Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/321748
Type: TESE DIGITAL
Title: Facilitadores do cuidado, conforme a avaliação de cuidadores familiares de idosos física e cognitivamente dependentes
Title Alternative: Facilitators of caregiving, according to the evaluation of family caregivers of physical and cognitively dependent elderly
Author: Alves, Giovanni Vendramini, 1990-
Advisor: Neri, Anita Liberalesso, 1946-
Abstract: Resumo: Cuidar de familiares idosos com dependência física e cognitiva expõe os cuidadores a múltiplos estressores objetivos e subjetivos. Recursos sociais e pessoais podem ajudá-los a manejar os estressores, preservando a saúde e o bem-estar subjetivo. Objetivo: Investigar condições facilitadoras do cuidado segundo a opinião de cuidadores familiares e identificar associações entre os facilitadores, o gênero e a idade do cuidador, seu grau de parentesco com o alvo de cuidados e o nível de dependência destes últimos. Métodos: Estudo quali-quantitativo com 138 cuidadores com 60 anos e mais, sendo 104 mulheres. Foram entrevistados em domicílio, em consultórios médicos privados e em um ambulatório de Geriatria. Os facilitadores do cuidado foram derivados da análise do conteúdo das respostas dos cuidadores à uma questão aberta sobre o que mais os ajudava a realizar o cuidado. As outras variáveis foram avaliadas por meio de itens fechados. Resultados: Os resultados dessa dissertação são apresentados em 3 artigos. Quatro temas emergiram da análise de conteúdo: estratégias de enfrentamento (46,4% de emissões), condições de contexto (8,7%), condições pessoais (59,4%) e elementos motivacionais (39,8%). As mulheres relataram mais estratégias de enfrentamento do que os homens (p=0,039) que, por sua vez, mencionaram mais condições pessoais (p=0,023) e elementos motivacionais (p=0,001) como fontes que auxiliavam na prestação de cuidados. Os homens eram mais velhos e prestavam cuidados a idosos com menor grau de comprometimento físico e cognitivo, enquanto as mulheres prestavam cuidados a idosos mais dependentes física e cognitivamente. Cuidadores mais velhos tendiam a cuidar do cônjuge; os mais jovens, dos progenitores. Menções ao uso de estratégias de enfrentamento com foco na emoção e a condições do contexto foram mais frequentes em cuidadores com idade entre 60 e 64 anos. Conclusões: O uso de recursos pessoais prevaleceu sobre o uso de recursos sociais, mais raros e de mais difícil acesso

Abstract: Caring for family elderly physically and cognitively dependent exposes caregivers to multiple objective and subjective stressors. Social and personal resources can help them to manage the stressors, preserving the health and subjective well-being. Aims: To investigate facilitative conditions of care in the opinion of family caregivers and identify associations between the facilitators, gender and age of the caregiver, their relationship to the care recipient, and the level of dependency of the latter. Methods: quantitative and qualitative study with 138 carers aged over 60, being 104 women. They were interviewed at home, in private medical offices and a clinic for geriatrics. The care facilitators were derived from content analysis of the answers of caregivers to an open question about what most helped them perform care. The other variables were evaluated using closed items. Results: The results of this dissertation are presented in 3 articles. Four themes emerged from content analysis: coping strategies (46,4%), context conditions (8,7%), personal conditions (59,4%) and motivational elements (39,8%) . Women reported more coping strategies than men (p=0,039), who mentioned more personal conditions (p=0,023) and motivational elements (p=0,001) as motivating conditions that helped then provide care. Men caregivers were older and cared for the elderly with a lower degree of functional impairment compared to women caregivers. Women had been providing care to family members with greater physical and cognitive impairment Older caregivers cared for spouses and younger caregivers for their parents. Caregivers aged between 60 and 64 mentioned greater use of coping strategies focused on emotion and context conditions. Conclusion: The use of personal resources was more prevalent than the use of social resources, probably more scarce e less accessible to the caregivers
Subject: Cuidadores
Idosos
Família
Apoio social
Resiliência psicológica
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Alves_GiovanniVendramini_M.pdf1.82 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.