Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/317978
Type: TESE
Title: Analise citogenetica, citoquimica e ultraestrutural da espermiogenese de especies de Physalaemus e Pseudopaludicola falcipes com enfase a caracterização taxonomica de Physalaemus biligonigerus e P. fuscomaculatus
Author: Amaral, Mauricio Jose Lopes Vaz do
Advisor: Recco-Pimentel, Shirlei Maria, 1954-
Abstract: Resumo: O gênero Physalaemus, pertencente à família Leptodactylidae, apresenta um grande polimorfismo e notável abundância de espécies crípticas, o que levou ao reconhecimento de quatro grupos. Neste trabalho, investigamos alguns aspectos da citogenética e da espermiogênese de algumas espécies deste gênero, com especial ênfase à P. fuscomaculatus e P. biligonigerus. Essas espécies apresentam dificuldades de identificação, devido, principalmente, à sua grande semelhança morfológica. Além disso, o nome específico fuscomaculatus, vem sendo dado à diversas populações de biligonigerus. Os exemplares de P. fuscomaculatus, P. biligonigerus e P. aff. biligonigerus analisados citogeneticamente, apresentaram 2n=22 cromossomos. Com exceção do par 3 de P. fuscomaculatus, que é submetacêntrico, enquanto nas outras duas espécies é metacêntrico, todos os demais cromos somos apresentaram a mesma morfologia. O braço curto do cromossomo 3 apresentou um bloco de heterocromatina banda C positiva que é maior em P. biligonigerus e P. aff. biligonigerus do que em P. fuscomaculatus. A mudança da morfologia do cromossomo 3 pode ser explicada, portanto, por mecanismos de adição ou deleção de heterocromatina. As três espécies apresentaram também um grande bloco pericentromérico heterocromático no par 8, uma pequena banda C positiva intersticial presente no braço longo dos pares 5 e 7, bem como um único cístron ribossomal ativo, presente no braço longo do cromos somo 9, coincidente com a constrição secundária. Somente P. aff. biligonigerus apresentou um grande bloco heterocromático na região pericentromérica no braço curto do cromossomo 9 e outro na região telomérica no braço longo. As características citogenéticas analisadas indicam grande semelhança entre essas espécies. A análise da basofilia nuclear durante a espermiogênese de P. fuscomaculatus e P. biligonigerus (grupo biligonigerus), P. centralis, P. lisei, P. riograndensis, P. cuvieri e P. gracilis (grupo cuvieri) e P. petersi (grupo pustulosus), mostrou diferentes respostas quando corados com azul de toluidina (AT) pH 4,0 e fastgreen alcalino (AFG), seguido de desaminação. Os espermatozóides de P. fuscomaculatus e P. biligonigerus, assim como os de P. cuvieri e P. gracilis, exibiram coloração violeta quando corados com A T, enquanto que os espermatozóides das outras espécies exibiram diferentes padrões de coloração. Exceto os espermatozóides de P. gracilis, todos os demais se coram com AFG, seguido de desaminação. Estes resultados mostram que o DNA dos espermatozóides dessas espécies estão diferentemente complexados às proteínas. Esta é a primeira descrição de variabilidade intragenérica desta característica em Leptodactylidae. A análise ultraestrutural dos espermatozóides foi feita em P.fuscomaculatus, P. biligonigerus e P. gracilis, e também em Pseudopaludicola falcipes, cujo gênero é considerado grupoirmão de Physalaemus. As três espécies de Physalaemus apresentam a mesma morfologia ultraestrutural, mas diferem dos espermatozóides de Pseudopaludicola falcipes e de outros leptodactilídeos, por não apresentarem o bastão axial dista!. Os resultados obtidos no presente trabalho foram insuficientes para comprovar que P. fuscomaculatus e P. biligonigerus são categorias específicas distintas, já que as diferenças observadas são muito pequenas e poderiam estar ocorrendo como polimorfismos mesmo dentro das populações. Apesar de considerar-se que o gênero Pseudopaludicola tenha se originado a partir de Physalaemus, a ultraestrutura do espermatozóide de P. falcipes difere deste grupo e é semelhante à de outro leptodactilídeo, ontophrynus cultripes, que também apresenta o bastão axial dista!. A utilização de um conjunto maior de caracteres poderá auxiliar no esclarecimento das relações filogenéticas nos leptodactilídeos, que permanece ainda confusa

Abstract: The genus Physalaemus, belonging to the family Leptodactylidae, shows extensive polymorphism and an abundance of cryptic species. At least four species are currently recognized in this genus. In this work, we investigated some aspects of the cytogenetics and spermiogenesis of several species in this genus, with particular emphasis on P. fuscomaculatus and P. biligonigerus. These two species are difficult to distinguish, mainly because of their considerable morphological similarities. A further problem is that the specific name fuscomaculatus has been applied to several populations of biligonigerus. AlI the specimens of P. fuscomaculatus, P. biligonigerus and P. aff. biligonigerus analyzed had 2n=22 chromosomes. All of the chromosomes had the same morphology, with the exception of pair 3 of P. fuscomaculatus, which was submetacentric, but metacentric in the other two species,. The short arm of chromosome 3 contained a block of heterochromatin which was Cband positive and was slightly longer in P. biligonigerus and P. aff. biligonigerus than in P. fuscomaculatus. The divergenge in morphology of chromosome 3 can be explained by the addition or delection of heterochromatin. The three species also showed a large block of pericentromeric heterochromatin in the pair 8, a small interstitial C-band, on the long arm of pairs 5 and 7, as well as a uni que ribossomal cistron, on the long arm of chromosome 9, coincident with the secondary constriction. P. aff. biligonigerus was the only species to have a large block of pericentromeric heterochromatin in the short arm of chromosome 9 and another one in the telomeric band of the long arme The nuclear basophilia during spermiogenesis in P. fuscomaculatus and P. biligonigerus (biligonigerus group), P. riograndensis, P. centralis, P. lisei, P. gracilis and P. cuvieri (cuvieri group) and P. petersi (pustulosus group) showed different responses with toluidine blue (TB) pH 4.0 and alkaline fast-green (AFG) after deamination. The spermatozoa of P.fuscomaculatus, P. biligonigerus, P. cuvieri and P. gracilis stained violet, whereas those of the other species showed different responses to TB. Except in P. gracilis, the spermatozoa of all species were positive to AFG, even after deamination. These results show that the DNA in the spermatozoa ofthese species is differently associated with proteins. This is the first description of such intrageneric variability in the Leptodactylidae. An ultrastructural analysis of the spermatozoa of P. fuscomaculatus, P. biligonigerus, P. gracilis and Pseudopaludicola falcipes, a genus considered to be a sister-group of Physalaemus, showed that the three species of Physalaemus had the same ultrastructural morphology, but differed from the spermatozoa of the Pseudopaludicola and other leptodactylids in that they had no axial rodo The results obtained here were insufficient to prove that P scomaculatus and P. biligonigerus are the same species, since the differences observed were very small and could reflect polymorphisms within populations. Although the genus Pseudopaludicola originated within the genus Physalaemus, the ultrastructure of P. falcipes spermatozoa differed from the latter group and was more similar to that of another leptodactylid, Odontophrynus cultripes. The use of a wider set of characters would help in elucidating the still confusing phylogenetic relationships among leptodactylids
Subject: Citogenética
Citoquímica
Ultraestrutura (Biologia)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2000
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Amaral_MauricioJoseLopesVazdo_D.pdf13.97 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.