Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/330544
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Avaliação da estabilidade de filtros UVA em fórmulas cosméticas com pigmentos através de espectrometria de massas (MALDI-MSI) = Stability evaluation of UVA sunscreens in cosmetic formulations with pigments using mass spectrometry (MALDI-MSI)
Title Alternative: Stability evaluation of UVA sunscreens in cosmetic formulations with pigments using mass spectrometry (MALDI-MSI)
Author: Fascina, Luna, 1989-
Advisor: Catharino, Rodrigo Ramos, 1977-
Abstract: Resumo: Apesar de essencial para a vida, a radiação solar pode causar uma série de danos à pele, desde queimaduras até o câncer de pele. Apenas uma pequena fração da energia emitida pelo sol consegue atravessar a barreira atmosférica chegar à superfície, e essa radiação terrestre pode ser classificada em: 1) infravermelho, de baixa energia e alto poder de permeação, reconhecida na forma de calor, 2) luz visível, ou luz branca, reconhecida pelo nervo óptico e responsável pela identificação das cores e 3) ultravioleta (UV), que por sua vez é subdividida em UVA, que provoca pigmentação, e UVB, que pode provocar eritema e queimaduras. Portanto, de todo o espectro solar que atinge a superfície terreste, a faixa ultravioleta é a mais danosa e que exige um controle maior de exposição. Para tanto, hoje temos disponíveis cosméticos com filtros solares capazes de absorver, refletir ou dispersar essa energia, evitando a agressão à pele. Tais filtros permitem formulação com Fator de Proteção Solar (FPS), que quantifica a proteção oferecida pelo produto. Para garantir a eficácia, é necessário observar as condições de produção e o meio em que esses filtros estão inseridos. A disponibilidade de filtros com absorção de raios UVB é mais ampla, o que facilita e permite a formulação de produtos com altos FPS. Hoje, a legislação do Mercosul e Europa exigem que os produtos indicados para proteção solar tenham também proteção contra a radiação UVA na razão de 1/3 em relação ao FPS atingido. Porém, a disponibilidade de ativos de proteção UVA é mais limitada, sendo os dois ativos orgânicos mais comumente utilizados o Butil Metóxidibenzoilmetano (BMBM), também conhecido como Avobenzona, e o Dietilamino Hidróxibenzoil Hexil Benzoato (DHHB). O BMBM apresenta alta performance na proteção contra a radiação UVA, sendo uma opção comercialmente favorável, porém apresenta muitos problemas de solubilidade (fator essencial para que seja efetiva) e instabilidade no meio da formulação, principalmente em fórmulas de maquiagem com FPS, uma vez que ela é incompatível com pigmentos metálicos (geralmente óxidos de ferro e titânio) utilizados nesse tipo de produto, sendo recomendado o uso de quelantes para evitar complexação. O DHHB é uma opção mais recente, que apresenta performance semelhante à da Avobenzona, sem as desvantagens de incompatibilidade e solubilidade, porém a um custo mais elevado. Os filtros DHHB e BMBM foram estudados em formulações cosméticas com e sem pigmentos através da técnica de MALDI-MSI (Matrix Assisted Laser Disorption Ionization-Mass Spectrometry Imaging), que permite o entendimento do comportamento de formulações cosméticas à um nível molecular e, associada a análise estatística multivariada, se mostrou satisfatória para a avaliação da estabilidade de ativos de filtro solar em formulações cosméticas. O filtro BMBM se manteve estável somente nas formulações sem pigmentos. Sua ausência ou baixa intensidade e a identificação de compostos de degradação nas formulações com pigmentos indica uma incompatibilidade com tais pigmentos, não sendo assim um ativo indicado para uso em cosméticos coloridos. O filtro DHHB se manteve estável em ambas as formulações, com e sem pigmentos, se mostrando uma alternativa satisfatória para o desenvolvimento de cosméticos coloridos com proteção solar. Essa nova plataforma analítica chamada "cosmetômica", permite a integração de processos e visão geral do produto cosmético com análises rápidas e assertivas, favorecendo o desenvolvimento de produtos seguros e eficazes

Abstract: Although solar radiation is essential to life, it can cause several damages to the skin, from burning to skin cancer. Only a fraction of the energy originated from the sun can cross the atmosphere and reach the Earth surface. This radiation can be classified as: infrared, with low energy and high penetration power, recognized as heat; visible light, or white light, recognized by optical nerve and responsible for color identification; and ultraviolet, that is sub-classified as UVA, that causes pigmentation for example, because it has higher penetration power, causing damage in deeper layers of the skin, and UVB, with lower penetration power, causing superficial damage like erythema and sunburn. Therefore, considering the entire solar spectrum that reaches the Earth surface, the UV rays are the most dangerous and require greater control of exposition. For this purpose, there are cosmetic products with active sunscreen filters capable of absorbing, reflecting and/or dispersing the radiation, protecting the skin from aggression. These sunscreen actives allow formulations with Sun Protection Factor, which indicates the protection offered against UVB rays. This factor is measured in vivo and correlates radiation exposure with erythema (minimal erythemal dose) ¿ the higher the exposure necessary to cause erythema, the higher the SPF value. UVA protection, not usually indicated in the product label, can be measured in vivo through PPD (Persistent Pigment Darkening) or in vitro by the evaluation of UV absorbance curves and critical wavelength ¿ wavelength obtained by the analysis of the UV absorbtion curve. Currently, the Brazilian legislation requires sunscreen products to have UVA protection in the fraction of 1/3 of the declared SPF and critical wavelength of at least 370nm. To guarantee efficacy it is necessary to observe production conditions and the medium in which these sunscreen actives are placed. The availability of UVB active sunscreens is wider which eases and allows formulation of high SPF products. However, the availability of UVA active sunscreens is more limited, being the following two the most common organic actives used: Butyl Methoxydibenzoylmethane (BMBM), also known as Avobenzone, and Diethylamino Hydroxybenzoyl Hexyl Benzoate (DHHB). BMBM has a high performance in protection against UVA radiation, being a commercially favorable option, although presenting problems with solubility (a critical factor for its proper activity) and instability in the formulation, mainly in makeup formulas with SPF, once it is not compatible with metallic pigments (usually titanium and iron oxides) used in this kind of product, and the use of chelating agents is recommended to avoid complexation. DHHB is a recent option with similar performance to BMBM without the solubility and stability problems, although it comes at a higher cost. Both actives were evaluated in a cosmetic formulation using the MALDI-MSI technique, which allows the understanding of the behavior of cosmetic formulations at a molecular level, and proved to be a satisfatory methodology to evaluate the stability os sunscreen actives. BMBM was stable only in formulas without pigments. Its absence or low intensity in formulas with pigments and identification os degradation compounds indicates an incompatibility with these pigments, not being a suitable active for use in color cosmetics. DHHB was stable in both formulations, proving to be a satisfactory alternative for the development of color cosmetics with sun protection. This new analytical platform called cosmetomics allows the integration of process and a whole view of the cosmetic product, and creates the possibility of quick and assertive procedures, making it possible for the industry to launch products of high performance and safety using a quick, safe and assertive methodology
Subject: Protetores solares
Espectrometria de massas
Cosmetômica
Editor: [s.n.]
Citation: FASCINA, Luna. Avaliação da estabilidade de filtros UVA em fórmulas cosméticas com pigmentos através de espectrometria de massas (MALDI-MSI) = Stability evaluation of UVA sunscreens in cosmetic formulations with pigments using mass spectrometry (MALDI-MSI). 2016. 1 recurso online (44 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/330544>. Acesso em: 31 ago. 2018.
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Fascina_Luna_M.pdf1.57 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.