Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/325717
Type: TESE DIGITAL
Title: Vozes da prematuridade = temas e significados relevantes na comunicação entre profissionais de saúde e pacientes = Premarurity's voices: relevant themes and meanings in the communication between health professionals and patients
Title Alternative: Premarurity's voices : relevant themes and meanings in the communication between health professionals and patients
Author: Miele, Maria Julia de Oliveira, 1966-
Advisor: Pacagnella, Rodolfo de Carvalho, 1974-
Abstract: Resumo: No mundo todo, a cada 10 bebês nascidos vivos, um nasce prematuro; no Brasil a prematuridade representa 12% dos nascimentos. O pré-natal é o único momento para avaliar riscos, antecipar situações ruins e prevenir ou reduzir desfechos adversos. E a primeira forma de prevenção ocorre por meio do diálogo em consulta: ouvindo, orientando e esclarecendo. Quando há uma interrupção abrupta da gestação, seus efeitos são traumáticos para todos os envolvidos, e as consequências de um parto pré-termo pode influenciar a saúde futura da criança comprometendo a vida de toda a família. Partindo do pressuposto de que as informações médicas sobre a prematuridade são negligenciadas durante o pré-natal, esse estudo buscou ouvir os pais de crianças nascidas prematuras e os profissionais de saúde que lidam com bebês prematuros e assim, compreender quais são essas lacunas e investigar seus significados. Método: Foi realizado um estudo exploratório com delineamento qualitativo utilizando a técnica de Grupos Focais. Para a formação dos Grupos Focais foram convidados os pais de recém-nascidos prematuros cujos filhos estavam internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e todos os profissionais de saúde que trabalhavam na mesma Unidade Intensiva durante o período do estudo. As reuniões foram realizadas com cada grupo separadamente, em datas diferentes. Todos os participantes receberam o termo de consentimento e após a assinatura e o aceite, iniciamos os debates a partir de perguntas disparadoras. Para adequado registro, os debates foram gravados. Foi feita análise temática de conteúdo, gerando categorias que se referiram às necessidades de informações e as lacunas na comunicação. Resultados: A principal questão trazida foi a ausência de informações médicas sobre a prematuridade. Durante o pré-natal não há orientações a respeito dos sinais e sintomas de alerta para o parto pré-termo mesmo nas pacientes de risco. Durante o trabalho de parto a comunicação entre as equipes que atuam juntas no Centro Obstétrico é pequena e as gestantes não recebem informações adequadas sobre sua saúde e de seus filhos. Tais problemas na comunicação erguem barreiras durante a internação do bebê na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal que resultam na dificuldade de compreensão das condutas durante a internação e no sentimento de despreparo das mães no acompanhamento dos filhos após a alta hospitalar. Conclusão: Nossos achados apontam uma dissonância entre a percepção das mães de bebês prematuros e de profissionais de saúde quanto à comunicação acerca da prematuridade, gerando insegurança nas mães e distanciamento entre elas e as equipes de saúde. Essa falha na comunicação se mantém permeada por relações de poder e dificultada pelo processo atual de cuidado no pré-natal, parto e internação na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal

Abstract: Worldwide, for every 10 live-born babies, one is born prematurely. In Brazil, prematurity represents 12% of births. Prenatal care is an important moment to evaluate risks, and looking for conditions to prevent or reduce adverse outcomes. And dialogue in the consultation is crucial: with listening, and advice, and clarify any information. When there is sudden interruption of pregnancy, the effects are traumatic for all involved, and the consequences of prematurity can influence the future health of the child and compromising the life of entire family. Based on the assumption that medical information on prematurity is neglected during prenatal care, this study sought to listen to the parents of preterm infants and health professionals dealing with preterm infants and to understand what these gaps are and to investigate their meanings. Method: An exploratory study with a qualitative design using the Focal Groups technique. For the Focus Groups, the parents of premature newborns whose children were in the Neonatal Intensive Care Unit and all the health professionals who worked in the same Intensive Unit during the study period of the study. For meetings with the Focal Groups, we reserve one room to make sure the privacy of the topics covered. The meetings were held with each group separately and on different dates. All the participants received consent in participate and after signing and accepting the consent form, we began the debates from startling questions. The discussions were recorded. The thematic content analysis involved generating categories that referred to information needs and communication gaps. Results: The main question was the lack of medical information on prematurity. During the prenatal period, there is no information about warning signs and symptoms or risks for preterm delivery. During childbirth there is no communication between the teams that work together at the delivery room and pregnant women do not receive adequate information about their health and their child. Such failures create barriers in communication during hospitalization in neonatal intensive care unit that resulted in the misunderstandings during hospitalization and the feeling of unpreparedness of the mothers in the follow-up of their children after hospital discharge. Conclusion: Our findings point out to a dissonance between the perception of mothers of preterm infants and health professionals regarding the communication about prematurity, generating insecurity for the mothers and distancing between them and health professionals. This lack of communication is permeated by power in relationships and by the current process of prenatal care, delivery and hospitalization in the Neonatal Intensive Care Unit
Subject: Nascimento prematuro
Educação em saúde
Pesquisa qualitativa
Relações mãe-filho
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Miele_MariaJuliaDeOliveira_M.pdf4.53 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.