Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/324995
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: A escola e a criança considerada agitada /desatenta
Title Alternative: School and children perceived as agitated /inattentive
Author: Silva, Izabel Penteado Dias da, 1987-
Advisor: Batista, Cecilia Guarnieri, 1949-
Abstract: Resumo: Atualmente, a questão da agitação e desatenção de crianças nas escolas tem levantado diferentes opiniões sobre o que se considera normal ou patológico em relação a esse fenômeno. Centralmente, podem-se identificar na literatura duas tendências de abordagem ao tema: uma de caráter predominantemente biológico e outra de caráter predominantemente social. Na primeira abordagem, a agitação e desatenção são caracterizadas como alterações situadas no indivíduo, de base biológica, e descritas como sintomas do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Na segunda abordagem, todo um conjunto de fatores que influenciam as experiências pessoais e o desenvolvimento dos sujeitos entra na discussão, como o fator psicológico, educacional, social, histórico e cultural. O presente estudo visou descrever concepções vigentes sobre agitação e desatenção de alunos por professores dos primeiros anos do Ensino Fundamental, assim como concepções em relação ao TDAH. Foram realizadas entrevistas com dez professoras do 1º e 2º anos do Ensino Fundamental que atuam em escolas da rede pública e particular na cidade de Campinas. Foi utilizada entrevista semiestruturada com gravação de áudio. Todas as entrevistas foram transcritas, revisadas e examinadas de acordo com a análise de conteúdo. A transcrição da entrevista de cada participante foi desmembrada, partindo de três grandes temas: agitação, desatenção e Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade. Estes três temas centrais foram subdivididos, sendo criadas dezoito áreas temáticas no total, das quais seis são referentes à agitação, seis referentes à desatenção, uma referente à agitação/desatenção e cinco referentes ao TDAH. A análise dos resultados permitiu observar que em relação à agitação e desatenção coletivas, as professoras mencionam fatores externos à criança e as ações tomadas por elas são do âmbito pedagógico e se restringem à sala de aula. No que diz respeito à agitação e desatenção individuais, encontramos fatores biológicos e também explicações de ordem social, fatores emocionais, entre outros. Aparecem atuações do âmbito pedagógico, mas também outros níveis de atuação extraclasse, como contato com famílias, auxílio da orientação e encaminhamentos. Em relação ao TDAH, somente as professoras da rede particular relataram experiência em sala de aula com alunos diagnosticados, enquanto as professoras das outras redes não tiveram alunos com diagnostico concluído. Poucas professoras mencionaram fatores desencadeantes do TDAH e, as que o fizeram, os definiram como alterações em mecanismos cerebrais e genética. Quanto às ações tomadas com alunos diagnosticados ou com suspeita de TDAH, apesar de as professoras adotarem estratégias em sala de aula, muitas delas recorreram às orientações dos profissionais que acompanham os alunos fora da escola. Os resultados foram analisados e discutidos à luz dos autores mencionados na introdução do trabalho. A partir da análise das falas, constatou-se que muito se fala sobre a criança, um pouco sobre relações interpessoais, mas pouco se menciona sobre a estruturação da instituição escolar e sobre os modos de vida da sociedade moderna. Desta forma, a escola sai ilesa de repensar seu papel para lidar com crianças que não correspondem às expectativas, e o sistema de vida contemporâneo mantém-se com pouco questionamento

Abstract: Nowadays the debate about agitation and inattention of children at school raises different opinions about what is considered normal and what is considered pathological relating to this phenomenon. Mainly, two tendencies can be identified on approaching the theme: one predominantly biological and other predominantly social. In the first approach, agitation and inattention are characterized as alterations based on the individual, with biological basis, and described as a symptom of Attention Deficit Hyperactivity Disorder (ADHD). In the second approach, the focus is shifted to the psychological, educational, social, historical and cultural context, which strongly influences the personal experiences and the development of those involved. The present study aimed to describe current conceptions about agitation and inattentiveness of students by teachers of the first years of Elementary School, as well as conceptions regarding Attention Deficit Hyperactivity Disorder. Interviews were conducted with ten teachers from the 1st and 2nd years of elementary school who work in both public and private schools in the city of Campinas. A semi-structured interview with audio recording was used. All interviews were transcribed, reviewed and examined according to the content analysis. The interview's transcript of each participant was dismembered, starting from three main themes: agitation, inattention and Attention Deficit Hyperactivity Disorder. These three central themes were subdivided, creating eighteen thematic areas in total, six are related to agitation, six refer to inattention, one refers to agitation/inattention and five refer to ADHD. The analysis of the results allowed to observe that in relation to collective agitation and inattention, the teachers mention external factors to the children and the actions taken by them are pedagogical and are restricted to the classroom. With regard to individual agitation and inattention, we find biological factors as well as explanations of social order, emotional factors, among others. There are performances of the pedagogical scope, but also other levels of extra classroom activity, such as contact with families, guidance assistance and referrals. In relation to ADHD, only the teachers of the private school reported classroom experience with diagnosed students, while the teachers of public schools did not have students with a completed diagnosis. Only a few teachers mentioned factors that trigger ADHD, and those who did, defined them as changes in brain mechanisms and genetics. As for the actions taken with students diagnosed or with a suspicion of ADHD, although the teachers adopted strategies in the classroom, many of them resorted to the guidance of the professionals who accompany the students out of school. The results were analyzed and discussed in the light of the authors mentioned in the paper. From the analysis of the speech, it was verified that much is said about children, a bit about interpersonal relations, but remotely is said about the structure of the school institution and about way of life in modern society. In this way, the school is unscathed to rethink its role in dealing with children who do not meet expectations, and the contemporary life system remains with little questioning
Subject: Atenção
Ensino fundamental
Transtorno do deficit de atenção com hiperatividade
Educação
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Silva_IzabelPenteadoDiasDa_M.pdf1.34 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.