Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/325456
Type: TESE DIGITAL
Title: IMC, distribuição de gordura corporal, ingestão de carboidratos e transtorno de compulsão alimentar periódica em mulheres com sangramento menstrual excessivo = BMI, body fat distribution, carbohydrate intake and binge eating disorder in women with heavy menstrual bleeding
Title Alternative: BMI, body fat distribution, carbohydrate intake and binge eating disorder in women with heavy menstrual bleeding
Author: Pereira, Michele Souza, 1983-
Advisor: Monteiro, Ilza Maria Urbano, 1965-
Abstract: Resumo: Introdução: O sangramento menstrual excessivo (SME) é definido como perda de sangue menstrual intensa, que prejudica a qualidade de vida das mulheres, seja no aspecto físico, emocional, social ou material, que pode ou não, estar associada a outros sintomas (NICE). Sangrar excessivamente pode levar à perda de nutrientes importantes, que pode desencadear desequilíbrios nutricionais. A obesidade pode ser uma das causas de distúrbios ovulatórios e consequentemente de SME. Restam dúvidas, entretanto, se a obesidade não poderia ser também uma consequência do SME, uma vez que, devido à perda de nutrientes, essas mulheres poderiam desenvolver um padrão alimentar alterado, que poderia levar ao acúmulo de gordura. Objetivo: O objetivo do presente estudo foi investigar o IMC, o padrão de distribuição de gordura, o consumo de carboidratos e a frequência de Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica (ECAP) em mulheres com SME em comparação a um grupo de mulheres sem SME. Sujeitos e Métodos: Foi realizado um estudo de corte transversal, com 99 mulheres com SME comparadas a 96 mulheres com fluxos menstruais normais, confirmados pelo Pictorial Blood Loss Assessment Chart (PBAC). As mulheres foram selecionadas no Ambulatório de Hemorragia Uterina e no Ambulatório de Planejamento Familiar do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM) na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e também no Ambulatório de Hemorragia Uterina do Hospital Universitário da Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ). Foram selecionadas para a pesquisa mulheres saudáveis, com idade entre 18 e 56 anos. Foram avaliados peso e estatura para cálculo do índice de massa corpórea (IMC) e foram aferidas as circunferências de cintura e quadril para determinar o padrão de distribuição de gordura. Foi aplicado o Recordatório Alimentar de 24 horas, para identificar a proporção de consumo alimentar de macronutrientes (carboidratos, proteínas e lipídeos). Também foi aplicado o Questionário de Trantorno de Compulsão Alimentar Periódica (TCLP) que permitiu identificar presença ou ausência de transtorno alimentar. Resultados: A média do índice de massa corpórea (IMC) foi 28,8±5,8 kg/m² e 28,7±6,1 kg/m²(p=0.65) nos grupos com SME e sem SME respectivamente. Houve uma maior proporção de mulheres com SME(65.7%) que apresentou razão cintura-quadril (R=C/Q) maior que 0,9, caracterizando um padrão de distribuição de gordura androide, em relação ao grupo de mulheres sem SME(5.2%). No grupo com SME, observou-se um maior consumo de carboidratos(65.6 ± 11.0 versus 59.3 ± 5.3) e menor consumo de proteínas (10.0 ± 3.6 versus 15.7 ± 4.5) e lipídeos (24.4 ± 11.7 versus 25.1 ± 6.9) em comparação ao outro grupo. A frequência de Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica foi maior (22.2%) no grupo com SME em relação ao grupo de comparação(2%)(p.0001). Conclusão: Nossos resultados reforçam a hipótese de que existe relação entre SME e uma maior probabilidade do padrão andróide de distribuição de gordura corporal, o que poderia contribuir com o desenvolvimento de hemorragia uterina. O grupo com SME apresentou maior consumo de carboidratos e menor consumo de proteínas e lipídios e esteve mais sujeito ao transtorno de compulsão alimentar periódica

Abstract: Introduction: Heavy menstrual Bleeding (HMB) is a prolonged menstrual bleeding which disrupts a woman's normal activitiesis and impairs their quality of life, including physical, emotional, social or maerial (NICE ). Obesity can be one of the causes of ovulatory disorders and consequently HMB. However, it is not clear if obesity could also be a consequence of the HMB. Objective: The objective of this study was to investigate the BMI, the pattern of distribution of fat, carbohydrate intake and the frequency of Binge Eating Disorder in women with HMB compared to a group of women without HMB. Methods: Questionnarie with a 24-hour recall was was applied to identify the proportion of food consumption of macronutrients (carbohydrates, proteins and lipids). Binge Eating disorder questionnnarie has also been applied to identify the presence or absence of eating disorder. Results: BMI was 28.8 ± 5.8 kg / m² and 28.7 ± 6.1 kg / m² (p = 0.65) in the groups with and without HMB, respectively. There was a higher proportion of women with HMB (65.7%) who presented waist-hip ratio (R = W / H) greater than 0.9, featuring a distribution pattern android fat, compared to the group of women without HMB (5.2 %). In the group with HMB, there was a higher carbohydrate intake (65.6 ± 11.0 versus 59.3 ± 5.3) and lower protein intake (10.0 ± 3.6 versus 15.7 ± 4.5) and lipids (24.4 ± 11.7 versus 25.1 ± 6.9) compared to another group. The frequency Disorder Binge Eating was higher (22.2%) in the group with HMB in relation to the comparison group (2%) (p.0001). Conclusion: Our results support the hypothesis that there is a relationship between HMB and android pattern of fat distribution, which could contribute to the development of uterine bleeding. HMB group showed higher carbohydrate intake and lower proteins and lipids intake and this group showed also to be more prone to binge eating disorder
Subject: Índice de massa corporal
Obesidade
Carboidratos
Transtornos da alimentação e da ingestão de alimentos
Hemorragia uterina
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Pereira_MicheleDeSouza_M.pdf921.29 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.