Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/330300
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Das igrejas ao cemiterio : politicas publicas sobre a morte no Recife do Seculo XIX
Author: Sial, Vanessa Viviane de Castro
Advisor: Chalhoub, Sidney, 1957-
Abstract: Resumo: Esta dissertação analisa, a partir do projeto de construção do Cemitério Público Bom Jesus da Redenção no Recife do século XIX, como se deram as transformações dos costumes fúnebres, mediante a imposição de normas sanitárias relacionadas às práticas funerárias tradicionais, que eram entendidas pelos médicos higienistas como um dos fatores de propagação das epidemias. Neste sentido, os cemitérios extramuros desencadearam novas práticas culturais e adaptações nas atitudes diante da morte. Os médicos higienistas, que influenciaram decisivamente na elaboração e aprovação destas normas sanitárias pelo poder público, acreditavam que os corpos cadavéricos eram possíveis focos de emanações miasmáticas, sendo agentes de grande poder de infecção do ar, causadores de toda sorte de epidemias na cidade. A proibição dos sepultamentos nas igrejas gerou múltiplos pontos de discussão e conflitos na sociedade recifense do século XIX, assim como ocorreu em várias outras cidades brasileiras: dentro do poder público, na elaboração de leis e regulamentos para as novas práticas fúnebres, como também na população, que viu suas crenças mais íntimas ameaçadas, sobretudo entre membros de irmandades religiosas e os emergentes comerciantes dos novos serviços mortuários. Ademais, o estudo das transformações dos costumes fúnebres foi fundamental para a compreensão do conflito entre a Igreja e o Estado na segunda metade do século XIX, sobretudo pela negação da Igreja em conceber o direito dos não-católicos a serem sepultados nos cemitérios públicos, interpretados como elementos decisivos no processo de secularização da morte no Brasil oitocentista

Abstract: From the study of the construction project of the Public Cemetery Bom Jesus da Redenção, in the XIXth century Recife, this work analyses how the traditional funerary customs were modified after the imposed new sanitary norms. In this sense, the outdoor cemeteries triggered new cultural practices and new adapted attitudes related to death. The hygienist physicians, decisively influencing the elaboration and approval of these norms by the public authorities, believed that the dead bodies were possible focuses of miasmatic emanations, becoming powerful infectious agents of the air, and sources of all possible epidemies in the city. The prohibition of burials inside churches originated many arguments and conflicts in the Recife's society of the XIX century, as also happened in other Brazilian cities: into the public authority, in the elaboration of laws and regulations regarding the new burial practices, as well as in the population, that perceived as menaced its most intimate burial practices, mostly between those belonging to religious fraternities and emerging dealers of the new funereal services. Besides, the study of the transformations of the funereal customs was fundamental to the understanding of the conflict between Church and State in the second half of the XIX century, mostly because of the Church refusal in accept the right of the non-catholic to be buried in the public cemeteries, viewed as decisive elements for the secularization of the death in the eighteenth century Brazil
Subject: Cemiterios - Brasil - Séc. XIX
Enterros - Séc. XIX - História
Morte - Aspectos religiosos
Mortalidade - Recife (PE) - Séc. XIX
Saúde pública
Medicina - História - Brasil - Séc. XIX
Secularização
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2005
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Sial_VanessaVivianeDeCastro_M.pdf24.1 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.