Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/321509
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Tradução, adaptação transcultural e validação do instrumento Oral Health Literacy Assessment para o português brasileiro = Translation, cross-cultural adaptation and validation of the instrument Oral Health Literacy Assessment to brazilian portuguese
Title Alternative: Translation, cross-cultural adaptation and validation of the instrument Oral Health Literacy Assessment to brazilian portuguese
Author: Bado, Fernanda Maria Rovai, 1985-
Advisor: Mialhe, Fabio Luiz, 1972-
Abstract: Resumo: O letramento em saúde indica o grau com que os indivíduos são capazes de obter, processar e compreender informações e serviços básicos de saúde, necessários para tomar decisões de saúde apropriadas. O letramento em saúde bucal (LSB) é um campo ainda pouco explorado no Brasil e, portanto, com várias potencialidades a serem descobertas. O presente estudo objetivou traduzir, adaptar culturalmente e validar um instrumento de aferição do LSB, o Oral Health Literacy Assessment-Spanish (OHLA-S) para o Português Brasileiro, bem como verificar as variáveis associadas ao LSB. Inicialmente, o OHLA-S foi submetido à tradução para o Português Brasileiro, retradução para Espanhol, revisão por um comitê de especialistas e pré-teste. No pré-teste, o questionário foi aplicado em 20 adultos, selecionados de uma Unidade de Saúde da Família de Piracicaba, SP. Em seguida, foi verificada a validade e confiabilidade da versão brasileira do instrumento OHLA-S(OHLA-B), aplicado em 250 adultos (63,2% do gênero feminino), de 20 a 59 anos, selecionados nas áreas de abrangência da mesma Unidade. O teste de pronúncia e compreensão do OHLA-B foi avaliado por meio de escores que variaram de 0 a 24. Foram avaliadas a consistência interna (alfa de Cronbach), a estabilidade temporal (coeficiente de correlação intraclasse ¿ CCI) e a validade (critério, discriminante e preditiva). Foram testadas as associações entre o letramento em saúde bucal, obtido pelo OHLA, e as covariáveis: experiência de cárie, condição periodontal, nível educacional, renda familiar, hábitos de higiene bucal, auto percepção de saúde bucal e saúde geral. Adicionalmente, foi aplicado o instrumento de qualidade de vida Oral Health Impact Profile (OHIP-14). Os resultados da fase de adaptação transcultural indicaram que o OHLA-B foi bem compreendido pela população do estudo. Mais da metade da amostra pertencente à fase de validação apresentava o 2º grau completo (52,4%) e 38,4% declararam renda de até 2 salários mínimos. Clinicamente, a amostra apresentou média do índice CPOD de 14±8,9 (componente obturado= 86,8%) e 48,8% possuía bolsa periodontal ou sextante excluído devido às perdas dentárias. Na fase de validação do instrumento, observou-se que ele apresentou consistência interna aceitável (alfa de Cronbach=0,76)e excelente a perfeita reprodutibilidade teste-reteste (CCI=0,92)demonstrando alta confiabilidade.O OHLA-B apresentou correlação negativa com a dimensão limitação funcional do OHIP-14, ou seja, quanto menor o escore do LSB, mais comprometida a qualidade de vida do indivíduo no quesito limitação funcional. Além disso, foram observada associações estatisticamente significativas entre maiores escores do OHLA-B e indivíduos com maiores níveis de escolaridade, renda ? 6 salários mínimos e maior frequência de escovação e uso do fio dental. Por outro lado, associações foram encontradas entre menor escore do OHLA-B e indivíduos com índice CPOD>12, presença de bolsa periodontal/sextante excluído e autopercepção da saúde geral regular/ruim, respectivamente. Dentre todas as covariáveis estudadas, as que mais se associaram ao maior escore do OHLA-B foram: maior nível educacional, renda e idade. Conclui-se que o OHLA-B mostrou ser bem compreendido, válido e confiável para avaliação do letramento em saúde bucal de adultos brasileiros e seus escores estiveram associados a variáveis psicossociais e econômicas

Abstract: Health literacy is related to the degree to which individuals obtain, process and understand information on basic health and services needed to make appropriate health decisions. Oral health literacy (OHL) is an evolving field in Brazil and very applicable in public health areas. This study was aimed at a translation (Spanish into Portuguese), cross-cultural adaptation, and validation of an OHL measurement tool ¿ the Oral Health Literacy Assessment Spanish (OHLA-S) ¿ and the variables associated with the OHL. Initially, OHLA-S was translated into Portuguese (OHLA-B), back-translated into Spanish, evaluated, and pre-tested. During the pre-test, the questionnaire was applied to 20 adults, selected from a public health unit in Piracicaba, Sao Paulo, Brazil. The validation process involved 250 adults (63.2% females), aged 20¿59 years, selected from the same health unit. The pronunciation and comprehension tests of OHLA-B were assessed using scores: 0 to 24. The internal consistency (Cronbach's alpha), temporal stability (intra-class correlation coefficient - ICC) and validity (criterion, discriminant and predictive) were assessed. The scores of OHLA-B were compared based on decayed experience, periodontal condition (CPI Index), educational level, family income, oral hygiene (brushing and use of dental floss), oral health and general health perception. The tool Oral Health Impact Profile (OHIP-14) was applied too. The pre-test results indicated that the OHLA-B was well understood by the study population. Half of the sample belonging to the validation phase had graduated from high school (52.4%), 38.4% had an income of two minimum salaries, average DMFT of 14 ± 8.9 (filled component = 86.8%), and periodontal pocket 4 mm or excluded sextant (48.8%).The instrument showed acceptable internal consistency (Cronbach¿s alpha=0.76) and excellent to perfect temporal stability (ICC=0.92). OHLA-B was negatively correlated with the functional limitation dimension of the OHIP-14.The highest OHLA-B score was found for individuals with higher education, income ? 6 minimum salaries, and higher frequency of brushing and flossing. The lowest OHLA-B score was observed for individuals with a DMFT index> 12, periodontal pocket or excluded sextant, and self-perceived (fair/poor) general health. Among the variables assessed, higher educational level, income and age showed the highest OHLA-B scores. In conclusion, OHLA-B proved a well understood, valid, and reliable instrument for assessing oral health literacy in Brazilian adults
Subject: Alfabetização em saúde
Saúde bucal
Tradução
Estudos de validação
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bado_FernandaMariaRovai_M.pdf2.22 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.