Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/322131
Type: TESE DIGITAL
Title: Efeito do treinamento resistido periodizado e não periodizado nos domínios cognitivos e morfofuncionais de idosas robustas
Title Alternative: Effect of periodized and non periodized resistance training in the cognitive and morphofunctional domains of health older women
Author: Coelho Junior, Hélio José, 1990-
Advisor: Uchida, Marco Carlos, 1971-
Abstract: Resumo: A diminuição da capacidade cognitiva e as alterações morfofuncionais são fenômenos associados ao envelhecimento, e necessitam de cautela, pois estão associadas ao aparecimento de síndromes geriátricas. O treinamento resistido não periodizado vem demonstrado ser uma interessante terapia para postergar, ou mesmo, evitar esses efeitos deletérios na velhice. No entanto, o treinamento periodizado, o qual tem demonstrado ser superior ao treinamento não periodizado para causar aumento das adaptações neuromusculares em adultos jovens, ainda é pouco estudado em idosos. Assim, os objetivos do presente estudo são verificar e comparar o efeito do treinamento resistido periodizado e não periodizado nas capacidades físicas, funcionais, domínios morfológicos e cognitivos de idosas robustas. Para isso, 45 idosas robustas foram recrutadas, e, posteriormente, randomizadas cegamente em três grupos: grupo treinamento periodizado (GP), grupo treinamento não periodizado (GNP) e grupo controle (GC). Ambos grupos de intervenção, GNP e GP, foram submetidos a 22 semanas de treinamento resistido, com frequência semanal de duas sessões, compostas por nove exercícios físicos que contemplavam os principais grupos musculares. Em ambas sessões semanais, dois estímulos diferentes eram oferecidos ao GNP, um de potência muscular (PM) e outro de força muscular (FM). A sessão de PM, era composta de 3 séries de 8-10 repetições submáximas, com intensidade três (i.e. moderado) na escala de percepção de esforço (CR-10). Todos os exercícios eram realizados com o auxílio de faixas elásticas, sendo a ação muscular concêntrica realizada com a maior velocidade possível. Na segunda sessão semanal, os voluntários realizavam três séries de 8-10 repetições submáximas, com intensidade 5-6 na escala de percepção de esforço (CR-10), em aparelhos de musculação. O GNP realizava apenas os exercícios de força, os mesmos do grupo GP nas duas sessões semanais. As avalições foram realizadas nos em quatro diferentes momentos: uma semana antes do início do programa (pré), 5a, 14a 23a (pós) semanas. As voluntárias eram avaliadas quanto sua composição corporal (i.e., massa corporal total, massa muscular total e percentual de gordura corporal), domínios cognitivos (i.e. geral, função executiva), físicos (i.e. força e potência muscular) e funcionais (i.e. mobilidade, transferência e equilíbrio). É possível verificar que, o GNP e GP são capazes melhorar a funcionalidade e os domínios cognitivos de idosas robustas. No entanto, o treinamento não periodizado foi capaz de causar aumento em todos os três testes funcionais analisados, enquanto o modelo de periodização ondulatória aumentava apenas a performance no teste de funcionalidade física (i.e., time up and go (TUG). Ademais, apenas o GNP apresentou aumento da massa muscular e nas capacidades físicas (i.e. FM e PM)

Abstract: Cognitive decline and morphofunctional alterations during aging need attention, due the association of these changes with geriatric syndromes. Non-periodized strength training has been demonstrated to be an interesting therapy to postpone, or even, avoid the deleterious effects of aging. However, periodized training, which has been shown to be better than non-periodized strength training to cause neuromuscular adaptations in young adults, has not been studied in older people. Thus, the aims of the present study are verify and compare the effects of non-periodized and periodized strength training regimens on cognitive and morphofunctional domains in older women. A randomized, experimental design was used for this study. Forty-five older women were randomly blinded allocated into three groups: non-periodized group (NPG), periodized group (PG) and control group (CG). Both intervention groups trained twice a week for 16 weeks. PG performed two different exercise sessions per week, muscle power (MP) and muscle strength (MS). The first session, was composed by three sets of 8¿10 repetitions of each exercise, at the intensity level was three (i.e. moderate intensity) on the rated of perceived exertion scale (CR-10). All exercises were performed with elastic bands and the concentric muscle contraction was performed as fast as possible. During the second session, volunteers performed three sets of 8¿10 repetitions of each exercise, at the intensity level between 5 and 6 (i.e. difficult intensity) on CR-10, in resistance training machines. NPG performed two sessions of strength exercises, with an identical MS protocol of PG. Measurements were performed in the following moments: one week before the begin of the exercise program (pre), 5th, 14th, 23rd(post) weeks. Volunteers were evaluated regarding their body composition (i.e. total body mass, total muscle mass and total fat mass), cognitive domains (i.e. general and executive function), physical (i.e. power and strength) and functional (i.e. mobility, mobility and balance). Functionality and cognitive domain increase in PG and NPG in older women. However, NPG showed increase on all functional tests, whereas PG presented increase just on ¨time up and go¨ test performance. Furthermore, NPG was the only group which showed increase on muscle mass and in physical capacities (i.e. MS and MP)
Subject: Treinamento
Periodização
Cognição
Autonomia
Idosos
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FEF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
CoelhoJunior_HelioJose_M.pdf1.97 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.