Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/325068
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: As divisões da língua portuguesa no espaço de enunciação uruguaio
Title Alternative: The divisions of the Portuguese language in the Uruguayan space of enunciation
Author: Santos, Gabriel Leopoldino dos, 1986-
Advisor: Guimarães, Eduardo, 1948-
Abstract: Resumo: Este trabalho propõe-se apresentar análises que desvelam os contornos da política de línguas no/do Uruguai. O enfoque particular destas análises está nos processos simbólico-políticos que dividem o português e o distribuem desigualmente aos seus falantes no espaço de enunciação. A partir do dispositivo teórico-metodológico da semântica do acontecimento, o fato de linguagem que se objetiva compreender é o da designação do nome português, ou do nome língua portuguesa, no espaço de enunciação uruguaio. O corpus é constituído de enunciados recortados de documentos oficiais reguladores dos dois únicos cursos de formação docente em língua portuguesa no Uruguai até então: o Professorado de Português do Centro Regional de Profesores del Norte (Ce.R.P. del Norte), localizado na cidade de Rivera, a qual faz fronteira com a cidade brasileira de Santana do Livramento, e o Professorado de Português do Instituto de Profesores Artigas (IPA), localizado na capital Montevidéu. As discussões aqui empreendidas põem em cena o batimento entre o real multilíngue que caracteriza o espaço de funcionamento das línguas no Uruguai e um imaginário monolíngue que, desde meados do século XIX, se constrói por meio de uma política de línguas de Estado que institui o espanhol como o idioma nacional e como expressão da identidade uruguaia. Relativamente a esse imaginário e à história política do Uruguai, pode-se dizer que o português sempre foi tido como uma língua que precisava ser administrada, isto é, regulada para que seu funcionamento não representasse uma ameaça à soberania nacional. As análises da designação de português, ou de língua portuguesa, que esta tese dá a conhecer mostram como tal política de línguas materializa-se na enunciação dos documentos oficiais que integraram o material de pesquisa. Será possível observar que os acontecimentos enunciativos de tais textos recortam, sob a forma de memoráveis, principalmente um conjunto de enunciações da ciência linguística, mais especificamente da sociolinguística e da pragmática, para sustentar uma posição de Estado homogeneizadora em face da questão das línguas em relação, incluindo-se aí a relação litigiosa entre o português, de um lado, e o idioma nacional, de outro. Finalmente, esta tese visa a construir uma reflexão materialista acerca da conexão entre linguagem, história e poder, produzindo-se, assim, uma diferença com a maioria dos estudos que já se debruçou sobre a situação linguística do Uruguai

Abstract: This dissertation intends to set forth analyses that reveal the contours of the politics of languages in/of Uruguay. The particular focus of these analyses lies in the symbolic-political processes that divide the Portuguese language and distribute it unequally to their speakers in the space of enunciation. From the theoretical-methodological device of the Semantics of Events, the language fact which is intended to be understood is that of the designation of the name Portuguese, or of the name Portuguese language, in the Uruguayan space of enunciation. The corpus is composed of statements cut from official documents that regulate the only two Portuguese Teacher Training Courses in Uruguay until then: the one of the Regional Center of Teachers from the North (Ce.R.P. del Norte), located in the city of Rivera, which borders the Brazilian city of Santana do Livramento, and the one of the Artigas Teachers¿ Institute, located in Montevideo capital city. The discussions carried out here bring to the fore the relationship between the multilingual real that characterizes the space of language functioning in Uruguay and a monolingual imaginary that, since the mid-nineteenth century, has been constructed through a State Politics of Languages that has established the Spanish language as the only national language and as an expression of the national identity. With regard to such imaginary and to the political history of Uruguay, the Portuguese language has always been regarded as a language that needed to be administered, that is, needed to be regulated so that its functioning would not represent a threat to national sovereignty. The analyses of the designation of Portuguese show how such politics of languages materializes in the enunciation of the official documents that have integrated our research material. It will be possible to observe that the enunciative events of these texts cut out, under the form of memorables, mainly a set of enunciations from the Linguistic Science, more specifically from Sociolinguistics and Pragmatics, in order to sustain a State homogenizing position in the face of the issue of languages in relation, including the litigious relationship between Portuguese, on the one hand, and the national language, on the other. At last, this dissertation aims to construct a materialistic reflection on the connection between language, history and power, thus producing a difference with most of the studies that have already focused on the linguistic situation of Uruguay
Subject: Semantica do acontecimento
Designação (Lingüística)
Política linguística - Uruguai
Enunciação (Linguística)
Língua portuguesa - Países estrangeiros - Aspectos políticos
Documentos oficiais - Uruguai
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Santos_GabrielLeopoldinoDos_D.pdf1.83 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.