Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/320925
Type: TESE DIGITAL
Title: Ciência sem Fronteiras : os sentidos de ciência em uma política do Estado brasileiro
Title Alternative: The program Ciência sem Fronteiras : the meanings of science in a public policy of the Brazilian State
Author: Lopes, Tainá Cristina Costa, 1990-
Advisor: Zoppi-Fontana, Mónica, 1961-
Fontana, Monica Graciela Zoppi
Abstract: Resumo: O programa Ciência sem Fronteiras, iniciativa do Governo Federal Brasileiro com o Ministério da Educação e Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação define como seu objetivo promover a internacionalização da ciência e tecnologia através de intercâmbios estudantis para alunos brasileiros de graduação e pós-graduação em diversos países. O programa destina-se a atender estudantes de áreas específicas, definidas nos textos e editais como prioritárias, e que são basicamente exatas, biológicas, engenharias e demais áreas consideradas tecnológicas. As Ciências Humanas, além de não aparecerem na lista de prioritárias, em alguns editais ainda são explicitamente excluídas. Fica evidente que a concepção de ciência subjacente aos editais, e ao programa em geral, é uma de modo que nem todos os campos do conhecimento podem ser assim considerados, questão que tem suscitado uma série de debates sobre a exclusão das humanas, cujos representantes reivindicam um reconhecimento da área enquanto ciência na relação com o programa e seus editais. Os debates, ao trazerem diferentes perspectivas e dizeres, colocam em evidência diferentes figuras enunciativas e que mobilizam diferentes lugares do dizer, como as autoridades responsáveis pelo programa, como o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, e seu ministro à época do lançamento do programa, Aloízio Mercadante, que reafirmam as áreas prioritárias e os motivos pelos quais o são, e os estudantes de humanas que reivindicam sua participação. Diante disso, nosso objetivo é observar quais sentidos de "ciência" vão sendo produzidos no corpus, composto de textos institucionais do site do programa; seu documento de lançamento pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; e textos de petições online do site Avaaz, e a relação desses sentidos com os sujeitos, tomando como ponto de partida a "ciência" presente no nome Ciência sem Fronteiras e seu funcionamento morfossintático e semântico-enunciativo, à luz da Semântica do Acontecimento. Dizer que a ciência, a partir do programa, é sem fronteiras, pressupõe a existência de uma ciência com fronteiras. Que ciências são essas, com e sem fronteiras? Que fronteiras são essas? Quais as relações dessas fronteiras com as línguas e, sobretudo, com as diversas áreas do conhecimento? E que sociedade se projeta a partir dessas ciências sem fronteiras?

Abstract: The program Ciência sem Fronteiras (Science with no Borders), an initiative of the Brazilian Government, Ministry of Education and Ministry of Science, Technology and Innovation aims to promote the internationalization of the science and the technolo-gy through the student exchanges for brazilians graduate and postgraduate students. The program is intended for specific knowledge fields, which are basically pure sciences, biological fields, engineering and other technological fields. The humanities are not included in the list of priority knowledge fields, and in some calls they are clearly excluded. As we can see in the texts of the program, the concept of science does not include some knowledge areas, such as the humanities, whose students claim for recognition of the area in the program. The discussions bring different views, as the discourses of Ciência sem Fronteiras¿ authorities, as Minister of Education, and discourses of the students of human sciences, who claim their participation in the calls for exchange. we aim to see and show which meaning of science are being produced in the texts of the program, such as the document of its release by the Ministry of Science, Technology and Innovation, and petitions in the website Avaaz for inclusion of the human sciences, considering that the word "science" appears firstly in the name of the program, for to analyze its morphosyntactic, semantic and enunciative working, based on Semantics. When we say that science, from the program, is a science without borders, we assume that exists a science with borders. So, which sciences are these, with and without borders? And which borders we mean? Which the relation between these borders with the several knowledge fields? And what society is projected as from these sciences with no borders?
Subject: Semântica
Ciência
Internacionalização
Programas de intercambio de estudantes
Estudantes universitários - Brasil
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:IEL - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Lopes_TainaCristinaCosta_M.pdf4.25 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.