Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/322737
Type: TESE DIGITAL
Title: O encontro da psicologia com a educação nos discursos brasileiros sobre a criança de zero a seis anos
Title Alternative: The encounter of psychology with education in the brazilian discourses about children from zero to six years of age
Author: Christiano, Ana Priscilla, 1978-
Advisor: Souza, Regina Maria de, 1957-
Abstract: Resumo: Esta pesquisa teve como tema o encontro da psicologia com a educação nos discursos brasileiros sobre a criança de zero a seis anos produzidos entre as décadas de 1920 e 1962. O objetivo foi analisar como os discursos da educação se interligaram com os da psicologia para compor um campo de estudos sobre esta criança, transformando-a em positividade científica. Para tanto, busquei descrever como os saberes da educação e da psicologia se amalgamaram e produziram um olhar sobre a criança, dizendo quem é este sujeito. Realizei um estudo qualitativo no qual direcionei meu olhar para manuais de psicologia destinados aos cursos de formação de professores das Escolas Normais e que foram escritos por educadores brasileiros entre 1920 e 1962 - período que antecede o reconhecimento legal da psicologia como profissão. Após um longo caminho percorrido, foram selecionados os seguintes manuais: Introdução ao estudo da Escola Nova, escrito por M. B. Lourenço Filho, publicado originalmente em 1929 e revisto e ampliado em 1961; Psicologia da criança, escrito por Theobaldo Miranda Santos em 1948; Psicologia educacional: 1ª parte - Psicologia da criança, escrito por Afro Amaral Fontoura em 1958. A análise partiu de uma perspectiva foucaultiana a fim de olhar para os movimentos discursivos que colocaram em relação psicologia, educação e criança de zero a seis anos. O contato com os manuais trouxeram o olhar dos três autores para esta relação. Observei que a criança de zero a seis anos foi descrita como uma nova categoria de vida que precisava ser entendida por meio das novas investigações psicológicas. Essas investigações estavam surgindo desde o final do século XIX e se legitimando como aquilo que hoje conhecemos como psicologia científica. Esse entendimento esteve na base da organização de novas formas de ensino que caracterizaram a educação renovada, defendida pelos autores. As orientações às futuras professoras deixaram claro que, no entendimento dos autores analisados, as crianças de zero a seis anos deveriam receber mais atenção do que, até então, lhes era destinada. Isso porque sua educação implicaria em adequá-la às necessidades do meio, potencializando aquilo que trazia de bom e impedindo que suas tendências inatas prevalecessem em sua personalidade. Este olhar direcionado a ela, o detalhamento de seu desenvolvimento, a preocupação com sua vida, as orientações psicológicas e educacionais presentes nos manuais analisados ainda têm suas ressonâncias na atualidade

Abstract: The theme of this research is the encounter of psychology with education in the Brazilian discourses about children from zero to six years old that were produced between the years 1920 and 1962. The objective is to analyze how the discourses of education were involved with those of psychology to compose a field of studies on these children, transforming such discourses into scientific positivity. To do so, I tried to describe how the knowledges of education and psychology were amalgamated and produced a view about these children to state who such subject is. I conducted a qualitative study in which I turned my attention to the manuals of psychology for the teacher training courses of the Normal Schools that were written by Brazilian educators between 1920 and 1962 - a period that precedes the legal recognition of psychology as a profession. After a long journey, the following manuals were selected: Introduction to the Study of the New School, written by MB Lourenço Filho, originally published in 1929 and revised and expanded in 1961. Psychology of the Child, written by Theobaldo Miranda Santos in 1948. Educational Psychology: Part I ¿ Child Psychology, written by Afro Amaral Fontoura in 1958. The analysis started from a Foucauldian perspective to look at the discursive movements that related psychology, education and children from zero to six years. The contact with the manuals brought the view of the three authors to this relation. I observed that the children from zero to six years were described as a new category of life that needed to be understood through the new psychological investigations. These investigations were emerging from the late nineteenth century and legitimizing themselves as what we know today as scientific psychology. This understanding was based on the organization of new forms of education that characterized the renewed education, as defended by the authors. The guidance to future teachers made it clear that, in the opinion of the authors analyzed, children from zero to six years should receive more attention than was previously intended, since their education would entail adapting them to the needs of the environment, potentializing what was good and preventing their innate tendencies from prevailing in their personality. This directed look at the details of development, the preoccupation with the subject¿s life, the psychological and educational orientations present in the manuals analyzed still has its resonances in the present time
Subject: Psicologia educacional
Praticas discursivas
Crianças
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FE - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Christiano_AnaPriscilla_D.pdf1.02 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.