Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/316902
Type: TESE
Title: Evolução da resposta imune humoral e caracterização de antigenos envolvidos na infecção experimental pelo T. cruzi
Author: Britto, Maria Helena Seabra Soares de
Advisor: Sakurada, Julia Keiko, 1948-
Abstract: Resumo: No presente trabalho procuramos estudar a variação dos isotipos de imuneglobulinas, IgM, IgG1, IgG2a e IgG2b, a especificidade de anticorpos produzidos contra a cepa Y do T. cruzi, bem como a atividade funcional destes anticorpos durante a infecção experimental de camundongos CBA/J, sensível, C57BL/I0 e F1 (CBA/J x C57BL/10), resistentes. O conjunto de resultados obtidos nos permitiram concluir que: 1) A alteração isotípica ocorre após a primeira semana de infecção, 7º dia; 2) Cada linhagem de camundongos apresenta um perÍodo de síntese máxima com uma variação isotípica característica: a linhagem CBA/J no 282 dia, com a predominância de IgG1, IgG2a e IgG2b, apresentando alteração em relação ao normal de 2,0 a 3,0 vezes; a linhagem C57BL/10, no. 35º dia, com alteração da relação normal de 4,0 a 5,0 vezes com a participação de IgM, IgG2a e IgG2b; e, o F1 no 21° dia, com IgM e IgG2a aumentadas de 2,0 a 3,0 vezes em relação aos controles normais; 3) A análise da especificidade dos anticorpos por imunefluorescência não mostrou variação significativa na cinética de aparecimento e nem nos títulos de anticorpos anti-T. cruzi nos plasmas das três linhagens de camundongos até'o 14º dia após infecção. A partir do 21º dia surgiram variações nos títulos entre as linhagens, que se estabeleceram a partir do 28º dia, com titulos inferiores na linhagem suscetível; 4) A análise da especificidade, por imuneprecipitação não mostrou variação no padrão de peptídeos reconhecidos pelos plasmas das três linhagens de camundongos. O reconhecimento destes peptídeos iniciou-se no 142 dia e estabilizou-se a partir do 28º dia após a infecção. 5) Testes de imunoproteção Passiva demonstraram a presença de anticorpos protetores nos plasmas das linhagens de camundongos resistentes, C57BL/l0 e F1 obtidos a partir do 28º dia após a infecção; embora as atividades destes anticorpos sejam distintas, Já que os plasmas de C57BL/l0 n~o, foram capazes de controlar a parasitemia. 6) Nossos resultados, sugerem que a resistência à infecção pode ser correlacionada com a produção de anticorpos específicos contra um pequeno número de determinantes e, que as linhagens resistentes, C57BL/l0 e F1, produzem estes anticorpos precocemente e em níveis superiores aos da linhagem suscetível CBA/J

Abstract: Not informed.
Subject: Chagas, Doença de
Resposta imune
Antigenos parasitarios
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 1988
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Britto_MariaHelenaSeabraSoaresde_M.pdf6.07 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.