Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/325405
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Género y etnicidad en México = contribuciones para el debate sobre la violencia de género a partir de la perspectiva interseccional = Gênero e etnicidade no México: contribuições para o debate sobre a violência de gênero a partir da perspectiva interseccional
Title Alternative: Gênero e etnicidade no México : contribuições para o debate sobre a violência de gênero a partir da perspectiva interseccional
Author: Aparicio López, María del Rosario, 1975-
Advisor: Vieira, Joice Melo, 1980-
Abstract: Resumo: O objetivo deste trabalho é analisar a violência de gênero que padecem as mulheres indígenas no México a partir de um enfoque interseccional. Esta perspectiva considera que a violência de gênero em contextos indígenas está matizada pela etnicidade, a classe, a língua, a idade, a escolaridade, a localização geográfica, entre outros. Também se apresenta uma contextualização do movimento de mulheres indígenas mexicanas que relata como depois da aparição do Ejército Zapatista de Liberación Nacional (EZLN) as demandas das mulheres indígenas tornaram-se mais visíveis à sociedade mexicana. Como conseqüência da visibilidade que a questão de gênero e a etnicidade assumiram na agenda pública, uma serie de pesquisas sobre a violência de gênero têm sido levantadas no México em distintos contextos culturais. Considerando o anterior, este trabalho explora o conceito de violência que orienta a captação de informação em ditas pesquisas. Uma vez que a Encuesta Nacional sobre la Dinámica de las Relaciones en los Hogares (ENDIREH) é a que melhor permite estudar as especificidades das mulheres indígenas, com base nos dados que a ENDIREH fornece, construíram-se indicadores que medem a violência de gênero contra mulheres indígenas e não indígenas, para os anos 2006 e 2011. Buscou-se investigar se existiam diferenças importantes entre os grupos respeito à vulnerabilidade ante a violência de gênero e quais poderiam ser os fatores explicativos. A partir da aplicação de análises multivariaveis, obtiveram-se os fatores mais fortemente associados com a violência de gênero, à baixa escolaridade, quando as mulheres realizam alguma atividade econômica e quando percebem renda de programas governamentais e/ou de familiares ou conhecidos. Finalmente, os dados revelaram que mulheres que sofrem violência durante a infância apresentam maior chance de sofrer violência também na vida adulta. O enfoque interseccional traduz a idéia de que estes diversos fatores que estão mais fortemente associados à violência de gênero, quando se combinam, potencializam maior vulnerabilidade entre mulheres indígenas que fogem dos padrões tradicionais de gênero

Abstract: The objective of this study was to analyze the gender violence suffered by indigenous women in Mexico, using an intersectional approach. This perspective assumes that gender violence in indigenous contexts is affected by ethnicity, class, language, age, schooling, and geographical location. The analysis is contextualized by the Mexican indigenous women's movement, which draws attention to how the demands of indigenous women became more visible to Mexican society after the uprising of the Ejército Zapatista de Liberación Nacional (EZLN). As a consequence of the greater visibility of gender and ethnicity on the public agenda, a series of surveys looking at gender-based violence were carried out in Mexico in different cultural contexts. This thesis explores the conception of violence that guides the data acquisition in these surveys. Given that the Encuesta Nacional sobre la Dinámica de las Relaciones en los Hogares (ENDIREH) is the one that best permits the study of the specificities of indigenous women, ENDIREH data was used to create indicators for measuring gender violence against indigenous and non-indigenous women for the years 2006 and 2011. Applying multivariate analysis showed the factors most strongly associated with gender violence to be low schooling, engagement in some sort of economic activity, and receipt of income from government programs and / or family members or acquaintances. When indigenous women marry very young, or are forced into marriage, they also become more exposed to the risk of violence at the hands of partners. Finally, the data revealed that women who suffer violence during childhood are more likely to suffer it also in adulthood. The intersectional approach translates the idea that these different factors that are most strongly associated with gender violence, when combined, increase vulnerability among indigenous women who flee from traditional gender patterns
Subject: Violência
Mulheres
Relações de gênero - Violência
Violência contra a mulher - México
Índios do México
Language: Espanhol
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
AparicioLopez_MariaDelRosario_D.pdf4.33 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.