Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/316905
Type: TESE
Title: Trypanosoma cruzi : a influencia dos linfocitos T na regulação da infecção experimental em camungongo SCID
Author: Alves, Delma Pegolo
Advisor: Sakurada, Julia Keiko, 1948-
Abstract: Resumo: Experimentos realizados por ASSIS (1997), com camundongos scm mostraram que, a susceptibilidade desse animal ao Trypanosoma cruzi, era revertida através da repopulação com as células esplênicas da linhagem congênica BALB/c, e que os anticorpos anti- T cruzi transferidos passivamente, controlavam apenas a parasitemia, demonstrando a importância desse modelo experimental, nos estudos das funções dos linfócitos isoladamente na infecção pelo Trypanosoma cruzi. No presente trabalho procuramos investigar, nos camundongos scm o mecanismo de indução da resistência ao parasita, utilizando-se o método de repopulação com os linfócitos T e de suas subpopulações, com o sentido de elucidar o papel dos linfócitos T e de ambas subpopulações, na regulação da infecção. Os resultados revelaram que, a susceptibilidade dos camundongos scm à infeçcão pelo Trypanosoma cruzi não está correlacionada com a inibição da produção de IFN-y e de NO, apontando a participação dos macrófagos e das células NK na fase inicial da infecção. A análise do papel dos linfócitos B e T na fase aguda da infecção provaram que, apenas os linfócitos T foram efetivos, na indução da resistência à infecção. Os estudos realizados com as subpopulações de linfócitos T evideciaram que, os linfócitos T CD4+ controlam a parasitemia com maior eficiência do que os linfócitos T CD8+. Quanto a evolução dos parasitas circulantes, as duas subpopulações apresentaram cinéticas e mecanismos distintos de controle intracelular do parasita. A eficiência no controle da infecção foi observada, quando as duas subpopulações foram associadas. A estimulação "in vitro" das células esplênicas com o Trypanosoma cruzi, demonstrou que os linfócitos T CD4+ apresentaram resposta proliferativa, enquanto que os linfócitos T CD8+ não foram estimulados. No 14° dia após a infecção, houve inibição da resposta proliferativa dos linfócitos T CD4+ e resposta proliferativa dos linfócitos T CD8+. Essas células estimuladas foram capazes de produzir IFN-y. Esses resultados indicam que, os linfócitos T CD4+ foram ativados policlonalmente, enquanto os linfócitos T CD8+ foram ativados especificamente. As citocinas liberadas pelas células T CD4+ são importantes na regulação da função efetora dos linfócitos T CD8+ e dos macrófagos, sugerindo ainda que os linfócitos T CD8+ inibem a ativação policlonal dos linfócitos T CD4+
Subject: Linfócitos
Tripanossoma cruzi
Camundongo como animal de laboratório
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1998
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Alves_DelmaPegolo_M.pdf2.33 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.