Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/325044
Type: TESE DIGITAL
Title: A (re)invenção de uma bailarina : um acidente... um corpo... uma dança
Title Alternative: The (re)invention of a ballerina : an accident... a body... a dance
Author: Pratta, Nara, 1985-
Advisor: Leite, Nina Virginia de Araújo, 1950-
Abstract: Resumo: A presente pesquisa tem como proposta abrir espaços de discussão de campos com conversações ainda incipientes: a Dança e a Psicanálise. Tal proposição foi viabilizada por meio do material escolhido como corpus de análise: trata-se da tese de doutorado da bailarina Silvia Susana Wolff (2010), tomada como um caso a ser lido à luz da Psicanálise. Mais especificamente, trata-se de acompanhar o percurso da bailarina na construção e reinvenção de enlaces possíveis com a dança e com a própria vida após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Em meio aos pontos cruciais destacados pela bailarina em seu percurso de reconstrução ¿ tais como a persistência na escrita de sua tese, da qual ela passa a ser sujeito, além da possibilidade de trabalhar com a dança como proposta de reabilitação para outros pacientes de AVC ¿ a hipótese da leitura proposta é a de que modos diferentes de escrita se apresentam como fundamentais na sustentação de uma dança, de um sujeito do desejo. Desse modo, a escrita de sua história, como uma forma de escrita autobiográfica em sua tese, revela um tipo de escrita que lhe permitiu investir novamente em uma coreo/grafia e sustentar uma posição de « ser bailarina ». Outro delineamento proposto, alinhado com a abordagem que Lacan dá ao caso de James Joyce, e considerando o « ser bailarina » que se promove no caso de Silvia com estatuto de Nome-Próprio, é a reinvenção no campo do sinthomático, ao problematizar possibilidades de amarração sustentadas dela via de diferentes grafias. A Psicanálise foi utilizada como método de leitura, mais especificamente o lugar da psicanálise proposto por Lacan como psicanálise em extensão, o que se distancia de uma psicanálise aplicada. Nesse sentido, pretende-se adentrar no campo conceitual da Dança, visando à realização de um percurso histórico e a um enlace do olhar da Psicanálise no que concerne ao sujeito que dança e para quem ele dança, a fim de acompanhar a trajetória descrita pela bailarina no referido material. Em meio a inúmeros saberes propostos nos campos da Dança e da Psicanálise, qual o interesse em pensar esta conversação? O que move um corpo? Posteriormente, seguindo a lógica do material estudado, objetiva-se um olhar, por meio do referencial psicanalítico, para a construção pela bailarina de outros modos de dançar, de outros sentidos para sua própria dança após o AVC. Intenciona-se assim não só responder a inquietações de uma pesquisadora, mas também promover contribuições para um campo ainda pouco explorado pela Psicanálise, além de reflexões que tangenciam a clínica contemporânea

Abstract: The following work aims to open up a discussion space for fields that still hold up incipient dialogic relations: Dance and Psychoanalysis. Such proposal was enabled by the material selected as corpus for analysis: ballet dancer Silvia Susana Wolff¿s doctoral thesis (2010), which has been chosen as a study case to be read in light of Psychoanalysis. More specifically, this work tracks down the trajectory of a ballet dancer as she constructs and reinvents potential connections with dancing and with her own life, after having suffered from a Cerebrovascular Accident (CVA). Considering essential aspects highlighted by Silvia in the reconstruction of her trajectory ¿ such as the determination in writing her thesis, of which she becomes subject, as well as the possibility to work with dancing as rehabilitation proposal for other CVA patients ¿ the reading hypothesis herein proposed is that different forms of writing emerge as paramount for keeping alive a dance, a subject of desire. This way, the writing of her story, which takes the form of an autobiography in her thesis, reveals a way of writing that allowed her to recreate, once again, a choreo/graphy and to hold a position of «being a ballerina». Another proposed aspect ¿ in alignment with Lacan¿s approach to the case of James Joyce, and considering the «being a ballerina» that unfolds in the case of Silvia with status of Proper Name ¿ is the reinvention in the sinthomatic dimension by problematizing dialogic possibilities supported via different "graphies". Psychoanalysis was used as a reading method, and more specifically, the place of psychoanalysis proposed by Lacan as psychoanalysis in extension, which differs from applied psychoanalysis. In this regard, we proceed to delve into the conceptual field of Dance, aiming to undertake a historical journey and to reflect, through the lenses of Psychoanalysis, upon the subject who dances and for whom this subject dances, in order to follow the trajectory described by Silvia in the selected material. Amidst countless sets of knowledge projected by the fields of Dance and Psychoanalysis, why this interest in envisioning such dialogic relationship? What moves a body? Then, following the logic of the analyzed material, this work is intended ¿ through the yardstick of Psychoanalysis ¿ to look into other forms of dancing configured by the ballerina, as well as into other meanings she gives to her own dance after having suffered from an CVA. Therefore, I intend not only to answer my concerns as researcher, but also to offer contributions to a field that has been very little explored by Psychoanalysis, as well as reflections that find a point of intersection with contemporary clinical practices
Subject: Lacan, Jacques, 1901-1981. Sinthome - Crítica e interpretação
Wolff, Silvia Susana. Momento de transição - Estudo de casos
Psicanálise lacaniana
Dança
Corpo como suporte da arte
Escrita
Acidente vascular cerebral - Pacientes - Reabilitação
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Pratta_Nara_D.pdf1.95 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.