Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/321042
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Fatores clínicos e metabólicos relacionados com ganho de peso em pacientes com transtornos do espectro da esquizofrenia em uso de antipsicóticos atípicos
Title Alternative: Clinical and metabolic factors associated with weight gain in patients with schizophrenia spectrum disorders in the use of atypical antipsychotics
Author: Amato, Isabel de Andrade, 1987-
Advisor: Dalgalarrondo, Paulo, 1960-
Abstract: Resumo: Os antipsicóticos atípicos são, atualmente, o pilar para a terapêutica medicamentosa dos transtornos psicóticos do espectro da esquizofrenia. Entretanto, é frequente a ocorrência de efeitos adversos metabólicos, dentre eles o ganho de peso e suas complicações. A gênese do ganho de peso secundário ao uso de antipsicóticos ainda não está bem estabelecida, mas há indícios da influência de fatores relacionados ao controle de apetite e saciedade e de fatores inflamatórios. Objetivos: descrever aspectos sintomatológicos de pacientes com transtornos do espectro da esquizofrenia em uso de risperidona, olanzapina ou clozapina; verificar possíveis diferenças nas concentrações de adipocinas e marcadores inflamatórios entre os pacientes que ganharam ou não peso; avaliar qualidade de vida, autoimagem corporal, compulsão alimentar e sua possível associação com ganho ponderal. Método: Estudo transversal, realizado no ambulatório de psicóticos e egressos do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (HC ¿ UNICAMP), durante o período de março de 2014 a junho de 2015. Os pacientes que participaram do estudo foram divididos em dois grupos, os que ganharam peso e os que não ganharam peso com uso de antipsicóticos. Eles responderam um questionário sociodemográfico e os seguintes instrumentos: Escala para Avaliação da Sintomatologia Psicótica ¿ PANSS, Escala de compulsão alimentar periódica ¿ Binge eating scale, Escala adaptada de Imagem Corporal, Escala de qualidade de vida em esquizofrênicos ¿ QLS-BR e Questionário Internacional de Atividade Física ¿ IPAQ. Foram dosadas as seguintes adipocinas: TNF?, IL1?, IL6, IL10, adiponectina e leptina. Foi realizada a bioimpedância de tais pacientes, além do cálculo de IMC. Resultados: Foram incluídos no estudo 52 sujeitos, dos quais 29 (55,8%) não ganharam peso e 23 (44,2%) ganharam peso. Após o uso da medicação 16 (30,8%) dos sujeitos estavam eutróficos, 25 (48,15%) com sobrepeso e 10 (19,2%) obesos. Os indivíduos eram em sua maioria homens (37 - 71,2%) e a média de idade foi 33,79 + 12,0 anos (IC 95%- 30,45- 37,13). As variáveis que se associaram negativamente com o ganho de peso foram: tempo de uso de medicação, tempo de doença, uso de clozapina e adiponectina. Escolaridade do chefe da família, binge eating, qualidade de vida, qualidade das relações familiares e concentrações de leptina foram mais elevadas entre os que ganharam peso. Conclusões: Concentrações mais elevadas de leptina e menores de adiponectina se associaram significativamente com ganho de peso. Outros fatores inflamatórios, assim como atividade física, não apresentaram tal associação. Ao contrário do esperado, pacientes com maior ganho de peso pontuaram melhor em qualidade de vida e seus familiares possuíam maior escolaridade

Abstract: Atypical antipsychotics (AA) are currently the mainstay for the pharmacological therapy of psychotic disorders. However, the occurrence of adverse effects is frequent, including weight gain and metabolic changes. The genesis of weight gain is not well established, but studies point to factors related to appetite control and to inflammatory markers. Aims: : to determine whether there were differences in the levels of adipokines and inflammatory markers amongpatients who gained weight using AA and those who did not; to assess possible associations of weight gain with quality of life, body self-image and binge eating. Subjects/Methods: This is a cross-sectional study, conducted with psychotic outpatients using AA (risperidone, olanzapine or clozapine); subjects were divided into two groups, those who gained weight and those who did not. The instruments used were: sociodemographic questionnaire; scale of psychotic symptoms (PANSS); Binge Eating Scale; adapted scale of body image; scale of Quality of Life for patients with Schizophrenia (QLS-BR); and the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ). The following adipokines were measured: TNF?, IL1?, IL6, IL10, adiponectin and leptin. Results: There were included 52 subjects, among which 23 (44.2%) had gained weight. Subjects were mostly men (37; 71.2%) and the mean age was 33.8 + 12.0 years. Variables associated with not gaining weight gain were: duration of drug treatment, time since the first symptoms, use of clozapine and adiponectin levels. Variables associated with weight gain were: higher education of the household head, presence of food cravings, better quality of life and family relationships and higher leptin levels. Conclusions: higher concentrations of leptin and lower of adiponectin seemed to be important in the genesis of weight gain. Differently from what was expected, better quality of life, better relationship between patients and relatives, and higher degree of education of the householder were associated with weight gain
Subject: Antipsicóticos
Ganho de peso
Esquizofrenia
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Amato_IsabeldeAndrade_M.pdf2.47 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.