Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/330977
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Efeitos adversos maternos e neonatais da terapia antirretroviral em gestantes infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana e seus recém-nascidos expostos em Campinas de 2000 a 2015 = Maternal and neonatal adverse effects of antiretroviral therapy in pregnant women infected with human immunodeficiency virus and their exposed newborns in Campinas between 2000 and 2015
Title Alternative: Maternal and neonatal adverse effects of antiretroviral therapy in pregnant women infected with human immunodeficiency virus and their exposed newborns in Campinas between 2000 and 2015
Author: Delicio, Adriane Maira, 1979-
Advisor: Mayer-Milanez, Helaine Maria Besteti, 1965-
Abstract: Resumo: A utilização de medicações antirretrovirais (TARV) na gestação apresenta inquestionável benefício para redução da transmissão vertical (TV) do HIV, mas está associada a efeitos adversos maternos e neonatais. Objetivo: avaliar os efeitos decorrentes da exposição à terapia antirretroviral em gestantes infectadas pelo HIV e seus recém-nascidos. Sujeitos e Métodos: estudo observacional analítico de uma coorte de gestantes infectadas pelo HIV e seus recém-nascidos expostos atendidos no Serviço de Obstetrícia do CAISM/UNICAMP de 2000 a 2015. Foram avaliados os efeitos adversos maternos e neonatais como anemia, plaquetopenia, alergia, alterações hepáticas, dislipidemia e diabetes, além de resultados neonatais como prematuridade, baixo peso e malformações. Os dados foram coletados dos prontuários dos pacientes e inseridos em banco de dados específico. A análise descritiva foi realizada através de frequências simples (n) e relativas (%) e cálculos de média, desvio-padrão e mediana. As associações entre variáveis foram testadas através do Qui-quadrado ou Exato de Fisher (n<5) e Razão de Risco com respectivo valor de p para as categóricas e através do t Student (dados paramétricos) ou Mann-Whitney (não-paramétricos) para as quantitativas. O nível de significância utilizado foi de 0,05. A análise multivariada foi realizada através da Regressão de COX. No processamento e análise dos dados, foi utilizado o programa SAS 9.4. Resultados: foram incluídas 793 gestações e 787 recém-nascidos. A taxa de TV do HIV foi de 2,3%, sendo 0,8% nos últimos cinco anos. Os efeitos adversos maternos encontrados foram dislipidemia (82%), anemia (56%), alteração hepática (54,5%), alteração da glicemia de jejum (19,2%), plaquetopenia (14,1%), hiperbilirrubinemia (11,6%) e alergia (2,7%). Em análise multivariada, as complicações infecciosas e o início de TARV durante a gestação foram fatores de risco para anemia materna, enquanto CD4 maior que 200 células/mm3 se mostrou fator de proteção. Esquemas com nevirapina, nelfinavir e atazanavir aumentaram o risco de alteração hepática e o lopinavir aumentou o risco de alteração da glicemia de jejum durante a gestação. Os efeitos adversos neonatais observados foram alteração hepática (36%), anemia (25,7%), baixo peso (22,5%), prematuridade (21,7%), crianças pequenas para idade gestacional (PIG) (18%), malformações congênitas (10,2%) e plaquetopenia (3,6%). As crianças PIG não apresentaram maior ocorrência de efeitos adversos ou maior TV do HIV. Em análise multivariada, o CD4 periparto maior que 200 células/mm3 foi protetor para baixo peso e prematuridade. A anemia neonatal esteve associada ao parto prematuro. A alteração hepática neonatal esteve associada à carga viral materna periparto detectável. Não houve associação entre exposição aos diferentes esquemas de TARV e o tempo de exposição às drogas maternas e prematuridade, baixo peso e malformação congênita. A exposição ao tenofovir foi protetora para a anemia neonatal em comparação à exposição a zidovudina materna. A exposição ao lopinavir/ritonavir foi protetora para a alteração hepática neonatal em comparação à exposição a nevirapina materna. Conclusão: com o uso de antirretrovirais, foram observadas altas taxas de efeitos adversos maternos e neonatais, porém de gravidade reduzida, corroborando a necessidade do adequado tratamento antirretroviral materno, com total supressão viral, a fim de se alcançar a menor taxa de TV

