Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/317836
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Efeitos da Ciclosporina A associada ou não à Heteropterys tomentosa (A. Juss.) no fígado, rim, testículo, epidídimo, próstata e timo de ratos Wistar = Effect of Cyclosporin A, with or without Heteropterys tomentosa (A. Juss.) administration, on Wistar rats' liver, kidney, testis, epididymis, prostate and thymus
Title Alternative: Effect of Cyclosporin A, with or without Heteropterys tomentosa (A. Juss.) administration, on Wistar rats' liver, kidney, testis, epididymis, prostate and thymus
Author: Freitas, Karine Moura, 1986-
Advisor: Dolder, Mary Anne Heidi, 1943-
Abstract: Resumo: A Ciclosporina A (CsA) é uma droga imunossupressora amplamente utiliza na terapia pós-transplante de órgãos e no tratamento de doenças autoimunes. Apesar de sua ampla utilização e eficiência como imunossupressora, a CsA causa diversos efeitos colaterais, dentre eles nefrotoxicidade, hepatotoxicidade e danos a órgãos do aparelho reprodutor masculino (testículo e próstata). Estes efeitos provavelmente estão relacionados à atividade pró-oxidante do medicamento, que causa um desequilíbrio entre produção de espécies reativas de oxigênio e produção de enzimas antioxidantes. Heteropterys tomentosa, planta natural do cerrado brasileiro, é utilizada popularmente utilizada como tônico, estimulante das funções cerebrais e afrodisíacas. A eficiência da infusão de H. tomentosa para atenuar os danos causados pela CsA no testículo e próstata ventral de ratos já foi comprovada cientificamente. Além disso, H. tomentosa também parece ser eficiente contra a hepatotoxicidade induzida por esta droga, analisando-se parâmetros bioquímicos plasmáticos. O objetivo deste trabalho foi verificar os efeitos da Ciclosporina A no fígado, rim, timo, testículo, epidídimo e próstata ventral. Caso haja efeitos, determinar se a infusão de H. tomentosa altera tais efeitos. Além disso, objetivamos analisar se o tratamento com a infusão de H. tomentosa interfere na capacidade imunossupressora da Ciclosporina A. O tratamento com H. tomentosa durante 21 dias causou sutis alterações hepáticas nos animais, resultados não encontrados após a administração do tratamento com a planta durante 56 dias. O tratamento simultâneo com CsA e H. tomentosa causou alterações hepáticas diferentes daquelas dos animais tratados somente com CsA. A nefrotoxicidade induzida por CsA foi tempo dependente. O tratamento com CsA durante 21 dias causou o aparecimento de pequenos acúmulos de substâncias no lúmen dos túbulos da região medular, entretanto não foram observadas graves alterações nos túbulos proximais. Após 56 dias de tratamento foram observados acúmulo de substâncias no lúmen de túbulos da região medular do rim. Além disso, foram observados pontos de vacuolização citoplasmática nos túbulos proximais em regiões específicas. Estes efeitos foram observados no grupo tratado somente com CsA e no grupo tratado simultaneamente com CsA e H. tomentosa. O tratamento somente com a infusão de H. tomentosa não causou danos ao rim. O tratamento com CsA e/ou H. tomentosa não causou efeitos aos testículos, entretanto, após 56 dias de tratamento formam observadas alterações ao epidídimo e próstata ventral, resultado não observado no grupo CsA+Ht. A contagem de células no sangue periférico evidenciou a imunossupressão causada pela Ciclosporina A administrada por 21 ou 56 dias. Mesmo após o tratamento conjunto com a infusão e a droga (21 e 56 dias) a imunossupressão foi evidenciada. Além disso, a análise do tecido tímico revelou alterações estruturais causadas pela CsA administrada isoladamente ou em conjunto com a infusão. Estes resultados revelaram que os efeitos colaterais associados ao tratamento com CsA ao rim, epidídimo e próstata ventral são tempo-dependentes. Além disso, foi observado que o tratamento com H. tomentosa foi capaz de reduzir as alterações causadas pela CsA ao epidídimo e próstata ventral. Este estudo revela ainda, que a infusão de H. tomentosa não altera a capacidade imunossupressora da Ciclosporina A

Abstract: Cyclosporin A (CsA) is an immunosuppressive drug used after organ transplantation and against auto immune diseases. Despite CsA widely use as immunosuppressant, this drug causes diverse side effects as: nephrotoxicity, hepatotoxicity and male reproductive organs (testis and ventral prostate) impairment. Those CsA-related side effects are probably related to the CsA pro oxidant properties that causes imbalance among reactive oxygen species generation and antioxidant enzymes production. Heteropterys tomentosa, native plant from Brazilian cerrado, a savanna-like biome, is popularly used as tonic and stimulant of brain functions and as an aphrodisiac plant. H. tomentosa¿s efficiency against CsA side effects to the testis and ventral prostate has been scientifically proved. Moreover, H. tomentosa either reduced the alterations caused by CsA to plasma biochemical parameters that are hepatotoxicity markers. The aim of the present study was evaluate the effects of CsA to the liver, kidney, testis, epididymis, ventral prostate and thymus. If there are alterations CsA-induced, evaluate if H. tomentosa infusion alter these effects. Lastly we aimed to evaluate if H. tomentosa infusion interfere on CsA immunosuppressive capacity. CsA treatment for 21 days caused minor alterations to the liver tissue; this result was not observed after the administration of the infusion for 56 days. The simultaneous treatment with CsA and H. tomentosa caused hepatic alterations different from those observed in the animals treated with only CsA. The nephrotoxicity CsA-induce was time related; the kidney of animals treated with CsA had small substances accumulation (casts) on juxtamedullary tubules lumina, alteration to the proximal tubules were not evident. After 56 days of treatment there was huge casts on juxtamedullary tubules and some proximal tubules had vacuolization. These kidney¿s alterations were present in the groups treated with CsA and CsA+H. tomentosa. H. tomentosa administration did not caused alteration to the kidney tissue. The treatment with CsA, H. tomentosa and both simultaneously did not caused effects to the testis, however, CsA administration for 56 days caused alterations to the epididymis and ventral prostate; these alteration were not observe after the treatment with CsA+H. tomentosa. CsA caused reduction on the number of lymphocytes in the peripheral blood after the administration for 21 or 56 days, simultaneously with H. tomentosa or not. Furthermore, the thymus tissue had structural alterations caused by CsA, administrated alone or simultaneously to H. tomentosa (for 21 or 56 days). These results confirm CsA immunosuppression even after the administration with H. tomentosa simultaneously. The present study shows that CsA-induced effects to the kidney, epididymis and ventral prostate are time dependents. Moreover, the treatment with H. tomentosa reduced the alteration caused by CsA to the epididymis and ventral prostate. Finally, this study proved that H. tomentosa did not alter the immunosuppressant properties of Cyclosporin A
Subject: Fitoterapia
Heteropterys aphrodisiaca
Imunossupressão
Plantas medicinais
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2014
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Freitas_KarineMoura_D.pdf4.92 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.