Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/317899
Type: TESE
Title: Influência da obesidade materna na diferenciação neonatal das células germinativas masculinas
Title Alternative: Influence of maternal obesity on neonatal germ cell differentiation
Author: Christante, Caroline Maria, 1987-
Advisor: Góes, Rejane Maira
Abstract: Resumo: Os gonócitos são os precursores das células germinativas masculinas, encontrados durante o período fetal e neonatal. Sua diferenciação neonatal é fundamental para a função reprodutora e envolve retomada da atividade proliferativa, movimentação para a base do epitélio seminífero e diferenciação em espermatogônia. Sabe-se que, no período fetal, a atividade proliferativa dessas células é andrógeno dependente, e que a obesidade altera o cenário dos hormônios sexuais, levando a um aumento dos níveis de andrógenos em mulheres. Contudo, pouco é conhecido sobre os efeitos da obesidade materna sobre o desenvolvimento do aparelho genital masculino, em particular no período neonatal, e as implicações com o cenário hormonal. Sendo assim, o objetivo desse estudo foi avaliar se a obesidade materna interfere no desenvolvimento neonatal do testículo de ratos Wistar, tanto no que se refere às suas características morfológicas gerais, quanto à diferenciação das células germinativas. A obesidade materna foi induzida pelo tratamento, por 15 semanas, com dieta contendo 20% de lipídeos saturados. Foram utilizados filhotes machos de mães normais e obesas nas idades de 0,5, 4,5, 7,5 e 14,5 dias pós-parto (dpp). Os testículos foram processados para microscopias de luz e eletrônica de transmissão. Os cortes histológicos submetidos à reação imunocitoquímica para hormônio anti-Mülleriano (AMH) foram utilizados para a determinação da densidade numérica (Nv) de gonócitos e estimativa da densidade de gonócitos reposicionados para a periferia do túbulo. Também foi avaliado os níveis de apoptose, após imunocitoquímicas para Caspase 3 ativada, e a localização dos receptores de andrógeno (AR) e de estrógeno (ER? e ER?). Nossos resultados revelaram uma diminuição no peso dos filhotes de mães obesas, ao nascimento, mas nenhuma variação foi observada para a distância anogenital. O peso das gônadas foi significantemente menor para os animais obesos de 4,5 dpp, resultando em uma variação do índice gonadossomático, nessa idade. A Nv de gonócitos e os níveis de apoptose não variaram nos neonatos de mães obesas em comparação com o grupo controle, em nenhuma das idades consideradas. No entanto, o número de gonócitos reposicionados para a base do epitélio seminífero, aos 4,5 dpp, foi aproximadamente o dobro nos testículos de animais controle em comparação com os submetidos à obesidade materna. Também foi observado que esse tipo celular não possui imunoreatividade para AR. Entretanto, as células de origem mesenquimal e o citoplasma das células de Leydig fetais, de maneira geral, são imunomarcados. Com relação aos níveis de andrógenos, verificou-se que as médias obtidas para os animais sujeitos à obesidade materna, de 4,5 até 14,5 dpp, são muito semelhantes às encontradas para as idades anteriores no grupo controle, sendo possível inferir que a obesidade materna afete a esteredoigênese e promova alterações na concentração de testosterona, no período peri-natal. De maneira geral, nossos dados indicam que a obesidade materna afeta os níveis de esteroides sexuais e, consequentemente, o padrão de diferenciação dos gonócitos. Contudo, tais alterações parecem ocorrer nos primeiros dias de vida, principalmente na idade de 4,5 dpp, com uma recuperação do desenvolvimento testicular ainda no período pré-púbere

Abstract: The gonocytes are the precursors of male germ cells, found during fetal and neonatal period. Their differentiation is critical for neonatal reproductive function and involves resumption of proliferative activity, drive to the base of the seminiferous epithelium and differentiation into spermatogonia. It is also known that in the neonatal period the proliferative activity of these cells is androgen-dependent, and that the obesity changes the sex hormones scenario, leading to increased androgens levels in women. However, little is known about the effects of maternal obesity on the male genital tract development, particularly in the neonatal period, and the implications with hormonal scenario. Therefore, the objective of this study was to evaluate whether maternal obesity interferes with rat testis development, both with regard to their overall morphology, as the differentiation of germ cells. Obesity was induced by treating, for 15 weeks, with a diet containing 20% of saturated lipids. We used male offspring from normal and obese mothers at 0.5, 4.5, 7.5 and 14.5 days postpartum (dpp). The testes were processed for light microscopy and transmission electron microscopy. The sections subjected to immunocytochemistry for anti- Müllerian Hormone (AMH) were used to determine the numerical density (Nv) of gonocytes and density estimation of repositioned gonocytes to the periphery of the tubule. We also assessed the apoptosis levels after immunocytochemistry for activated Caspase 3, and location of androgen receptors (AR) and estrogen (ER? and ER?). Our results showed a decrease in the weight of pups born from obese mothers, at birth, but no change was observed for the anogenital distance. The gonad weight was significantly lower in obese animals at 4.5 dpp, resulting in a variation of the gonadosomatic index in this age. The Nv of gonocytes and apoptosis levels did not differ in newborns subjected to maternal obesity compared with the control group, for any age considered. However, the number of repositioned gonocytes to the base of the seminiferous epithelium at 4.5 dpp was approximately twice in control group compared with the maternal obesity group. It was also observed that this cell type has no AR immunoreactivity. However, mesenchymal cells and the cytoplasm of the fetal Leydig cells generally are immunostained. With respect to androgens levels, it was found that the mean for the animals subjected to maternal obesity from 4.5 to 14.5 dpp are very similar to those found in earlier ages in the control group, it is possible to infer that maternal obesity affects steroidogenesis and promotes changes in testosterone concentration, in the perinatal period. Overall, our data indicate that maternal obesity affects the sex steroids levels and, consequently, the pattern of differentiation of gonocytes. However, these changes seem to occur in the first days of life, especially at the age of 4.5 dpp, with a recovery of testicular development in the pre-pubertal age
Subject: Testículos
Células germinativas
Obesidade
Neonatos
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2013
Appears in Collections:IB - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
Christante_CarolineMaria_M.pdf8.19 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.