Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/319219
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Percepção de agressão social entre estudantes do ensino médio e sua relação com o desengajamento moral
Title Alternative: Perception of social aggression among high school students and its relation to moral disengagement
Author: Lima Júnior, Elias José de, 1964-
Advisor: Azzi, Roberta Gurgel, 1956-
Abstract: Resumo: Esta investigação faz parte de um estudo maior denominado: "Agressão Social no Ensino Médio: Um Estudo Exploratório" tendo a presente pesquisa como objetivo geral identificar, descrever e analisar a percepção sobre a ocorrência da agressão social entre estudantes do Ensino Médio e sua relação com o desengajamento moral. A agressão social, tem como objetivo provocar dano nas amizades, status social ou autoestima da vítima, podendo se expressar de forma direta ou indireta, por meio da manipulação de relacionamento, espalhar boatos e exclusão social verbal e não verbal. E o desengajamento moral, um dos construtos básicos da Teoria Social Cognitiva, é formado por um conjunto de mecanismos psicossociais, pelos quais as pessoas podem se desprender ou se desengajar dos próprios padrões morais, para cometer atos condenáveis sem se censurarem. Essa pesquisa foi de delineamento não experimental transversal exploratório, com enfoque misto, envolvendo concomitantemente a analise quantitativa e qualitativa. Os participantes foram 320 estudantes, entre 14 e 20 anos, do 1º ao 4º ano do Ensino Médio, de 2 escolas públicas, uma municipal e outra estadual, de 2 municípios da Região Metropolitana de Campinas-SP, Brasil. Os resultados principais verificados foram: (1) as mulheres sinalizaram mais o testemunho, a ajuda às vítimas e o sofrimento como vitimas da agressão social do que os homens, e estes assinalaram mais que agrediram socialmente do que as mulheres; (2) os estudantes com 14 e 15 anos e cursando o 1º ano do Ensino Médio, indicaram mais que sofreram a agressão social, e os de 19 e 20 anos e cursando o 4º ano do Ensino Médios, apontaram mais que agrediram socialmente; (3) os homens justificaram mais a pratica da agressão social com mecanismos de desengajamento moral do que as mulheres; (4) o mecanismo de desengajamento moral mais utilizado para justificar a pratica da agressão social por homens e mulheres, em todas as faixas de idade e em todos os 4 anos do Ensino Médio, foi o de atribuição de culpa à vítima; (5) Mais de 80% dos estudantes pesquisados indicaram que agrediram e testemunharam a mesma agressão social; mais de 55%, assinalaram que agrediram e foram vítimas da mesma agressão social; e mais de 53%, apontaram que agrediram e ajudaram às vítimas da mesma agressão social. Esses e demais resultados desse estudo são relevantes para a compreensão da agressão social e sua relação com desengajamento moral no contexto escolar, visando oferecer subsídios para projetos de intervenção que melhorem a convivência escolar

Abstract: This research is part of a larger study called: "Social Aggression in High Schools: An Exploratory Study" with this research as a general objective to identify, describe and analyze the perception of the occurrence of social aggression among high school students and its relationship with the disengagement moral. Social aggression, aims to cause damage friendships, social status or the victim's self-esteem, being able to express directly or indirectly, through the relationship of manipulation, spreading rumors and verbal and nonverbal social exclusion. And the moral disengagement, one of the basic constructs of Cognitive Social Theory, is formed by a set of psychosocial mechanisms by which people can loosen or disengage own moral standards, to commit reprehensible acts without censor. This research was not exploratory cross experimental design, with mixed approach, simultaneously involving quantitative and qualitative analysis. Participants were 320 students, between 14 and 20 years, from 1st to 4th year of high school, 2 public schools, municipal and other state, 2 the Metropolitan Region of Campinas-SP, Brazil. The key findings were: (1) women more signaled the testimony, aid to victims and suffering as victims of social aggression than men, and they noted that more socially assaulted than women; (2) students with 14 and 15 years and attending the 1st year of high school, indicated that more experienced social aggression, and of 19 and 20 years attending the 4th year of Average Education, pointed out that more socially assaulted; (3) men justified more the practice of social aggression with moral disengagement mechanisms than women; (4) the moral disengagement mechanism more used to justify the practice of social aggression by men and women in all age groups and in all four years of high school, was the attribution of blame to the victim; (5) More than 80% of the surveyed students indicated that attacked and witnessed the same social aggression; more than 55%, they indicated that attacked and were victims of the same social aggression; and more than 53% indicated that attacked and helped victims of the same social aggression. These and other results of this study are relevant to the understanding of social aggression and its relation to moral disengagement in schools, aiming to offer subsidies for intervention projects to improve school life
Subject: Desengajamento moral
Agressão
Ensino médio
Violência escolar
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2016
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
LimaJunior_EliasJosede_M.pdf2.21 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.