Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/316252
Type: TESE
Title: Autocorrelação espacial e variação temporal na fenologia floral, produção e predação de sementes em Chromolaena odorata (Asteraceae)
Author: Almeida Neto, Mario
Advisor: Lewinsohn, Thomas Michael, 1952-
Abstract: Resumo: Estudei a fenologia floral de uma importante espécie de planta invasora em seu habitat nativo. Meu objetivo foi avaliar se parâmetros fenológicos, como a duração, o início, o fim e a sincronia floral das plantas apresentavam alguma estruturação espacial e quais as conseqüências desta estrutura no sucesso de produção de sementes das próprias plantas avaliadas.As plantas apresentaram distribuição espacial agregada entre indivíduos co-específicos e co-genéricos. Encontrei autocorrelação espacial em diferentes parâmetros fenológicos e na produção de capítulos e sementes. Todos os correlogramas significativos mostraram valores positivos de autocorrelação no primeiro intervalo de distância. Isto significa que os parâmetros fenológicos, a produção e a predação de sementes das plantas não estão aleatoriamente distribuídos no espaço. Os parâmetros fenológicos não tiveram influência significativa sobre a predação de sementes ou a proporção de sementes viáveis por planta. Embora este resultado difira do encontrado na maioria dos estudos, sua ausência pode ser explicada como um efeito da resposta dependente de densidade entre plantas. A predação de sementes nas plantas ocorreu de modo inversamente dependente de densidade e também se mostrou espacialmente autocorrelacionada. Esta autocorrelação deve ter ocorrido como um reflexo da estruturação espacial na abundância de capítulos e sementes por planta. Portanto, a autocorrelação espacial na fecundidade das plantas possivelmente gerou este mesmo efeito na resposta dos predadores de sementes. A abundância de capítulos de plantas vizinhas co-específicas e co-genéricas parece ter um efeito aditivo na resposta dependente de densidade dos endófagos de capítulos

Abstract: I investigated the flowering phenology of an important weed in its native habitat, in order to ask if plant phenological parameters, such as onset, end, duration and flowering synchrony, were spatially structured and if so, what are the possible consequences of such structure for plant seed production. Plants were spatially aggregated, at the leveI of both species and genus. I found spatial autocorrelation in several different phenological parameters and in plant fecundity. There was positive autocorrelation mainly between neighbouring plants, which means that floral phenology and plant fecundity are not randomly distributed in space. According to my results, phenological parameters did not affect significantly either seed predation or proportion of viable seeds per plant. Although this result is contrary to most results in previous studies, it may be explained as a density-dependent effect among plants. In this study, seed predation was inversely density dependent as well as spatially autocorrelated. This autocorrelation should be related to spatial structure in the abundance of flower-heads and seeds per plant. Thus, spatial autocorrelation in plant fecundity possibly induced the same effect in seed predator response. Intra-specific and congeneric flower-head abundance probably has an additive effect on seed predation escape
Subject: Ecologia
Análise espacial (Estatística)
Cerrados
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2003
Appears in Collections:IB - Dissertação e Tese

Files in This Item:
File SizeFormat 
AlmeidaNeto_Mario_M.pdf3.41 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.