Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/320920
Type: TESE DIGITAL
Title: Respiração e pensamento : a abertura da escrita na obra de Jean-Luc Nancy
Title Alternative: Respiration and thought : the opening of writing in the work of Jean-Luc Nancy
Author: Ghetti, Paola Sanges, 1982-
Advisor: Siscar, Marcos, 1964-
Siscar, Marcos Antonio, 1964-
Abstract: Resumo: Esta tese se propõe a refletir sobre a abertura da escrita na obra de Jean-Luc Nancy como um modo de mobilizar o pensamento numa respiração, arriscando-se a si mesmo no contato com o outro. Esse contato é inseparável do batimento mesmo da língua, que prova a si mesma e a sua estrangeiridade ao tatear incansavelmente o limite de um contato a partir do qual o outro se ausenta. Partindo de uma reflexão sobre a necessidade de manter-se próximo às coisas - a despeito de um pensamento sobre elas - abordamos a inquietude de Nancy com a ideia de ter um método. Tal necessidade do contato sensível é elaborada a partir de leituras que levam o pensamento a um lugar trêmulo, que se dá na simultaneidade do que não se diz e o meio com o qual algo é dito. Furtando-se ao que seriam os mecanismos enclausuradores do discurso, a inquietude com a filosofia leva o autor a aproximar-se da experiência da literatura e da arte, o que se expressa no caráter extremamente difuso da obra, composta da demanda em partilhar da produção artística contemporânea. A mesma experiência de contato da língua é também vivida através de uma dificuldade, como esforço em manter uma suspensão na tentativa de pontuar o momento no qual o pensamento rumina sua existência compartilhada com o mundo na linguagem. O peso ou a gravidade do pensamento na escrita se dá no desejo de um sentido comum e, ao mesmo tempo, de uma demasiada cautela com relação aos riscos, homogêneos e definidores, de uma compreensão do comum como aquilo ao qual se retornaria, anulando assim o próprio peso. A respiração é ainda tomada a partir da desconstrução da religião de Nancy, que acompanha o desenvolvimento de uma história do sentido. Com isso, o autor quer pôr em evidência o que desde as origens do monoteísmo se saberia e diria sem razão, numa linguagem que dá voz à ausência de uma finalidade. Nesta perspectiva, a linguagem operaria um sentido sem finalidade, se dando como um espaço através do qual homem e mundo se tocam e se tornam possíveis

Abstract: The present thesis considers the opening of writing in the work of Jean-Luc Nancy as a way of mobilising thinking in the form of respiration, which puts itself at risk in its contact with the other. This contact is inseparable from the beating of language itself, which experiences itself and its strangeness by ceaselessly touching the limit of a contact with the other, through which the latter becomes distant. Setting out from a consideration of the necessity of maintaining a proximity to things ¿ rather than reflecting on things - we address Nancy's uneasiness with the idea of having a method. This necessity of sensible contact is elaborated through a series of readings that lead thinking into a trembling space, shaped by the simultaneity of what is not said and the manner in which it is nonetheless still said. In seeking to evade the enclosing mechanisms of discourse, Nancy's uneasiness with philosophy leads him to a sustained engagement with the experience of literature and art, which is reflected in the extremely diverse character of an oeuvre driven by a need to engage with contemporary artistic production. This experience of contact in language is also experienced as a difficulty, as the effort of maintaining a suspension in pinpointing the precise moment at which thinking ruminates its shared existence with the world in language. The weight or the gravity of thinking in writing is manifested for Nancy in a desire for a common sense, and in an extreme cautiousness in the face of the risk of comprehending the common in a homogeneous and definitive manner as that which would return, thereby annulling the weight itself. Respiration is then considered in relation to Nancy's deconstruction of religion, which is rooted in a history of sense. In this way, Nancy seeks to make evident what since the dawn of monotheism would be known and said without reason, in a language that gives voice to the absence of finality. From this perspective, language would convey a sense without finality, offering itself as a space through which man and world make contact with one another and make themselves possible
Subject: Nancy, Jean-Luc, 1940- - Crítica e interpretação
Filosofia francesa
Escrita na arte
Escrita na literatura
Pensamento
Respiração
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ghetti_PaolaSanges_D.pdf4.45 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.