Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/324314
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Fluoreto como micronutriente = uma revisão crítica = Fluoride as micronutrient: a critical review
Title Alternative: Fluoride as micronutrient : a critical review
Author: Paz, Dióger dos Santos, 1982-
Advisor: Cury, Jaime Aparecido, 1947-
Abstract: Resumo: No passado foi considerado ser necessário e indispensável ingerir fluoreto durante a formação dos dentes para que estes ficassem resistentes à cárie. O raciocínio elementar foi que o fluoreto se incorporaria no esmalte na forma de fluorapatita tornando o dente menos solúvel aos ácidos produzidos pelas bactérias do biofilme dental. Esse conceito foi decorrente da constatação que populações que consumiam água fluoretada na concentração ótima tinham menor prevalência de cárie que as que não faziam uso de água fluoretada. Com base nesse conceito, medicamentos contendo fluoreto passaram a ser recomendados como suplementos, caso a concentração de fluoreto na água não fosse ótima. Assim, o efeito do fluoreto seria sistêmico e ele passou a ser considerado um nutriente essencial. Entretanto, esse conceito começou a ser questionado a partir de 1981, havendo hoje consenso na área de Odontologia que o efeito preventivo do fluoreto no controle da cárie não é sistêmico, isto é, não depende da ingestão de fluoreto durante a formação dos dentes. Independente do meio de uso, fluoreto tem ação local (na boca) interferindo com o processo de desenvolvimento de lesões de cárie. Entretanto, essa mudança de conceito na Odontologia ainda não foi absorvida pelas demais áreas da saúde, estando em vigor tabelas de valores de ingestão diária recomendada (IDR) para fluoreto. Isso possibilita que fluoreto seja agregado a qualquer produto comercial que não aqueles para higiene bucal, descaracterizando o seu uso correto no controle da cárie. Amparado por normas vigentes o fluoreto tem sido agregado desde suplementos medicamentosos a gomas de mascar. O objetivo deste trabalho foi mostrar que o fluoreto não pode mais ser considerado micronutriente. Para tal, foi realizada uma revisão da literatura sobre o mecanismo de ação do fluoreto e uma análise das normas em vigência sobre o seu uso. Foram analisadas as portarias da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), relatórios da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), as recomendações feitas pela European Food Safety Authority (EFSA) e ainda publicações encontradas nas bases de dados Bireme, Biblioteca Cochrane Plus e Pubmed. A revisão mostrou que fluoreto não pode ser considerado um micronutriente porque seu efeito anticárie não é sistêmico e também não deve porque incita ao uso inapropriado do mesmo. Em acréscimo, não há consenso mundial quanto aos valores de IDR estabelecidos pelas regulamentações vigentes. Concluiu-se que é necessário revisar as normas regulatórias que ainda consideram fluoreto como um micronutriente porque não é indispensável que ele seja ingerido para o controle da cárie dentária

Abstract: In the past it was considered necessary and indispensable to ingest fluoride during the formation of the teeth so that they were caries-resistant. The elementary reasoning was that the fluoride incorporated in enamel as fluorapatite would make making the tooth less soluble to the acids produced by the bacteria of the dental biofilm. This concept was due to the fact that populations who drank fluoridated water at optimum concentration had a lower prevalence of caries than those who used non-fluoridated water. Based on this concept, drugs containing fluoride drugs were recommended as supplements if the fluoride concentration in the water was not optimal. Thus, the effect of fluoride would be systemic and it started be considered an essential nutrient. However, this concept began to be questioned from 1981 and currently there is a consensus in the area of dentistry that the fluoride preventive effect on caries control is not systemic, it does not depend on fluoride intake during tooth formation. Regardless of the ways of fluoride use it has local action (in the mouth) interfering with the process of caries lesions development. However, this change of concept in dentistry has not yet been adopted by other health areas, and values of intake daily recommendation (IDR) for fluoride are still used. As a nutrient, fluoride can be added to any commercial product other than those for oral hygiene, making possible its misuse on caries control. Supported by current standards, fluoride has been aggregated to supplements and chewing gums. The aim of this work was to show arguments that fluoride cannot longer be considered as micronutrient. For this, a review of the literature on the anticaries mechanism of action of fluoride and an evaluation of the guidelines in force on its use was carried out in The National Agency for Sanitary Surveillance (ANVISA), the Food and Agriculture Organization (FAO) of the United Nations, the recommendations done by the European Food Safety Authority (EFSA) and publications found in Bireme, Cochrane Plus Library and Pubmed database. According to review done, besides fluoride should not be more considered a micronutrient, there is no global consensus regarding the IDR values established by current guidelines. It was concluded that it is necessary to review the guidelines that still consider fluoride as a micronutrient because it is not indispensable that it be ingested for the control of dental caries
Subject: Micronutrientes
Saúde bucal
Fluoretos
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Paz_DiogerDosSantos_MP.pdf785.14 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.