Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/33086
Type: Artigo de periódico
Title: Tamponamento das lesões hepáticas transfixantes com colágeno tipo I
Author: Mantovani, Mario
Vidal, Benedicto Campos
Concon Filho, Admar
Abstract: Over the past 6 years we have used the Sangenstaken-Blackmore balloon to tamponade transfixing hepatic lesions. To replace this foreign body, we have considered the use of type I collagen, manufactured at Univ. Campinas, which can be molded to the entire wounded area, thus tamponading all surface irregularities. In this way, a complete tamponade may be achieved, and bile loss is prevented. Complete absorption of the material removes the problem of a foreign body. Twenty mongrel dogs received a perforating transfixing lesion in the central region of the liver, similar to that caused by a firearm bullet. Into the wounded tunnel type I collagen was introduced. Evaluations were made in the 4th, 7th, 15th and 30th day after the intervention, when animals were sacrificed. Polarizing microscope evaluation induced a homogeneous scar formation, with early, organized hepatic regeneration evident from the 7th day onward. It is therefore believed that the use of type I collagen is an effective and safe method to be used in this type of hepatic wounds.
Nos últimos seis anos temos utilizado o balão de SANGESTAKEN-BLACKMORE para o tamponamento de lesões transfixantes hepáticas. Para substituir este corpo estranho, consideramos o uso de colágeno tipo I produzido na UNICAMP, o qual pode ser injetado e moldado ocupando toda a área lesada e o trajeto anfractuoso ou irregular. Desta forma, pode-se conseguir um tamponamento completo, coibindo a hemorragia e sustando a perda de bile. O colágeno será posteriormente reabsorvido não funcionando como corpo estranho. Vinte cães foram submetidos a lesão transfixante na região central do fígado, procurando simular uma lesão produzida por um projétil de arma de fogo. Quatro destes animais, não receberam tratamento e foram a óbito por choque hemorrágico. Em todos os outros 16 animais, aplicou-se o colágeno tipo I em toda a extensão do túnel formado pela lesão, através de injeção do material. Foram realizadas avaliações clínicas no pós-operatório, sendo os cães sacrificados, em grupo de quatro, aos quatro, sete, 15 e 30 dias de pós-operatório. O estudo macroscópico e o microscópico, tanto à microscopia óptica quanto à de polarização, revelou uma formação cicatricial homogênea, com regeneração hepática intensa, precoce e organizada, a partir do 7º dia de pós-operatório. Conclui-se que a aplicação do colágeno tipo I, nestes tipos de ferimentos, são de aplicação simples e segura.
Subject: Trauma
Trauma hepático
Tamponamento hepático
Colágeno tipo I
Regeneração hepática
Trauma
Hepatic trauma
Type I collagen
Hepatic regeneration
Editor: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S0102-86501998000200003
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86501998000200003
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-86501998000200003
Date Issue: 1-Apr-1998
Appears in Collections:Artigos e Materiais de Revistas Científicas - Unicamp

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.