Abstract: Antiretroviral therapy (ART) use in pregnancy presents unquestionable benefits in preventing mother-to-child HIV transmission (MTCT) although it is associated with maternal and neonatal adverse effects. Objective: To evaluate the effects of antiretroviral medication in pregnant women and their newborns. Subjects and Methods: Cohort study of pregnant women infected with HIV and their exposed newborns followed at the CAISM/UNICAMP Obstetric Clinic from 2000 to 2015. Maternal and neonatal adverse effects such as anemia thrombocytopenia, allergy, liver function tests abnormalities, dyslipidemia and diabetes were evaluated along with neonatal results such as preterm birth, low birth weight and birth defects. Data collected from patients' files was added to a specific database. Descriptive analysis was shown in terms of absolute (n) and relative (%) frequencies and mean, median and standard deviation calculations. Chi-square or Fisher exact test (n<5) and relative risk (RR) with its respective p values were used for categorical variables and t-Student (parametric data) or Mann-Whitney (non-parametric data) for the quantitative ones. The significant level used was 0.05. A multivariate Cox Logistic Regression was done. Statistical analysis was performed using SAS version 9.4. Results: Data from 793 pregnancies and 787 newborns were included in the analysis. MTCT rate was 2.3%, with 0.8% in the last 5 years. Maternal adverse effects were: dyslipidemia (82%), anemia (56%), liver function tests abnormalities (54.5%), fasting glycemia alterations (19.2%), thrombocytopenia (14.1%), hyperbilirubinemia (11.6%) and allergy (2.7%). In the multivariate analysis, coinfections and starting ART during pregnancy were risk factors for maternal anemia, while CD4 count higher than 200 cells/mm3 was protective. Nevirapine, nelfinavir and atazanavir regimens increased the risk for hepatic alterations, and lopinavir use during pregnancy increased the risk for fasting glycemia alterations. The observed neonatal adverse effects were: liver function tests abnormalities (36%), anemia (25.7%), low birth weight (22.5%), preterm birth (21.7%), children small for gestational age (SGA) (18%), birth defects (10.2%) and thrombocytopenia (3.6%). The SGA children did not present higher risk for adverse effects or MTCT. In the multivariate analysis, peripartum CD4 higher than 200 cells/mm3 was protective for low birth weight and preterm birth. Neonatal anemia was associated with preterm birth. Neonatal liver function tests abnormalities were associated with maternal detectable viral load at peripartum. There was no association between antiretroviral treatment regimen or time of ART exposure and preterm birth, low birth weight or birth defects. Tenofovir exposure was protective for neonatal anemia when compared to maternal zidovudine exposure. Exposure to lopinavir/ritonavir was protective for liver function tests abnormalities in comparison to maternal nevirapine exposure. Conclusion: ART use showed high rates of maternal and neonatal adverse effects with low severity, corroborating the need to adequate antiretroviral maternal treatment with total viral suppression aiming to reach lower MTCT rates
Subject: HIV
Toxicidade
Toxicidade de drogas
Terapia antirretroviral de alta atividade
Gravidez
Recém-nascidos
Transmissão vertical de doença infecciosa
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: DELICIO, Adriane Maira. Efeitos adversos maternos e neonatais da terapia antirretroviral em gestantes infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana e seus recém-nascidos expostos em Campinas de 2000 a 2015 = Maternal and neonatal adverse effects of antiretroviral therapy in pregnant women infected with human immunodeficiency virus and their exposed newborns in Campinas between 2000 and 2015. 2017. 1 recurso online (224 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/330977>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Delicio_AdrianeMaira_D.pdf2.57 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.