Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/325453
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Comportamento sedentário : estudo de base populacional ISACamp 2014/2015
Title Alternative: Sedentary behavior : population-based study ISACamp 2014/2015
Author: Santini, Patricia Alvarenga, 1987-
Advisor: Lima, Margareth Guimarães, 1968-
Abstract: Resumo: INTRODUÇÃO: O sedentarismo tem sido definido como o acúmulo de atividades equivalentes a um gasto energético inferior a 1,5 METs. O comportamento sedentário tem forte associação com a mortalidade por todas as causas e com a redução da esperança de vida. OBJETIVO: Esta pesquisa teve como objetivo geral traçar o perfil de indivíduos sedentários por meio do tempo assistindo TV, e do tempo sentado gasto em outras atividades, nos adultos residentes na cidade de Campinas, SP. MATERIAL E MÉTODOS: Trata-se de um estudo transversal de base populacional que analisou dados do Inquérito ISACamp 2014/15. As variáveis dependentes da pesquisa foram: tempo total diário gasto sentado, excluindo o tempo assistindo TV; e, separadamente, o tempo assistindo TV, categorizado em (1) 0 a 4 horas e (2) 5 horas ou mais durante a semana, sendo mensurada por meio do IPAQ. As variáveis independentes foram: Variáveis demográficas (sexo, faixa etária, cor da pele, situação conjugal e religião; variáveis socioeconômicas (escolaridade, plano de saúde, número de indivíduos no domicílio, renda per capta, ocupação e número de filhos); comportamentos relacionados à saúde (atividade física de lazer, transporte, doméstica e ocupacional; tabagismo; ingestão de bebida alcoólica e consumo abusivo de bebida alcoólica [AUDIT]). Foram feitas estimativas de prevalência e intervalos de confiança de 95% do maior tempo gasto sentado (com uso dos dois indicadores) segundo variáveis independentes. As associações entre variáveis categóricas foram analisadas pelo teste qui-quadrado. Também foi utilizada a regressão de Poisson para estimar razões de prevalência. Foi construído um modelo final por meio do método Stepwise. RESULTADOS: A pesquisa avaliou 1.865 adultos, sendo 52,3% (n=1.065) do sexo feminino e 48% (n=800) do sexo masculino, com média de idade de 43,7 anos. A média diária do tempo gasto assistindo TV foi de 2,9 horas e do tempo gasto no total sem TV também foi de 2,9 horas. Na primeira etapa do modelo final observa-se maior prevalência do domínio de tempo de TV > 5 horas nas pessoas desquitadas, separadas, divorciadas e viúvas em relação aos casados; e o maior comportamento sedentário neste domínio esteve presente nos indivíduos com renda > 3 salários mínimos. Observou-se que ser solteiro, ser do sexo feminino e estar incluído no maior nível de escolaridade (RP=2,05) se associou com o maior tempo sentado em outras atividades; e menor prevalência neste domínio foi encontrada nos idosos. Na etapa 2, ser inativo no lazer (RP=1,30) e apresentar consumo de risco para bebida alcoólica (AUDIT) (RP=1,43) esteve associado com o maior tempo assistindo TV. E o tempo sentado em outras atividades foi quase três vezes maior nos inativos no trabalho (RP=2,79). CONCLUSÃO: Este estudo permitiu concluir que os indicadores de comportamento sedentário, comumente usados por pesquisadores, de tempo gasto assistindo TV e tempo sentado gasto em outras atividades revelaram resultados distintos. Atenção especial deve ser direcionada para os subgrupos populacionais que apresentam maior comportamento sedentário no domínio de TV, considerando as associações com o menor estrato social e com outros comportamentos não saudáveis

Abstract: INTRODUCTION: Sedentary is commonly defined as amount of activities that corresponds to an energy expenditure less than 1, 5 Metabolic Equivalent of Task METs. Sedentary behavior has a strong association with all-cause mortality and reduced life expectancy. OBJECTIVE: The aim of this research was to analyze the sedentary behavior by evaluating the time spent watching TV and other sitting activities (excluding TV) of adults living in the city of Campinas, SP. MATERIAL AND METHODS: This was a cross-sectional population-based study that analyzed data from the ISACamp 2014/15 Survey. The two dependent variables of the research were: the total daily time spent sitting, without watching TV; and TV watching time, categorized in (1) 0 to 4 hours and (2) over 5 hours during the week, measured using IPAQ. The independent variables were: Demographic variables (sex, age, skin color, marital status and religion), socioeconomic variables (schooling, health plan, number of individuals at home, per capita income, occupation and number of children), related behaviors (leisure , transport and domestic physical activities, smoking, alcoholic and beverage consumptions [AUDIT]). Prevalence estimates and confidence intervals of 95% of the most time spent sitting were evaluated according to the independent variables. The associations among categorical variables were analyzed by the chi-square test. The Poisson regression was also used to estimate the prevalence ratios and a Stepwise model were determined. RESULTS: The study evaluated 1,865 adults, in which 52.3% (n = 1,065) were females and 48% (n = 800) males with mean age of 43.7 years. The average daily time spent watching TV was detected as 2.9 hours; and the total sitting time spent without TV was 2.9 hours, resulting in a total average sitting of 5.8 hours. In the first stage of the final model, a greater prevalence of the TV time domain > 5 hours was observed for people who were separated, divorced or widowed. The greater sedentary behavior in this domain was among individuals with family per capita income > 3 minimum wages. It was observed that being single, being female and included in the highest educational level (PR = 2.05) has joined with the longest time sitting in other activities and the lowest prevalence in this area was found for the elderly. In stage 2, to be idle at leisure (RP = 1.30) and presenting alcohol consumption risk (AUDIT) (PR = 1.43) was associated with the longest time watching TV. The time spent sitting in other activities was almost three times higher for people who are inactive at work (PR = 2.79). COLCLUSION: This study allowed concluding that the sedentary behavior indicators revealed different results. Special attention should be directed to the population subgroups that present greater sedentary behavior in the TV domain, considering the associations with the lowest social stratum and with other unhealthy behaviors
Subject: Estilo de vida sedentário
Telespectadores
Levantamentos demográficos
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Santini_PatriciaAlvarenga_M.pdf1.48 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.