Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331091
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Infecção de corrente sanguínea em pós-operatório de transplante hepático = análise de 452 pacientes em 10 anos = Bloodstream infection in post-surgery liver transplant: an analysis of 452 patients over 10 years
Title Alternative: Bloodstream infection in post-surgery liver transplant : an analysis of 452 patients over 10 years
Author: Chueiri Neto, Felício, 1982-
Advisor: Ataide, Elaine Cristina de, 1978-
Abstract: Resumo: Introdução: A infecção de corrente sanguínea é afecção grave e associada a altas morbidade e mortalidade, especialmente na sua apresentação mais grave - choque séptico. Pacientes receptores de transplante hepático apresentam risco maior de desenvolverem esta complicação, especialmente no pós-operatório recente. Assim, é necessário conhecimento da epidemiologia local dos centros transplantadores e melhor entendimento das infecções de corrente sanguínea nesta população. Objetivos: Avaliar, em um único centro, a incidência de infecções de corrente sanguínea microbiologicamente comprovadas em receptores de transplante hepático até o 60º dia pós-operatório, assim como a frequência relativa dos patógenos causadores dessas infecções. Avaliar a sobrevida dos pacientes com infecção de sanguínea por patógenos sensíveis e resistentes a múltiplas drogas, comparativamente. Avaliar a possível relação entre MELD, MELD sódio e albumina sérica pré-transplante e a incidência de infecções de corrente sanguínea. Avaliar a concordância entre colonização pré-operatória e o agente causador da infecção de corrente sanguínea. Materiais e métodos: Foram levantados dados dos pacientes submetidos a transplante hepático entre janeiro de 2005 e junho de 2016, no Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas. Os dados coletados referem-se à causa do transplante, tempo de permanência em unidade de terapia intensiva, tempo de sobrevida, MELD e MELD sódio do paciente, culturas pré-operatórias, albumina sérica pré-operatória e todas as hemoculturas coletadas nos 60 primeiros dias pós-transplante. Resultados: No período estudado, 452 pacientes foram submetidos a transplante hepático. As principais causas de transplante foram cirrose por hepatite C (33,79%), seguida por cirrose alcoólica (15,87%). Cento e seis pacientes tiveram um total de 155 episódios de infecção de corrente sanguínea, dos quais 45,8% foram causadas por patógenos multidroga resistentes. Não houve tendência linear ao aumento de ocorrência de patógenos multidroga resistentes. A sobrevida dos pacientes com infecção de corrente sanguínea por patógeno multidroga resistente foi significativamente menor (p=0,023) do que a dos pacientes sem infecção. Houve relação entre albumina sérica, MELD e MELD sódio com a ocorrência de infecção de corrente sanguínea, sendo que aumento de cada ponto no MELD e MELD sódio aumentam em 6,3% e diminuição de 1g/dL na albumina aumenta em cerca de duas vezes o risco de infecção de corrente sanguínea por patógenos multidroga resistente. Apenas seis dos 106 pacientes que tiveram infecção de corrente sanguínea tiveram o mesmo agente isolado previamente em culturas de vigilância. Conclusão: A incidência de infecção de corrente sanguínea entre receptores de transplante hepático no pós-operatório recente é alta, e associada à maior mortalidade quando causada por patógenos multidroga resistentes. Em nossa amostra não existe uma concordância entre os agentes isolados em culturas de vigilância e os agentes causadores das infecções de corrente sanguínea. O resultado destas culturas deve ser utilizado com cautela na escolha de terapia antimicrobiana empírica.

Abstract: Introduction: Bloodstream infection is a major complication that affects patients undergoing liver transplant surgery, markedly during the first 60 days following surgery. They are associated with high morbidity and mortality, especially when septic shock is present. Therefore, it is important to acknowledge local epidemiology as well as their course in liver transplant recipients. Objective: Evaluation, in a single center, of microbiologically proven bloodstream infection incidence in liver transplant recipients during the first 60 days following surgery. Evaluation of causative agents' relative frequency. Evaluation of comparative survival for patients with bloodstream infection caused by multridrug resistant organisms versus those without bloodstream infection. Evaluation of relation between MELD, MELD sodium and serum albumin determination and the incidence of bloodstream infections. Evaluation of concordance between colonization prior to surgery and causative agents of bloodstream infections. Materials and methods: We collected data from patients who underwent liver transplant surgery from January 2005 to June 2016, at State University of Campinas General Hospital. Collected variables were: cause of liver disease, intensive care unit length of stay, survival time, MELD, MELD sodium, pre-operative surveillance cultures, serum albumin determination prior to surgery and all blood cultures that were collected until post-operative day 60. Results: During the studied period, 452 patients underwent liver transplant surgery. Most frequent cause of liver disease was hepatitis C (33.79%), followed by alcoholic liver disease (15.87%). 106 patients had 155 episodes of microbiologically proven bloodstream infection, of which 45,8% were caused by multidrug resistant organisms. There were no trends in frequency of multidrug resistant organisms. Survival of patients with multidrug resistant bloodstream infection was significantly lower (p=0.023) than that of patients with no bloodstream infection. There was clear relation between MELD, MELD sodium and serum albumin determination with occurrence of bloodstream infection. Each incremental point in MELD or MELD sodium yielded a 6.3% increase in risk of developing multidrug resistant bloodstream infection. Each incremental point in serum albumin determination yielded a two-fold decrease in risk of developing multidrug resistant bloodstream infection. Only six of 106 patients who had bloodstream infection had previous colonization by the infection causative pathogen. Conclusion: Incidence of bloodstream infection among liver transplant recipients during early post-operative period is high and associated with higher mortality if multidrug resistant organisms are the causative agents. In our sample there was no concordance between colonization prior to surgery and bloodstream infection causative organisms. Results of these cultures should be used cautiously to choose empirical antimicrobial treatment
Subject: Infecções pós-operatórias
Fígado - Transplante
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: CHUEIRI NETO, Felício. Infecção de corrente sanguínea em pós-operatório de transplante hepático: análise de 452 pacientes em 10 anos = Bloodstream infection in post-surgery liver transplant: an analysis of 452 patients over 10 years. 2017. 1 recurso online (70 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331091>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
ChueiriNeto_Felicio_M.pdf1.73 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.