Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/317126
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Analise molecular do gene do receptor de androgenos em pacientes 46, XY com ambiguidade genital e produção normal de testosterona
Title Alternative: Molecular analysis of the androgen receptor gene in patient 46, XY presenting genital ambiguity and normal testosterone production
Author: Petroli, Reginaldo José, 1980-
Advisor: Mello, Maricilda Palandi de
Abstract: Resumo: Considera-se que insensibilidade androgênica seja a causa mais freqüente dos distúrbios da diferenciação do sexo em pacientes com cariótipo 46,XY. Trata-se de uma anomalia recessiva ligada ao cromossomo X, que pode se manifestar de forma branda, parcial ou completa, com um amplo espectro de variação fenotípica. O gene do receptor de andrógenos (AR) está localizado no cromossomo X, na região Xq11-12, sendo organizado em oito exons separados por introns de até 26 kb. Sua região codificante apresenta aproximadamente 2.757 pares de bases traduzindo uma proteína de 919 aminoácidos, cujo peso molecular é de aproximadamente 110 kDa. A proteína AR apresenta três domínios funcionais: domínio de regulação transcricional (amino-terminal), domínio de ligação ao DNA que contém dois dedos de zinco (zinc finger) e domínio de ligação ao esteróide (carboxi-terminal). O domínio amino-terminal possui repetições dos aminoácidos glutamina e glicina cujos números podem variar dentro da população normal. O domínio de ligação ao esteróide (carboxi-terminal), apresenta o maior número de mutações, cerca de 55% das descritas neste gene. Entre o domínio de ligação ao DNA e o domínio de ligação ao esteróide encontra-se a região hinge que contém um sinal responsável pela localização nuclear necessária para a translocação do complexo andrógeno/receptor do citoplasma para o núcleo da célula. Pacientes com cariótipo 46,XY e diagnóstico de insensibilidade androgênica geralmente apresentam fenótipo feminino ou ambigüidade genital, porém a produção de testosterona é normal. Nestes pacientes a investigação de mutações no gene do receptor de andrógeno é indicada para a identificação da alteração molecular relacionada à doença. Desta maneira, o presente estudo teve como objetivo a caracterização das alterações moleculares do gene AR, através da análise de seus oito exons e junções exons-introns por reação da cadeia da polimerase (PCR) seguida de sequenciamento dos fragmentos amplificados. Das 47 famílias que compõem a casuística deste trabalho, 14 apresentaram mutações no gene, sendo uma relacionada ao fenótipo brando da insensibilidade androgênica (p.P694S), sete relacionadas ao fenótipo parcial da insensibilidade androgênica (p.Q58L, p.A596T, p.S597R, p.M742V, p.Q798E, p.L830F e p.A896V) e seis relacionadas ao fenótipo completo da insensibilidade androgênica (p.R774H, p.P766S, p.C806F, p.R832Term, p.R855H e p.V866M). Uma paciente apresentou duas alterações, ambas no exon 6 deste gene. Quatro mutações estão sendo descritas pela primeira vez neste trabalho em pacientes com insensibilidade androgênica

Abstract: The androgen insensitivity syndrome (AIS) is considered the most frequent disorders of sex differentiation in patients with 46,XY karyotype. It is a recessive X linked disorder, which manifests as mild, partial or complete forms, with a broad spectrum of phenotypic variation. The androgen receptor gene (AR) is located on the X chromosome within Xq11-12 region. It is organized in eight exons separated by introns up to 26 kb in length. Its coding region comprises approximately 2,757 base pairs translating a protein of 919 amino acids, whose molecular weight is approximately 110 kDa. The AR protein has three functional domains: the transcriptional regulatory domain, the DNA binding domain which contains two zinc fingers and the steroid binding domain in the carboxy-terminal region. The amino-terminal domain presents repeats of glutamine and glycine whose numbers of residues vary within the normal population. The steroid-binding domain presents the highest number of mutations, around 55% of the mutations described in this gene are located in this region. Between the DNA-binding domain and the steroid-binding domain there is a hinge region that contains a signal responsible for nuclear localization required for translocation of the complex androgen/receptor from the cytoplasm to the cell nucleus. Patients with 46,XY karyotype and androgen insensitivity diagnosis usually have female or ambiguous genitalia, but normal testosterone production. In these patients the investigation of androgen receptor gene mutations is indicated to identify the molecular changes related with AIS. Therefore, the aim of this study was to characterize molecular alterations in the AR gene, by analysis of the eight exons and introns-exons junctions by polymerase chain reaction (PCR) followed by sequencing the amplified fragments. Fourteen out of 46 families comprised in this study had mutations identified. One mutation corresponded to the mild phenotype of androgen insensitivity (p.P694S), seven were related to the partial androgen insensitivity phenotype (p.Q58L, p.A596T, P. S597R, p.M742V, p.Q798E, p.L830F and p.A896V), and six were associated to the complete androgen insensitivity phenotype (p.R774H, p.P766S, p.C806F, p.R832Term, p.R855H and p.V866M). One patient presented two mutations, both located in exon 6 of the gene. Four mutations were described for the first time in this research in patients with androgen insensitivity
Subject: Gene AR
Receptores de andrógenos
Síndrome de resistência a andrógenos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2010
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Petroli_ReginaldoJose_M.pdf2.25 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.