Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/322280
Type: TESE DIGITAL
Title: Prevalência e determinantes do baixo peso ao nascer no Estado de Minas Gerais, Brasil, no ano de 2011
Title Alternative: Prevalence and determinants of low birth weight in the State of Minas Gerais, Brazil, in 2011
Author: Medeiros, Glenia Junqueira Machado, 1976-
Advisor: Morcillo, André Moreno, 1950-
Abstract: Resumo: Introdução: O baixo peso ao nascer, inferior a 2500g, é um dos indicadores de saúde do recém-nascido, e pode ser determinado pela influência de diversos fatores: maternos, fetais, placentários e ambientais. Espera-se que sua prevalência seja maior em regiões com menores condições socioeconômicas e menos favorecidas. Objetivo: Determinar a prevalência e os determinantes de baixo peso ao nascer no Estado de Minas Gerais (MG) em 2011. Método: Trata-se de um estudo observacional de corte transversal, descritivo e analítico, que foi realizado a partir de dados secundários das Declarações de Nascidos Vivos (DNVs) do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC), referentes aos 259.863 partos ocorridos em Minas Gerais em 2011. Os dados foram processados com os programas SPSS 16.0 (SPSS Inc., Chicago, IL, USA). Para avaliar a associação entre a variável dependente e as independentes qualitativas utilizamos o teste de qui-quadrado. Também foram calculados os valores brutos das Razões de Prevalência e seus Intervalos de Confiança de 95%. As Razões de Prevalência ajustadas foram determinados por Regressão de Poisson Multivariada Hierárquica. Resultados: Cerca de 9,2% dos recém-nascidos eram baixo peso, sendo que 7,9% pesaram de 1.500 a 2.499 gramas e 1,3% de 500 a 1.499 gramas (muito baixo peso). Na análise bivariada, verificou-se que todas as variáveis se associaram com o baixo peso ao nascer, exceto a ocupação fora do lar. Na análise multivariada, após o ajuste final do modelo, somente a escolaridade materna, número de filhos vivos e mortos, número consultas de pré-natal, duração da gestação e tipo de gravidez, local de nascimento, sexo do recém-nascido e as macrorregiões de saúde Norte, Nordeste, Noroeste, Leste, Leste do Sul, Sudeste, Triângulo do Sul e Jequitinhonha apresentavam associação com o baixo peso ao nascer. Conclusão: A prevalência de BPN encontrada neste trabalho foi de 9,2%. A escolaridade inferior a 8 anos de estudos, mães primíparas e aquelas com um ou mais filhos mortos, um pré-natal com menos de 7 consultas, tipo de gestação (dupla, tripla ou mais), idade gestacional inferior a 37 semanas, o parto ocorrido em outro local (ambulância, rua, etc.) e o sexo feminino dos recém-nascidos, foram fatores associados a maior prevalência de BPN. A prevalência de BPN foi menor (6% a 12%) nas macrorregiões Triângulo do Sul, Sudeste, Norte, Noroeste, Nordeste, Leste do Sul, Leste e Jequitinhonha, ou seja, regiões menos favorecidas do ponto de vista social, econômico e de recursos de saúde, quando comparadas à macrorregião Centro. Este achado é evidência do paradoxo do baixo peso ao nascer. Há que se melhorar o acesso ao pré-natal, mas, também é necessário garantir a boa assistência médica à gestante

Abstract: Introduction: One of the health indicators of the newborn children is low birth weight (LBW), or less than 2500 g, which can be determined by the influence of several reasons, such as, maternal, fetal, placental and environmental factors. The prevalence of such indicators is expected to be higher in regions with lower socioeconomic and not favorable conditions. Objective: To assess the prevalence and determinants of low birth weight in the State of Minas Gerais (MG) in 2011. Method: This is an observational, cross-sectional, descriptive and analytical study, which was conducted from secondary data from Live Birth Certificates of Live Birth Information System (LBIS), related to 259,863 births in Minas Gerais in the year 2011. Data were analyzed with SPSS 16.0 software (SPSS Inc., Chicago, IL, USA). To evaluate the association between the dependent and the independent qualitative variables, the chi-square test was used. The gross values of prevalence ratios and its 95% confidence intervals were also calculated. Reasons of adjusted prevalence were determined by the Multivariate Hierarchical Poisson Regression. Results: About 9.2% of the newborns presented low birth weight, 7.9% weighed 1500-2499 grams and 1.3% showed 500-1499 grams (very low birth weight). In the bivariate analysis, it was found that all variables were associated with low birth weight, except the occupation of the mother outside home. In the multivariate analysis, after the final adjustment of the model, only the mother's educational level, number of children alive and dead, number of prenatal visits to the doctor, duration and type of pregnancy, place of birth, and the newborn sex had an association with low birth weight. The Northern, Northeastern, Northwestern, Eastern, Eastern of South, Southeastern, Southern Triangle and Jequitinhonha macro-regions showed this association also. Conclusion: The prevalence of LBW found in this study was 9.2%. Schooling less than 8 years of study, first child mothers and those with one or more dead children, prenatal care less than 7 visits to the doctor, type of pregnancy (double, triple or more), gestational age less than 37 weeks, birth occurring elsewhere (ambulance, street, etc.) and female newborn were factors associated with a higher prevalence of LBW. The prevalence of LBW was lower (6% to 12%) in the macro-regions of Southern Triangle, Southeastern, Northern, Northwestern, Northeastern, Eastern of South, Eastern and Jequitinhonha, or, in other words, regions that are socially and economically, as well as in terms of health resources, less favoured compared to Center macro-region. This finding is the evidence of low birth weight paradox. Access to prenatal care has to be improved, but it is also necessary to ensure proper medical care for pregnant women
Subject: Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (Brasil)
Recém-nascidos
Recém-nascido de baixo peso
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FCM - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Medeiros_GleniaJunqueiraMachado_M.pdf1.9 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.