Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/321207
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Capitalistas em Campinas : 1873-1886
Title Alternative: Capitalists in Campinas : 1873-1886
Author: Sabarim, Fernanda, 1985-
Advisor: Gonçalves, Jose Ricardo Barbosa, 1953-
Abstract: Resumo: Esta dissertação analisa a atuação dos capitalistas da cidade de Campinas, Esta dissertação analisa a atuação dos capitalistas da cidade de Campinas, no período compreendido entre 1873 e 1886, que é entendido como sendo o auge da economia cafeeira no Oeste-Paulista e também o início do processo de industrialização paulista. Os capitalistas foram personagens importantes para o entendimento da dinâmica da economia provincial. Segundo o regulamento para a cobrança do imposto sobre capitais para os anos de 1873-1874, que constava nas Leis da Província de São Paulo, era capitalista "todo indivíduo que, tendo capitais, faça profissão habitual de dar dinheiro a prêmio. Indivíduo ou sociedade que fizer obrigações de câmbio, de banco ou de corretagem". O estudo foca na figura do capitalista que se reconhecia como tal, que pagava imposto sobre os empréstimos realizados e que não era apenas visto como uma pessoa rica que podia emprestar dinheiro a conhecidos, mas como um profissional, que fornecia crédito e que registrava este ato nos livros tributários municipais e provinciais. A pesquisa focou-se nos documentos tributários da Coletoria e Recebedoria de Rendas de Campinas, que coletava o imposto sobre capitalistas, um imposto provincial. No século XIX, existia uma bifurcação do crédito, de um lado estavam o capital usurário e a figura dos agiotas e, do outro, os capitalistas. É sobre este último que se assenta o trabalho, que visa compreender os mecanismos do crédito tributado, no importante e específico período da transição para a constituição de forças produtivas capitalistas no país. Aproximadamente 60% do capital concedido pelos profissionais capitalistas foi concentrado em apenas dez dos 53 capitalistas existentes na cidade de Campinas. Além disso, pode ser percebido que haviam relações de parentesco entre os 53 capitalistas de Campinas, o que sugere uma concentração da riqueza em torno de uma definição familiar. Observou-se que 80,4% dos capitalistas campineiros eram fazendeiros, em sua maioria cafeicultores, fato que corrobora com a tese de que foi o sucesso econômico da cafeicultura que teria gerado uma "massa monetária" para as diversificações das atividades

Abstract: This thesis analyzes the performance of the capitalists of Campinas city, in the period between 1873 and 1886, which is understood to be the height of the coffee economy in Oeste-Paulista and also the beginning of the São Paulo industrialization process. Capitalists were important for understanding the dynamics of the provincial economy. According to the regulation for tax charging on capital for the years 1873-1874, which was contained in the Laws of the Province of São Paulo, was capitalist "every individual, capital owner, who make habitual profession of giving money to award. Individual or company who makes the exchange bonds, bank or brokerage". The study focuses on the figure of the capitalist who was recognized as such, which paid tax on the realized loans and it was not just seen as a rich person who could lend money to acquaintances, but as a professional, which provided credit and recorded this act in the municipal and provincial tax books. The research focused on tax documents of the Coletoria e Recebedoria de Rendas de Campinas, which collected the tax on capitalists, a provincial tax. In the nineteenth century, there was a credit fork on one side were the usurer capital and the figure of the moneylenders and on the other, the capitalists. It is on the latter that sitteth work, which aims to understand the mechanisms of taxed credit, in the important and specific period of transition to the formation of capitalist productive forces in the country. Approximately 60% of the capital granted by the capitalists professionals was concentrated in only ten of the 53 existing capitalist in the city of Campinas. Moreover, it can be noticed that there were family relationships among the 53 Campinas capitalists, suggesting a concentration of wealth around a family setting. It was observed that 80.4% of the capitalists from Campinas were farmers, mostly coffee growers, a fact that corroborates the thesis that was the economic success of coffee that would have brought about a "broad money" for the diversification of activities
Subject: Economia - Campinas (SP)
Capitalismo - História - Séc. XIX
Capital (Economia)
Impostos - Campinas (SP)
Editor: [s.n.]
Citation: SABARIM, Fernanda. Capitalistas em Campinas: 1873-1886. 2016. 1 recurso online (169 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Economia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/321207>. Acesso em: 31 ago. 2018.
Date Issue: 2016
Appears in Collections:IE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Sabarim_Fernanda_M.pdf2.82 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.