Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/321396
Type: TESE DIGITAL
Title: Ultrafiltration of surfactin and mannosylerythritol lipids produced using cassava wastewater as substrate = Ultrafiltração da surfactina e manosileritritol lipídeos produzidos com manipueira como substrato
Title Alternative: Ultrafiltração da surfactina e manosileritritol lipídeos produzidos com manipueira como substrato
Author: Andrade, Cristiano José de, 1984-
Advisor: Pastore, Gláucia Maria, 1953-
Abstract: Resumo: A implantação de processos biotecnológicos incluindo a produção de enzimas, peptídeos, bioaromas, biossurfactantes, entre outros, tem aumentado de forma relevante. De modo geral, o processo de purificação representa ? 60% do custo de produção de biossurfactantes, enquanto o meio de cultura ? 30%. Este estudo descreve, pela primeira vez, a ultrafiltração de dois biossurfactantes (estudos independentes) que foram produzidos com resíduo agroindustrial como meio de cultura, ou seja, surfactina por Bacillus subtilis LB5a e manosileritritol lipídeos por Pseudozyma tsukubaensis, ambos usando manipueira como meio de cultura. A surfactina foi produzida por Bacillus subtilis LB5a em bioreator (3 litros de volume de trabalho). A espuma (alto teor de surfactina) foi coletada pelo topo do bioreator e utilizada para os cálculos de rendimento do processo e avaliação da purificação por ultrafiltração. Foram produzidos ? 336,66 mg de surfactina por litro de meio de cultura. A ultrafiltração da surfactina foi realizada em duas etapas nas quais (i) as micelas de surfactinas foram retidas e, (ii) a adição de solvente orgânico (etanol) provocou a desestabilização das micelas de surfactina, permitindo que as moléculas de surfactina livres (não agregadas) fossem recuperadas no permeado. O processo de ultrafiltração utilizou membranas de polietersulfônica com dois pontos de corte molar, 100 kDa e 50 kDa. Sendo a melhor estratégia à utilização da membrana de 100 kDa na primeira etapa de ultrafiltração e 50 kDa na segunda etapa de ultrafiltração. A ultrafiltração do biossurfactante bruto foi associada com incrustação e/ou polarização por concentração. No entanto, a ultrafiltração do biossurfactante semipurificado resultou em alta recuperação da surfactina (78,25%) com elevada separação das proteínas e redução dos efeitos de incrustação e polarização por concentração. Assim, por um lado o uso de manipueira para a produção de surfactina reduz o custo de produção. Por outro lado, dificulta o processo de purificação. Visto que as etapas de produção, purificação e aplicação devem ser avaliadas sequencialmente, o uso da manipueira como meio de cultura deve ser integrado a um tratamento para a retirada das proteínas da manipueira antes do processo fermentativo, ou anteriormente as etapas de ultrafiltração (teor de proteínas reduzido), como por exemplo a precipitação ácida e extração por solvente orgânico, ou ainda por processos de purificação alternativos a ultrafiltração, como por exemplo a coluna de bolhas. A identificação estrutural química da surfactina foi realizada por duas análises, (i) ionização por dessorção a laser assistida por matriz seguida pela detecção em um analisador do tipo tempo de vôo e, (ii) espectroscopia de ressônancia nuclear magnética. Atráves destas técnicas foram identificadas 11 isoformas potenciais de surfactina, que por sua vez foram compostas por duas sequências de aminoácidos (Glu1-Leu2-Leu3-Val4-Asp5-Leu6-Leu7) e (Glu1'-Leu2'-Leu3'-Val4'-Asp5'-Leu6'-Val7'). Os manosileritritol lipídeos foram produzidos por Pseudozyma tsukubaensis em bioreator (3 litros de volume de trabalho) usando manipueira como meio de cultura. A espuma (alto teor de manosileritritol lipídeos) foi coletada pelo topo do bioreator e utilizada para os cálculos de rendimento do processo e avaliação da purificação por ultrafiltração. Foram produzidos ? 1,26 g de manosileritritol lipídeos por litro de meio de cultura, mostrando que a manipueira é um meio de cultura adequado a produção de manosileritritol lipídeos por Pseudozyma tsukubaensis. Os experimentos de ultrafiltração com os manosileritritol lipídeos, removeram ? 95% de proteínas e retiveram (vesículas) ? 80% dos manosileritritol lipídeos. Portanto, uma única etapa de ultrafiltração foi necessária para a purificação dos manosileritritol lipídeos. O processo de ultrafiltração foi escalonado de 20 mL (dispositivo de centrifugação) para 500 mL (equipamento de ultrafiltração de bancada), e os resultados não mostraram disparidade. A produção de manosileritritol lipídeos-B pela linhagem de Pseudozyma tsukunbaensis foi confirmada por cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massa, ionização por dessorção a laser assistida por matriz seguida pela detecção em um analisador do tipo tempo de vôo e espectroscopia de ressônancia nuclear magnética, sendo também identificado um segundo estereoisômeros (? 9%) relacionado ao eritritol. A recuperação de manosileritritol lipídeos-B pela formação e arraste de espuma no bioreator integrada à ultrafiltração é uma notável alternativa de purificação, ao invés da convencional extração com acetato de etila seguido da purificação em coluna de sílica. Após estabelecer a produção e purificação de biossurfactantes, esses compostos foram avaliados quanto ao seu potencial para a recuperação avançada de petróleo. Os experimentos foram realizados com 3 tipos de petróleo, leve, médio e pesado. Baseado nos resultados obtidos nos testes de deslocamento de óleo e índice de emulsão, manosileritritol lipídeos-B são mais eficientes para o processo de recuperação avançada de petróleo do que a surfactina, em particular para o petróleo pesado

