Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/330263
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Efeito da composição de uma paisagem fragmentada sobre a riqueza e diversidade de espécies e a diversidade funcional das comunidades remanescentes = Composition of a fragmented landscape effect on richness and diversity of species and functional diversity of the remaining communities
Title Alternative: Composition of a fragmented landscape effect on richness and diversity of species and functional diversity of the remaining communities
Author: Carneiro, Magda Silva, 1987-
Advisor: Santos, Flavio Antonio Maës dos, 1958-
Abstract: Resumo: Aproximadamente 2,3 x 106 ha da cobertura global das florestas tropicais são alterados anualmente pela fragmentação. O processo de fragmentação tem múltiplos efeitos negativos sobre esses ecossistemas, podendo alterar a diversidade, composição e os processos ecológicos. Entretanto, os efeitos da fragmentação não são homogêneos para todas as espécies, a intensidade desses efeitos sobre as populações depende da biologia das espécies e das características da paisagem. Estudos com diferentes abordagens podem auxiliar muito no entendimento dos mecanismos e processos ecológicos atuantes em sistemas fragmentados, contribuindo para o planejamento do uso da terra e para uma política da conservação da natureza. Diante disso, o objetivo principal deste estudo é tentar entender como são organizadas as comunidades arbóreas em uma paisagem fragmentada, assim como tentar inferir os processos responsáveis por essa organização. O estudo foi realizado em oito fragmentos de Mata Atlântica semi decídua inseridos em uma paisagem altamente fragmentada. Dentro de cada fragmento foram instaladas 10 parcelas e todos os indivíduos com altura superior a 1,3 metros foram amostrados. Nossos resultados indicam que mesmo fragmentos localizados em paisagens com baixa cobertura florestal e inseridos em matrizes antrópicas podem ter alta riqueza e diversidade de espécies (capítulo 1). Além disso, verificamos que esses fragmentos apresentam alta diversidade beta e que a variação na diversidade beta é devido à substituição de espécies ("turnover"), e não ao aninhamento. Esses resultados foram encontrados tanto para árvores do dossel quanto para as árvores e arbustos de sub-bosque, oferecendo indícios de que os fragmentos são capazes de manter alta diversidade ao longo dos anos (capítulo 2). Quanto ao efeito da paisagem sobre os atributos das comunidades de árvores adultas e regenerantes, verificamos que não há relação entre os atributos das árvores adultas e os atributos da composição da paisagem. Por outro lado, os atributos da comunidade de indivíduos regenerantes são beneficiados pela matriz de pasto, contrariando as expectativas. Esse resultado pode ser atribuído ao baixo manejo desenvolvido nas áreas de pastagens da região (capítulo 3). Já quando buscamos entender a variação da diversidade funcional desses fragmentos e como esta é afetada, verificamos que os indivíduos adultos apresentaram baixa diversidade beta, que está havendo uma perda ordenada de funções mais sensíveis, e que há um aumento na abundância das funções mais tolerantes (aninhamento). Já o estrato regenerante apresenta menor diversidade funcional que o estrato adulto e alta abundância de indivíduos em funções mais tolerantes, que são beneficiadas pela porcentagem de matriz de pasto (capítulo 4). Em outras palavras, quando analisamos apenas a diversidade e riqueza de espécies, os fragmentos apresentam um bom estado de conservação. Entretanto, quando analisamos a diversidade funcional, verificamos que, apesar de haver muitas espécies (alta diverdiade de espécies), essas desempenham as mesmas funções mais tolerantes (baixa diversidade funcional)

Abstract: Approximately 2.3 x 106 ha of tropical forests are altered annually through fragmentation. Fragmentation has multiple negative effects on forest ecosystems, impacting their diversity, composition, and ecological processes. The effects of fragmentation are not homogeneous for all species, however, and the intensities of those effects on populations will depend on the biology of the species and on landscape composition. Studies using different approaches can greatly aid our understanding of ecological mechanisms and processes in fragmented systems and contribute to land use planning and nature conservation policies. We examined how tree communities in eight Atlantic forest fragments in a highly fragmented landscape are organized, and the processes responsible for that organization. Ten 10x20 m plots were installed in each fragment, and all individuals above 1.3 m in height were sampled. Our results indicated that even fragments within landscapes with low forest cover and within anthropogenically modified matrices can show high species richness and diversity (chapter 1), that they show high beta diversity, and that variations in beta diversity are due to species substitutions (turnover) and not nesting. These results were valid for both canopy and understory plants, suggesting that forest fragments are capable of maintaining high diversity for many years (Chapter 2). In terms of landscape effects on the attributes of adult and sapling tree communities, we found that adult trees were not affected by landscape composition and, contrary to our expectations, saplings were benefited by the pasture matrix. These results can be attributed to the low management intensity of pasture areas in the region (chapter 3). Close examinations of how the functional diversity of these fragments varies and how it is affected by fragmentation, showed that adult individuals demonstrated low beta diversity and were experiencing an orderly loss of more sensitive functions and increases in more tolerant functions (nesting). The sapling layer showed lower functional diversity than the adult layer and high abundance of individuals with more tolerant functions that were benefited by a high pasture matrix percentage (chapter 4). Thus, when we analyzed only species diversity and richness, the fragments appeared to be well-conserved (higt diversity of species), but when their functional diversity was examined we saw that although there are many species, they displayed the same more tolerant functions (low functional diversity)
Subject: Fragmentação florestal
Language: Inglês
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Carneiro_MagdaSilva_D.pdf2.59 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.