Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/322181
Type: TESE DIGITAL
Title: Políticas e infraestruturas das ciências atmosféricas : um estudo social da modelagem climática no INPE
Title Alternative: The politics and infrastructures of atmospheric sciences : a social study of climate modeling in INPE
Author: Miguel, Jean Carlos Hochsprung, 1982-
Advisor: Monteiro, Marko Synesio Alves, 1975-
Abstract: Resumo: Essa tese investiga a prática da modelagem climática no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) do Brasil com o objetivo de compreender como modelos climáticos se tornaram ferramentas centrais nas redes de pesquisa e operação meteorológica e na política científica e climática nacional. Através da perspectiva dos Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia (ESCT), discute como modelos são construídos socialmente buscando conhecer quão extensas são as redes que autorizam os modelos climáticos a terem efetivamente uma importância científica e política. Metodologicamente, as práticas com modelos foram acompanhadas por meio da realização de entrevistas, participação em eventos científicos, análise documental e coleta de materiais a respeito do tema na internet. A pesquisa de campo ocorreu entre os anos de 2013 e 2016, período no qual visitas foram feitas ao Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do INPE. A partir das informações obtidas, analisa-se de que maneira a prática da modelagem no INPE constrói-se como parte de uma infraestrutura do conhecimento climático distribuída globalmente. Para isso, considera-se importante conhecer como tais infraestruturas foram construídas a partir de condições locais e de que maneira estas condições constituem a tecnociência da modelagem como conjunto de relações sociotécnicas politicamente valorizadas e orientadas. Estudam-se práticas de modelagem no INPE ¿ em grande parte focando na modelagem atmosférica global e do sistema terrestre ¿ para se pensar como foram implantadas essas práticas no Brasil e como elas se associam à política científica e tecnológica. A partir desse estudo, concluí-se que, ao desenvolver modelos climáticos brasileiros, os atores buscaram modernizar infraestruturas de pesquisa nacionais e conectar-se a redes científicas globais. Nesse processo, mobilizaram políticas científicas para atualizar infraestruturas e interferir nas dinâmicas entre atores do sistema nacional de meteorologia e das redes internacionais de pesquisa climática. A presente tese sustenta que a atualização de infraestruturas de pesquisa na área de ciências atmosféricas como as realizadas pelo INPE ocorre associada a um processo de disputa pela autoridade epistêmica e política do conhecimento meteorológico e climático em diferentes escalas nas quais estão presentes diferentes condições de desenvolvimento tecnocientífico dos atores envolvidos. Nesse processo, os atores são considerados globais ou nacionais de acordo com os padrões de produção científica estabelecidos por países centrais. Dentre eles, a atual supremacia epistêmica da modelagem climática faz com que os modelos se tornem foco privilegiado nas redes científicas internacionais e nacionais na área de estudos do clima

Abstract: This thesis investigates the practice of climate modeling in the Brazilian National Institute for Space Research (INPE) to understand how climate models become central tools in meteorological research and climate policies. Through the perspective of Science and Technology Studies (STS), the thesis investigates how climate models are socially constructed and how they become authoritative through extensive heterogeneous networks that enable them to have scientific and political importance. Methodologically, the modeling practices were analyzed through interviews, participation in scientific events and document analysis. The fieldwork was conducted between 2013 and 2016, during which visits were made to INPE's Center for Weather Forecasting and Climate Studies (CPTEC). Based on the information obtained in the fieldwork, the thesis anlyzes how modeling practices at INPE are constructed as part of a globally distributed climate knowledge infrastructure. We researched how climate infrastructures were constructed in the Brazilian context and in what way these conditions constitute modeling as a set of politically valued socio-technical relations. Such modeling practices were studied at INPE with a focus on global atmospheric modeling and earth system modeling, trying to assess how these practices were implemented in Brazil and how they are associated with a policy to foster the national climate sciences. The thesis concludes that in developing Brazilian climate models, the actors involved with climate science sought to modernize national research infrastructures and connect them to global scientific networks involved in modeling and climate research. This updating of research infrastructures in the field of atmospheric sciences in Brazil is associated with a dispute around the epistemic and political authority of meteorological and climatic knowledge at different scales of the governance of climate, in which different conditions of techno-scientific development are relevant. In these disputes, the actors are considered global or national according to standards of scientific production established by central countries; among them, the current epistemic supremacy of climate modeling makes models a privileged focus in international and national scientific networks in the climate area
Subject: Modelagem climatica
Ciência e tecnologia - Aspectos sociais
Mudanças climáticas
Meteorologia - Brasil
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2017
Appears in Collections:IG - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Miguel_JeanCarlosHochsprung_D.pdf2.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.