Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/321638
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Ecology of the marsupials Didelphis aurita and Metachirus nudicaudatus = Ecologia dos marsupiais Didelphis aurita e Metachirus nudicaudatus
Title Alternative: Ecologia dos marsupiais Didelphis aurita e Metachirus nudicaudatus
Author: Kuhnen, Vanessa Villanova, 1982-
Advisor: Setz, Eleonore Zulnara Freire, 1953-
Abstract: Resumo: A maneira como as espécies coexistem depende, em parte, de como os organismos utilizam o ambiente e seus recursos. Se duas espécies simpátricas possuem necessidades ecológicas similares, há uma sobreposição de nicho. Desta forma, a coexistência destas espécies será possível a partir de mudanças em seu nicho trófico realizado, como por exemplo, através de divisões de recursos ao longo do tempo e/ou do espaço. A forma como as espécies irão dividir seus nichos pode depender de fatores dependentes ou independentes de sua densidade. Se uma das duas espécies possuir características que fazem dela um melhor competidor, como por exemplo, hábitos generalistas, um tamanho corpóreo maior e comportamento agressivo, é esperado que será a abundância desta espécie que influenciará as mudanças nos parâmetros demográficos e/ou no nicho realizado da outra espécie. Didelphis aurita e Metachirus nudicaudatus são duas espécies de marsupiais que coocorrem em toda Mata Atlântica e possuem características semelhantes (i.e., são solitários, noturnos e onívoros). Apesar de algumas semelhanças, indivíduos de D. aurita tem cerca de três vezes o tamanho de M. nudicaudatus, possuem comportamento agressivo, sua dieta é considerada a mais generalista dentre todos os marsupiais brasileiros, e são capazes de explorar todos os estratos da floresta. Devido a estas características, D. aurita é considerado um mesopredador da Mata Atlântica. Desta forma, tendo em vista o potencial superior de competitividade de D. aurita e a similaridade com a biologia de M. nudicaudatus, é esperado que a abundância de D. aurita tenha efeito negativo sobre M. nudicaudatus. Neste contexto, o objetivo geral desta tese foi investigar as relações interespecíficas que mediam a coocorrência destas duas espécies. Para isto, investigamos se D. aurita e M. nudicaudatus dividem o uso do espaço e dos recursos alimentares. Posteriormente, investigamos se a ausência de predadores de topo (i.e., grandes felinos) altera as abundâncias e a sobreposição das dietas das duas espécies. Por fim, investigamos se a abundância de D. aurita influencia os parâmetros populacionais de M. nudicaudatus. Nossos resultados demonstraram que o nicho trófico destas espécies é mais similar do que previa a literatura, e que M. nudicaudatus pode ser tão generalista quanto D. aurita. Também descobrimos uma evidente segregação espacial, o que sugere que a divisão do nicho espacial é o mecanismo que permite a coocorrência das espécies na área estudada. De acordo com nossos resultados, a ausência de predadores de topo aumenta a proporção entre a abundância de D. aurita e de M. nudicaudatus e altera o nicho trófico realizado das duas espécies. Na ausência de predadores de topo, D. aurita expande seu nicho trófico realizado, retraindo-o na presença de predadores. Já para M. nudicaudatus ocorre o padrão inverso. Além disto, observamos que todos os parâmetros demográficos de M. nudicaudatus tiveram uma relação negativa com a abundância de D. aurita. Isto indica que em um cenário onde D. aurita é a mais abundante, e em uma curta escala de tempo, a relação interespecífica com D. aurita é mais relevante para a população de M. nudicaudatus do que qualquer outra co-variável ambiental. Os resultados aqui apresentados inovam ao demonstrar que D. aurita afeta negativamente diferentes aspectos da ecologia de M. nudicaudatus, lançando uma nova perspectiva da influência deste mesopredador sobre outras espécies

Abstract: The way to how species co-exist partly depends on how organisms utilize their environment and resources. If two sympatric species have similar ecological requirements, there is a niche overlap. Therefore, its coexistence may arise from shifts on its realized niche, for example, through partitioning resources along temporal, spatial and/or behavioral niche axes. Several factors can affect the co-existence and niche partitioning of two species, including dependent and independent density factors. If one of the two species has distinguish traits that make them a better competitor, such as generalist habits, larger size and/or aggressive behavior, it is expected that this will be the species that will drive shifts in the other species realized niche and/or its demographic parameters. Didelphis aurita and Metachirus nudicaudatus are two sympatric marsupials of the Atlantic Forest that have similar ecological requirements (i.e., solitary, nocturnal, omnivores). Although such similarities, individuals of D. aurita are about three times the size of M. nudicaudatus, are more aggressive, its diet is considered the most generalist among the Brazilian marsupials, and are the species is able to use all the forest strata. Because of such traits, D. aurita is considered a mesopredator. Therefore, taking into account the higher potential of D. aurita competitiveness and its similarity with M. nudicaudatus biology, it is expected that D. aurita¿s population abundance will have a negative effect on M. nudicaudatus population. In this context, the general objective of this thesis was to investigate the interspecific relationships that mediate the co-occurrence of these two Neotropical marsupials. For this, we investigated if there is trophic or spatial niche partitioning among the two species. Subsequently, we investigated if the absence of top predators (e.g. large felids) changes the abundances and the diet overlap of D. aurita e M. nudicaudatus. Finally, we investigated if D. aurita¿s abundance affects the demographic parameters of M. nudicaudatus. Our results demonstrated that the trophic niche of the two species is more similar than previously thought, and that M. nudicaudatus diet can be as generalist as D. aurita. We also found an evident spatial segregation in the area used by the two species, which indicates that spatial partitioning is the mechanism that enables the co-occurrence. According to our results, top predators extirpation increases the proportion of D. aurita by M. nudicaudatus population abundances and alters the species¿ realized trophic niche. Without top predators control, D. aurita expands its realized trophic niche, but retracts it when predators occurs. The opposite scenario was observed for M. nudicaudatus. Besides that, we found that all demographic parameters of M. nudicaudatus showed a negative relation to D. aurita¿s abundance. Indicating that the interspecific relationship with D. aurita seems to be more relevant to drive M. nudicaudatus¿ population than any other environmental covariate, at least in a short timescale and when D. aurita is the more abundant of the two species. The findings presented here innovate demonstrating that D. aurita negatively affects different aspects of M. nudicaudatus ecology and introduce a new perspective of the influence of this mesopredador on other species
Subject: Didelphimorphia
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Citation: KUHNEN, Vanessa Villanova. Ecology of the marsupials Didelphis aurita and Metachirus nudicaudatus = Ecologia dos marsupiais Didelphis aurita e Metachirus nudicaudatus. 2016. 1 recurso online ( 142 p.). Tese (doutorado) Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/321638>. Acesso em: 30 ago. 2018.
Date Issue: 2016
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Kuhnen_VanessaVillanova_D.pdf3.23 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.