peoples, their struggles and the problems they are facing due the policies of difference with the objective of getting inside the historical framework, outside the frames and assumptions given when designated as "meagre indigenous peoples". Finally, the development of a self-reflective work about the encounters and mismatches that were built along the relations, inside and outside of this research, with the objective of reveal the anthropological work and practice, both in the production of these conflicts, and the extent and coproduction of the issues that they present to the worlds we share
Subject: Índios Nahuas
Índios Tupinambá
Movimento indígena
Pensamento crítico
Language: Espanhol
Editor: [s.n.]
Citation: MEJÍA, Ernenek. Contra-invenciones indígenas: antropologías, políticas y culturas en comparación desde los movimientos Nahua (Jalisco, México) y Tupinambá (Bahía, Brasil) = Contra-invenções indígenas: antropologias, políticas e culturas em comparação desde os movimentos Nahua (Jalisco, México) e Tupinambá (Bahia, Brasil). 2017. 1 recurso online (318 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331220>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2017
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Lara_AmielErnenekMejia_D.pdf53.97 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.