Abstract: The set of biotechnological processes including the production of enzymes, peptides, bioflavours, biosurfactants, among other, is significantly increasing. In general, the purification process represents ? 60% of production cost of biosurfactants, whereas the culture medium ? 30%. This study describes, for the first time, the ultrafiltration of two biosurfactants (independent studies), which were produced using an industrial waste as culture medium, that is, surfactin by Bacillus subtilis LB5a and mannosylerythritol lipids by Pseudozyma tsukubaensis. Surfactin was produced by Bacillus subtilis LB5a at top-bench bioreactor scale (3 liters of working volume). The foam (high concentration of surfactin) was collected by the top of bioreactor and used for the calculations of yield of process and evaluation of purification by ultrafiltration. The yield was ? 366.66 mg of surfactin by liter of culture medium. The ultrafiltration of surfactin was carried out in two-steps (i) the micelles were retained and, (ii) the adition of organic solvent (ethanol) destabilized the surfactin micelles, allowing the free surfactin (unaggregated) be recovered in the permeate. For the process of ultrafiltration, polyethersulfone membranes with two molecular weight cut-off, 100 kDa and 50 kDa, were used. The best strategy was the use of membrane of 100 kDa in the first step of ultrafiltration and 50 kDa in the second step of ultrafiltration. The ultrafiltration of crude biosurfactant was associated with fouling and/or concentration polarization. However, the ultrafiltration of semi-purified biosurfactant resulted in high recovery of surfactin (78.25%), high sepration from proteins and reduced effects of fouling and/or concentration polarization. Thus, on one hand the use of cassava wastewater for the production of surfactin decreases the production costs. On the other hand, makes harder the purification process. Since the steps of production, purification and application should be evaluated sequentially, the use of cassava wastewater has to be integrated to a treatment for remove the proteins before the fermentation process, or before the ultrafiltration steps (lower concentration of proteins), for instance acid precipitation and extraction by organic solvent, or even alternative process of purification, for instance bubble column. The chemical structure identification of surfactin was carried out by two analyses: (i) matrix assisted lazer desorption ionization followed by the detection using analyzer of time of flight and, (ii) nuclear magnetic resonance spectroscopy. By the analyses of these two techniques were identified 11 potential isoforms of surfactin, in which are composed by two sequences of amino acids (Glu1-Leu2-Leu3-Val4-Asp5-Leu6-Leu7) and (Glu1'-Leu2'-Leu3'-Val4'-Asp5'-Leu6'-Val7'). Mannosylerythritol lipids were produced by Pseudozyma tsukubaensis at top-bench bioreactor scale (3 liters of working volume) using cassava wastewater as culture medium. The foam (high concentration of mannosylerythritol lipids) was collected by the top of bioreactor and used for the calculations of yield of process and evaluation of purification by ultrafiltration. The yield was ? 1.23 g of mannosylerythritol lipids by liter of culture medium, which demonstrates that cassava wastewater is a good culture medium for the production of mannosylerythritol lipids by Pseudozyma tsukubaensis. The experiments of ultrafiltration with mannosylerythritol lipids removed ? 95% of proteins and retained (vesicles) ? 80% of mannosylerythritol lipids. Therefore, only one step of ultrafiltration was needed for the purification of mannosylerythritol lipids. The process of ultrafiltration was scaled-up from 20 mL (ultrafiltration device) to 500 mL (top-bench ultrafiltration equipment), and the results were similar. The production of mannosylerythritol lipids-B by Pseudozyma tsukunbaensis was confirmed by gas chromatography coupled to mass spectrometry, matrix assisted lazer desorption ionization followed by the detection using analyzer of time of flight and nuclear magnetic resonance spectroscopy. It was also identified a second stereoisomer (? 9%) related to erythritol. The recovery of mannosylerythritol lipids-B by the foam overflow on the top of bioreactor integrated to ultrafiltration is a remarkable alternative of purification, instead of the traditional extraction using ethyl acetate followed of silica column. After the production and purification of biosurfactants, their potentials for enhanced oil recovery were evaluated. The experiments were carried out with 3 sorts of oils, light, medium and heavy. According to the results obtained of oil displacement and emulsification index tests, mannosylerythritol lipids-B are more efficient on microbial enhanced oil recovery, em particular for heavy oil
Subject: Ultrafiltração
Surfactina
Manipueira
Language: Inglês
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FEA - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Andrade_CristianoJosede_D.pdf21.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.