Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/321591
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Avaliação de um programa de treinamento para residentes na comunicação de más notícias em perinatologia utilizando pacientes simulados = ensaio controlado e aleatorizado = Evaluation of a training program for residents to communicate bad news in Perinatology utilizing simulated patients: a randomized controlled trail
Title Alternative: Evaluation of a training program for residents to communicate bad news in Perinatology utilizing simulated patients : a randomized controlled trail
Author: Setubal, Maria Silvia Vellutini, 1957-
Advisor: Amaral, Eliana Martorano, 1960-
Abstract: Resumo: Introdução: Transmitir más notícias para pais sobre uma perda perinatal é uma tarefa difícil para residentes. A maneira como se dá a comunicação é impactante e potencialmente desastrosa. A habilidade de comunicar más notícias pode ser aprendida e melhorar com a prática. Objetivos: Avaliar um programa de treinamento para residentes em Tocoginecologia e Pediatria na comunicação de más notícias em perinatologia utilizando modelo SPIKES com pacientes simulados e avaliar a percepção dos residentes acerca dessa intervenção educacional. Método: Realizou-se um estudo aleatorizado de uma intervenção com residentes de primeiro a quarto ano da Pediatria e Obstetrícia da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). A intervenção constou de uma sessão de revisão do vídeo e reflexão sobre a experiência de um atendimento com comunicação de óbito perinatal, apoiado na estratégia SPIKES - um acrônimo para Setting (ambiente), Perception (percepção), Invitation (preparação), Knowledge (conhecimento), Emotions (emoções) e Summary (resumo). Após aceitarem e assinarem o termo de consentimento informado, os voluntários participaram de uma primeira consulta simulada (CS1) seguida de feedback imediato da atriz treinada como mãe, que recebe a notícia da morte iminente do seu bebê recém-nascido (Pediatria) ou de morte fetal (Obstetrícia). A consulta e feedback foram gravados e filmados. A seguir, foram aleatorizados para um treinamento baseado no modelo SPIKES utilizando a filmagem da CS1 (grupo de intervenção), ou não receberem treinamento (controle). Posteriormente, todos os residentes retornaram para uma segunda consulta (CS2) análoga à CS1, com a mesma paciente simulada (PS), cega à intervenção. Avaliaram-se as habilidades dos residentes em transmitir más notícias segundo a avaliação da PS em ambas as consultas e a percepção dos residentes sobre o treinamento. A análise estatística dos fatores associados ao desemprenho dos residentes utilizou RM-ANCOVA de medidas repetidas. As avaliações da seção de treinamento SPIKES pelos residentes basearam-se na distribuição percentual das respostas e análise temática do conteúdo dos seus comentários. Resultados: Trinta e um dos 50 residentes elegíveis (62% Pediatria) e 30 dos 50 elegíveis (60% Obstetrícia) aceitaram participar do estudo. Um total de 58 residentes completaram todas as etapas do projeto. As consultas simuladas duraram, em média, 12 minutos, o feedback, 5 minutos, e o treinamento SPIKES, entre uma hora (individual) e duas horas e meia (até quatro residentes). Não houve diferença significativa nas avaliações dos desempenhos dos residentes pelas PS entre grupo SPIKES e controle (p=0.55). Mais de 90% dos participantes avaliaram a atividade de simulação com feedback como de alto valor educativo. O treinamento SPIKES foi muito bem avaliado pelo grupo de intervenção e a análise dos comentários dos residentes mostrou o interesse e a necessidade de treinamentos similares em comunicação de más notícias. Conclusão: A sessão de treinamento não teve impacto na performance dos residentes. Simulação com feedback da PS e revisão de vídeos com discussão e reflexão foram endossadas pelos residentes como modalidades de treinamento para transmissão de más notícias. Residentes desejam treinamento em más notícias

Abstract: Introduction: Breaking bad news (BBN) to parents about perinatal loss is one of the most difficult tasks for residents. Its psychological impact on parents is potentially disastrous. The ability to communicate bad news can be learned and improved with practice. Objectives: To compare Obstetrics and Pediatrics resident's communication skills to break bad news to simulated patients in perinatology, before and after a SPIKES training session, with a control group. To evaluate the residents' perception of this educational intervention activity. Methodology: A randomized intervention study with first to fourth year Pediatrics and Obstetrics residents from University of Campinas (UNICAMP) Medical School, Brazil was conducted. Intervention included a session revising the videos and reflecting upon the experience of a simulated encounter with feedback from the simulated patient (SP), with SPIKES strategy ¿ an acronym for Setting, Perception, Invitation, Knowledge, Emotions and Summary ¿ as a model. After accepting and signing the consent form the volunteers participated in a first simulated encounter (SE1) with an actress trained as a mother who received news about her newborn imminent death (Pediatrics) or a fetal death (Obstetrics), followed by her immediate feedback. The encounter and the feedback were recorded. Residents were then randomly assigned to a training session based on SPIKES model using the videos from SE1 (intervention) or to no training (control group). Afterwards, all residents returned for a second similar simulated encounter (SE2), with the same SP blinded to the intervention. Outcomes were SPs¿ evaluation of residents' skills to transmit bad news at both encounters and residents' perceptions of the intervention activity. Statistical analysis of the factors associated with residents' performances used repeated measures analysis of covariance (RM-ANCOVA). The residents' evaluation of SPIKES training session were based on their answers' percentage distribution and on the thematic analysis of their commentaries' content. Results: Thirty-one of 50 (62%) eligible Pediatrics' residents and 30 of 50 (60%) Obstetrics' were enrolled and 58 completed all the project's stages. On average, simulations lasted 12 minutes; feedback 5 minutes; and SPIKES training from 1 hour (individual) to 2.5 hours (until 4 residents). There was no significant difference between SPIKES group and the controls according to standardized patients' assessments (p=0.055). SPIKES training session was highly valued by residents in the intervention group and their comments' analysis showed interest and need for similar training in BBN. Conclusion: SPIKES training session did not impact residents¿ performances. Simulation with SP feedback and video reviews with discussions and reflection were endorsed by residents as training modalities to transmit bad news. Residents want BBN training
Subject: Educação médica
Comunicação em saúde
Simulação de paciente
Internato e residência
Perinatologia
Editor: [s.n.]
Citation: SETUBAL, Maria Silvia Vellutini. Avaliação de um programa de treinamento para residentes na comunicação de más notícias em perinatologia utilizando pacientes simulados: ensaio controlado e aleatorizado = Evaluation of a training program for residents to communicate bad news in Perinatology utilizing simulated patients: a randomized controlled trail. 2016. 1 recurso online (133 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/321591>. Acesso em: 31 ago. 2018.
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Setubal_MariaSilviaVellutini_D.pdf2.59 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.