Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/32275
Type: Artigo de periódico
Title: Survey of aflatoxins in tomato products
Title Alternative: Aflatoxinas em produtos de tomate
Author: Mariutti, Lilian Regina Barros
Soares, Lucia Maria Valente
Abstract: Tomatoes are highly susceptible to fungi contamination in the field, during transportation, processing, and storage. Aspergillus flavus and Aspergillus parasiticus have been isolated from tomatoes and tomato products, and both fungi species can produce aflatoxin, mycotoxin with hepatotoxic, carcinogenic, teratogenic, and mutagenic effects on all animal species tested so far. In order to verify a possible aflatoxin contamination of tomato products commercialized in Brazil, 63 samples of tomato products (pulp, paste, purée, ketchup, dehydrated tomatoes, and dried tomatoes preserved in oil) produced in 5 Brazilian states and 1 imported sample (ketchup), totalizing 29 brands, were analyzed by thin layer chromatography. The analytical method showed an average recovery of 86% for all aflatoxins at two spiking levels. The limits of detection for the aflatoxins B1, B2, G1, and G2 varied with the type of the product ranging from 2 to 7 µg/kg. Aflatoxins were not detected in any evaluated sample indicating that they did not pose a risk to human health since there was no invasion of raw materials by toxigenic fungi or no conditions for toxin production.
Os tomates são frutos altamente susceptíveis à contaminação fúngica tanto no campo como durante o transporte, processamento e armazenamento. Aspergillus flavus e Aspergillus parasiticus têm sido isolados em tomate e em produtos de tomate e ambas as espécies são produtoras de aflatoxinas, potentes micotoxinas que apresentam efeitos hepatotóxicos, carcinogênicos, teratogênicos e mutagênicos para todas as espécies animais testadas até o momento. Para verificar a possível contaminação por estas micotoxinas em produtos de tomate comercializados no Brasil, amostras de 63 produtos de tomate (polpa, pasta, purê, catchup, tomate desidratado e tomate seco conservado em óleo) provenientes de 5 Estados brasileiros e uma do exterior (catchup), compreendendo a 29 marcas, foram analisadas por cromatografia em camada delgada. A avaliação do método para determinação das aflatoxinas em produtos de tomate resultou em uma recuperação média de 86%, para as quatro aflatoxinas, em dois níveis de adição. Os limites de detecção para as aflatoxinas B1, B2, G1 e G2 variaram de 2 a 7 µg/kg, dependendo do tipo de produto. As aflatoxinas não foram detectadas em nenhuma das amostras avaliadas, indicando que não apresentavam risco à saúde humana, seja por ausência de invasão por fungos toxigênicos ou por falta de condições para produção das toxinas.
Subject: micotoxinas
produtos de tomate
aflatoxinas
mycotoxins
aflatoxins
tomato products
Editor: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Rights: aberto
Identifier DOI: 10.1590/S0101-20612009000200031
Address: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-20612009000200031
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-20612009000200031
Date Issue: 1-Jun-2009
Appears in Collections:Artigos e Materiais de Revistas Científicas - Unicamp

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
S0101-20612009000200031.pdf117.13 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.