Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331032
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Lênin e a unidade dialética na teoria do partido e da revolução
Title Alternative: Lenin and the dialectical unity in the party theory and revolution
Author: Almeida, André Koutchin de, 1980-
Advisor: Benoit, Alcides Hector Rodriguez, 1951-
Abstract: Resumo: Em seus estudos sobre Hegel nos chamados Cadernos Filosóficos, manuscritos entre os anos de 1914 e 1916, Lênin teria sido um dos primeiros marxistas a revelar uma compreensão sobre a dialética de O Capital de Marx enquanto próprio método (que também é conteúdo) da teoria programática socialista. Para alguns comentadores, tais como Michael Löwy, essa obra teria representado para Lênin uma ruptura com o marxismo de sua época e, em certo sentido, com sua própria consciência filosófica de outrora, expressa categoricamente no livro Duas táticas da social-democracia na revolução democrática, de 1905. Aqui, de imediato, nos deparamos com a seguinte problemática de pesquisa: e a concepção (dialética) do partido, já contida potencialmente em seus primeiros textos sobre o assunto, como O Que fazer? e Um passo em frente, dois passos atrás, escritos entre 1902 e 1904? Como comparar os próprios Cadernos, uma obra sui generis, produto de reflexões do autor para a sua utilização pessoal, que contêm algumas imprecisões e temas não aprofundados, e que sequer fora preparada para a publicação? Apesar de suas preciosas anotações, poderíamos sustentar que os Cadernos Filosóficos constituiriam a palavra final de Lênin sobre a dialética? O objetivo geral de nossa tese é o de investigar a hipótese preliminar de que, ao invés de uma ruptura definitiva, explícita e radical, ou de um primeiro leninismo "pré-dialético" (antes de 1914) e de um segundo leninismo "dialético" (após 1914), existe unidade permanente (lógico-histórica) na teoria de partido e na estratégia do programa revolucionário em Lênin. Para tanto, nossa orientação metodológica não leva em consideração somente o conteúdo filosófico de algumas obras específicas, como também o estudo de suas circunstâncias histórico-biográficas e o de suas consequências políticas. Assim, concluímos que ao não ignorar a obra-prima de Marx e avançar a sua compreensão sobre Hegel (e a dialética) em um momento histórico crítico, Lênin fortaleceu sua teoria do partido e da revolução nos deixando a lógica de uma obra-prima coletiva: a lógica da Revolução Russa de 1917

Abstract: In his studies of Hegel in the so-called Philosophical Notebooks, written between 1914 and 1916, Lenin would have been one the first Marxists to reveal an understanding of the dialectic of Marx¿s Capital as the method (which is also content) of the program theory socialist. For some researches, such as Michael Löwy, this work would have represented to Lenin a rupture with the Marxism of his time and, in a specific way, with his own philosophical knowledge, categorically expressed in the book Two tactics of social-democracy in the democratic revolution, from 1905. Here, immediately, we are confronted with the following research problem: and the (dialectical) conception of the party already contained potentially in the firsts texts on this subject, as What is to be done? and One step forward, two steps back, written between 1902 and 1904? How can we compare the Philosophical Notebooks themselves, a sui generis work, a product of the author¿s reflections on his personal use, which contains some inaccuracies and undefined themes, and which had not even been prepared for publication? Despite his precious notes, could we maintain that the Philosophical Notebooks would constitute Lenin¿s final word on the dialectic? The general purpose of our thesis is to investigate the preliminary hypothesis that, instead a definitive, explicit and radical rupture, or a "pre-dialectical" first Leninism (before 1914) and of a second "dialectical" Leninism (after 1914), there is a permanent (logical-historical) unity in the party theory and the strategy of revolutionary program in Lenin. For this, our methodological orientation does not consider only the philosophical content of some specific works, as well as the study of its historical-biographical circumstances and of its political consequences. Therefore, we conclude that by not ignoring Marx¿s masterpiece and advancing his understanding of Hegel (and dialectic) at a critical historical moment, Lenin improved his theory of party and revolution, leaving us the logic of collective masterwork: the logic of the Russian Revolution of 1917
Subject: Marx, Karl, 1818-1883. O Capital
Lenin, Vladimir Ilitch, 1870-1924
Dialética
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2018
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Almeida_AndreKoutchin de_D.pdf1.42 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.