Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/321971
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Pais como parceiros de comunicação de crianças com transtorno do espectro do autismo : suas percepções frente a linguagem, interação e ao uso da comunicação suplementar e/ou alternativa
Title Alternative: Parents as communication partners of children with autism spectrum disorders : their perceptions with regards to language, interaction and augmentative and alternative communication usage
Author: Kinoshita, Renato Lyuiti, 1987-
Advisor: Chun, Regina Yu Shon, 1958-
Abstract: Resumo: Introdução: A Comunicação Suplementar e/ou Alternativa (CSA) se amplia no Brasil no âmbito clínico-educacional nas últimas décadas. No contexto da pessoa com deficiência, destacam-se aquelas com necessidades complexas de comunicação, que comprometem a interação e participação social, como no caso do Transtorno do Espectro Autista (TEA), em que uma parcela não tem sucesso em adquirir a linguagem oral, havendo evidências de que podem utilizar a CSA de forma funcional, enquanto a fala é desenvolvida. O sucesso das intervenções com CSA depende, não somente da pessoa com TEA, como também de seus parceiros de comunicação, foco deste estudo. Objetivo: Analisar a percepção de familiares, parceiros de comunicação, de crianças com TEA nos aspectos de linguagem, interação e uso da CSA. Sujeitos e Método: A pesquisa foi aprovada pelo CEP da FCM/UNICAMP sob nº CAAE 36945314.30000.5404. Trata-se de pesquisa longitudinal de abordagem quantitativa e qualitativa. A amostra é constituída por dez participantes, familiares de nove crianças com diagnóstico de TEA de uma instituição especializada do interior de São Paulo. Os procedimentos de coleta abrangeram: (i) levantamento dos prontuários para caracterização dos perfis sociodemograficos dos familiares e das crianças; (ii) registros escritos e em vídeo de grupos fonoaudiológicos com familiares de crianças com TEA ao longo de 12 meses de acompanhamento fonoaudiológico e (iii) Diários de comunicação entre o profissional e a família, escritos pelos familiares. A partir de diversas leituras dos dados foram estabelecidos os seguintes eixos temáticos de análise (i) Formas de Comunicação e Condições de Linguagem; (ii) Formas de Interação (iii) Usos da CSA; (iiii) Fatores de preocupação e dificuldades encontradas (iiiii) Atitudes dos parceiros de Comunicação. Os episódios dos registros escritos e em vídeos mais significativos para os objetivos do estudo foram transcritos ortograficamente para análise. Resultados: A partir da implementação do uso de CSA, no período inicial, verifica-se na percepção dos pais, ao final da pesquisa, incremento de produção de fala para grande parte (88,8%) das crianças. A interação era restrita aos familiares inicialmente, com maior favorecimento e ampliação de interlocutores, ao longo do estudo. Todas as crianças não tinham contato com CSA no início e todas passaram a usar, sendo 33,3% com auxílio com e outros 66,6% de forma funcional. Na fase inicial, 90% dos participantes relataram preocupação com o futuro e angústia com a comunicação. Observam-se mudanças de atitudes dos familiares, ao final da pesquisa, sendo que 70% dedicam mais tempo às crianças e 50% referem proporcionar novas atividades. Conclusão: Os achados indicam que na percepção dos familiares, inicialmente as crianças apresentavam grande dificuldade de comunicação e interação. Ao longo do estudo, a implementação da CSA se mostra como facilitador da comunicação das crianças e interação com seus parceiros. Observam-se, ao final do período estudado, mudanças na linguagem, na interação entre as crianças e seus parceiros e nas atitudes das famílias, expressas nos relatos dos diários de comunicação, que refletiram no desenvolvimento dos filhos, como mostram os achados

Abstract: Introduction: The Augmentative and/or Alternative Communication (AAC) has been expanding in Brazil both in clinical and educational contexts in recent decades. In the context of individuals with disabilities, those with complex communication needs, which may undermine their social interaction and participation, stand out. This is the case of Autism Spectrum Disorders (ASD), in which a portion of the individuals does not succeed in acquiring speech language, thus evidences show they may use AAC in a functional manner, while speech is being developed. The success of interventions with AAC depends not only on the individual with ASD, but also on their communication partners, the focus of this study. Objective: Analyzing the perception of families, communication partners, of children with ASD in the aspects of language, interaction and AAC usage. Subjects and Methods: This research has been duly approved by the Research Ethics Committee at FCM / UNICAMP under nº CAAE 36945314.30000.5404. This is a clinical and qualitative research of a descriptive, participatory and longitudinal character. It was conducted in a specialized institution in the state of São Paulo. The sample consists of ten participants, family of nine children diagnosed with ASD. The data colletion procedures included: (i) survey of medical records for the characterization of sociodemographic profiles of families and children; (ii) written and video recordings of speech and language therapy groups with families of children with ASD throughout 12 months of therapeutical monitoring and (iii) Communication diary between the professional and the families, kept by the family. After several readings of the collected data, some themes were established for analysis: (i) Communication Method and Language Conditions; (ii) Forms of Interaction; (iii) AAC Usage; (iiii) Factors of concern and difficulties encountered (iiiii) Attitudes of the Communication Partners, which were being refined by relevance and repetition. The most significant episodes on written and video recordings of this study were orthographically transcribed for analysis. Results: Since the ACC usage implementation in the beginning, up until the end of the research, in the parents¿ perception, an increase in the speech production of the greatest part of the children (88,8%) was found. The interaction was initially restricted to the family, becoming more favored and expanded to the interlocutors throughout the study. At the beginning, none of the children had had any contact with AAC and all have come to use it eventually, 33,3% of them with some aid and the other 66,6% in a functional manner. In the beginning, 90% of the participants would report some kind of concern with the future and affliction with communication. It was observed a change of heart by the family, at the end of the study, having 70% of them dedicated more time to the children and 50% refer providing them new activities. Conclusion: The findings indicate that, initially, the families¿ perceptions of the children would be of a great difficulty in communication and interaction. Throughout the study, the AAC implementation would come as a communication facilitator for the children and their interaction with their partners. By the end of the study period, it was possible to identify language changes, changes in the interaction between the children and their partners and also in the family¿s attitudes, expressed in the reports of the communication diaries, which reflected in the children's development, as shown in the findings
Subject: Comunicação não-verbal
Fonoaudiologia
Transtorno autístico
Relações familiares
Editor: [s.n.]
Citation: KINOSHITA, Renato Lyuiti. Pais como parceiros de comunicação de crianças com transtorno do espectro do autismo: suas percepções frente a linguagem, interação e ao uso da comunicação suplementar e/ou alternativa. 2016. 1 recurso online (61 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/321971>. Acesso em: 1 set. 2018.
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Kinoshita_RenatoLyuiti_M.pdf994.36 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.