Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/317862
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Efeito da Ciclosporina A associada à infusão de nó-de-cachorro (Heteropterys aphrodisiaca, O. Mach, 1949) na próstata de ratos Wistar
Title Alternative: Effect of Cyclosporin A associated with nó-de-cachorro (Heteropterys aphrodisiaca, O. Mach, 1949) infusion on Wistar rats ventral prostate
Author: Freitas, Karine Moura, 1986-
Advisor: Dolder, Mary Anne Heidi, 1943-
Abstract: Resumo: A Ciclosporina A (CsA) é um imunossupressor amplamente utilizado no tratamento pós-transplante de órgãos e contra doenças auto-imunes. Entretanto, diversos efeitos colaterais estão relacionados ao tratamento com esta droga, dentre eles nefrotoxicidade, hepatoxicidade, tremor, hipertensão, hiperlipidemia, hipercalcemia, hipertricose e hiperplasia gengival. Além destes, danos à reprodução masculina como redução na produção de testosterona e disfunção testicular são extensivamente documentados. Heteropterys aphrodisiaca é uma planta arbustiva típica do Cerrado brasileiro. É conhecida como nó-de-cachorro, sendo utilizada popularmente como tônica e afrodisíaca. Estudos anteriores confirmam a eficiência da infusão de H. aphrodisiaca contra os efeitos colaterais a CsA nos testículos. Visto isso, o objetivo do presente trabalho foi determinar os possíveis efeitos colaterais da CsA na próstata ventral de ratos Wistar e verificar se a infusão de H. aphrodisiaca seria eficiente em minimizá-los. Trinta ratos Wistar adultos (90 dias) foram divididos em cinco grupos (n=6 em cada): Grupo I (controle): tratado com água; grupo II: tratado com CsA; grupo III: tratado com infusão de H. aphrodisiaca; grupo IV: tratamento simultâneo de CsA e H. aphrodisiaca; e grupo V: tratamento com CsA e H. aphrodisiaca em dias alternados. A CsA foi administrada na dose de 15 mg/kg/dia e a infusão de nó-de-cachorro no volume de 0,5 ml por animal (infusão preparada com 25 g de raiz seca e moída em 100 ml de água fervida). Todos os tratamentos foram realizados diariamente, durante 56 dias. Após este período os animais foram pesados e eutanasiados. Testículo, epidídimo, glândula vesicular, glândula de coagulação e próstata ventral foram coletados e pesados. A próstata ventral foi dividida em três porções. Uma foi fixada em Karnovsky e processada para inclusão em metacrilato; este material foi utilizado para análises morfológicas, morfométricas e estereológicas do tecido. A segunda porção, também fixada com Karnovsky, foi processada para inclusão em Epon; este material foi utilizado para realização de análises em microscopia eletrônica de transmissão. Por fim, a terceira porção foi fixada em Metacarn e incluída em parafina para realização de imunohistoquímica para detecção de receptor de andrógeno e técnica para detecção de apoptose (TUNEL). As análises morfológicas, morfométricas, estereológicas e ultraestruturais mostraram que o tratamento com a infusão de H. aphrodisiaca não causou nenhuma alteração na próstata ventral. Por outro lado, o tratamento com CsA causou severos danos a este tecido como redução nos volumes de lumen, epitélio, estroma muscular e não muscular, além de atrofia do epitélio. A análise ultraestrutural mostrou que nas células do epitélio atrofiado havia redução das organelas relacionadas à secreção de proteínas (retículo endoplasmático rugoso e complexo de Golgi), o que provavelmente leva à diminuição de sua atividade secretora. O tratamento conjunto de CsA e H. aphrodisiaca aparentemente reduziu os danos causados na próstata, o que foi evidenciado pela normalização nos parâmetros analisados que haviam sido prejudicados pela administração somente da CsA. Nenhuma alteração entre os grupos experimentais foi observada no padrão de marcação imunohistoquímica para receptores de andrógeno e no índice apoptótico. Os resultados obtidos mostram que o tratamento com CsA causa danos na estrutura prostática que provavelmente refletem em danos funcionais ao tecido. Além disso, foi confirmada a ação protetora da infusão de H. aphrodisiaca contra os efeitos colaterais da CsA na próstata ventral de ratos Wistar

Abstract: Cyclosporin A (CsA) is an immunosuppressive drug widely used in the post-operative treatment after organ transplants and against auto-immune diseases. However, various side effects have been associated with the use of this drug, including nephrotoxicity, hepatotoxicity, tremors, hypertension, hyperlipidemy, hypercalcicity, hypertrichosia and hyperplasticity of the gums. Besides these, damage to the male reproductive system, such as diminished testosterone production and testicular dysfunction, have been extensively documented. Heteropterys aphrodisiaca is a bush, typical of the Brazilian "Cerrado" region. It is known as "nó-de-cachorro" and used in traditional medicine as a tonic and an aphrodisiac drink. Previous studies confirm the efficiency of H. aphrodisiaca against the side effects of CsA in rat testicles. As a consequence, this research was undertaken with the aim of determining the possible collateral effects of CsA in the ventral prostate of Wistar rats and to verify whether the infusion of H. aphrodisiaca would be efficient to diminish the possible collateral effects of CsA in this organ. Thirty adult Wistar rats (90 days old) were divided into five groups (n=6 in each). Group I (control) was treated with water, Group II with CsA, group III received the H. aphrodisiaca infusion, group IV was treated simultaneously with CsA and H. aphrodisiaca infusion and group V received CsA or H. aphrodisiaca infusion on alternate days. CsA was administered in the dose of 15 mg/kg/day and the infusion in a volume of 0.5 ml per animal (infusion prepared with 25 g of dry ground roots in 100 ml of boiling water). All treatments were given daily for 56 days. After this period the rats were weighed and euthanized. Testis, epididymis, vesicular gland, coagulating gland and the ventral prostate were collected and weighed. The ventral prostate was divided into three portions. One was fixed in Karnovsky fixative and processed for inclusion in methacrylate. This portion was used for morphological, morphometrical and stereological analysis of the tissue. A second portion, fixed in the same manner, was processed for inclusion in Epon and analyzed with the transmission electron microscope. The last portion was fixed in Metacarn and included in paraffin to be used for immunohistochemistry of the androgen receptor and the TUNEL technique for apoptosis. The morphological, morphometrical, stereological and ultrastructural analyses showed that the H. aphrodisiaca infusion did not cause any alteration of the prostatic tissue. On the other hand, CsA treatment resulted in severe damage to the tissue, reducing the lumen, epithelium, muscular and non-muscular stroma. Atrophied epithelium was observed after CsA administration. Ultrastructural analysis showed that the atrophied epithelium had reduced organelles involved in protein secretion (rough endoplasmic reticulum and Golgi complex) which probably causes decreased secretory activity of the cells. The simultaneous treatment of CsA and H. aphrodisiaca apparently reduced the prostatic damage, since these were less damaged when compared to the prostate of animals that received only CsA. No alteration was found in the pattern of immunohistochemical labeling for androgen receptors and the apoptotic index, for all experimental groups. The results showed that CsA treatment caused structural damage to the prostate which probably reflected functional damage to the organ. The protective action of the H. aphrodisiaca infusion against the collateral effects of CsA was also confirmed for this organ.
Subject: Imunossupressores
Reprodução
Fitoterapia
Ratos Wistar
Prostata
Heteropterys aphrodisiaca
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2011
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Freitas_KarineMoura_M.pdf31.85 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.