Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/316249
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Biogeografia de interações entre eupatorieae (Asteraceae) e insetos endofagos de capitulos na Serra da Mantiqueira
Author: Almeida, Adriana Monteiro de
Advisor: Lewinsohn, Thomas Michael, 1952-
Lewimsohn, Thomas Michael
Abstract: Resumo: A presente tese analisou a estrutura de interações e a configuração regional de cinco comunidades locais de insetos endófagos de capítulos da tribo Eupatorieae (Asteraceae) na Serra da Mantiqueira, entre os anos de 1998 e 1999, em altitudes variando de 760m a 2460m: Ibitipoca (MG), Visconde de Mauá (RJ/MG), Itatiaia (RJ/MG), Passa Quatro (MG) e Campos do Jordão (SP). Ela é composta de quatro capítulos, que foram redigidos na forma de artigos independentes. No primeiro capítulo a flora de Eupatorieae, a tribo mais diversa de Asteraceae na Serra da Mantiqueira foi comparada às floras da Serra do Espinhaço (Minas Gerais) e às serras de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Este estudo mostra que uma pequena fração das espécies de Eupatorieae se repete em diferentes regiões, e houve uma correlação espacial apenas na Serra do Espinhaço e para o pool de todas as serras, sendo as localidades mais próximas entre si também floristicamente mais semelhantes que localidades mais distantes. O segundo capítulo trata dos insetos endófagos que se desenvolvem em capítulos de Eupatorieae na Serra da Mantiqueira. Estes insetos foram divididos em três guildas de acordo com o grau de endofagia e a sua relação com a planta hospedeira em Endófagos Estritos, Endófagos Móveis e Endófagos Facultativos. Analisamos seus elencos conhecidos de hospedeiras e sua distribuição geográfica. Espécies pertencentes à guilda de endófagos estritos são mais especialistas, sendo mais freqüentemente restritas a uma espécie, um gênero ou uma subtribo da planta hospedeira que as outras duas guildas. A composição da comunidade de Eupatorieae em cada localidade é o principal fator determinante da composição dos endófagos; a similaridade florística é mais importante que a proximidade geográfica para determinar a similaridade faunística entre localidades. Há indicações que diferentes guildas respondem diferentemente a pressões do ambiente, o que é em parte testado no capítulo seguinte. O terceiro capítulo descreve a distribuição altitudinal das espécies de plantas e de endófagos separados por guildas e testa a hipótese do domínio médio de Colwell e co-autores em contraposição à regra de Rapoport de Stevens. Verificamos que em todas as localidades o máximo na riqueza de espécies ocorre em altitudes intermediárias - como previsto pela hipótese do domínio médio - mas raramente no centro do gradiente altitudinal, e cada guilda apresentou o mesmo padrão altiitudinal de distribuição de riqueza de espécies em cada localidade. O fato de as diferentes guildas responderem de forma semelhante às mesmas variáveis ambientais sugere que espécies ecologicamente semelhantes respondem de forma semelhante às limitações impostas por um ambiente austero. É a primeira vez que a hipótese do domínio médio é testada em mais de um nível trófico e em várias localidades de uma região. O quarto e último capítulo apresenta teias tróficas quantitativas das comunidades locais e do conjunto regional da Serra da Mantiqueira, utilizando as freqüências de associações (incidências de espécies de insetos em amostras de plantas) como medidas quantitativas. Com exceção apenas de Itatiaia, as teias locais e regional se mostraram divididas em compartimentos de acordo com as guildas de endófagos, de modo que as espécies de uma guilda apresentam interações mais fortes entre si que entre guildas. Generalistas regionais também se alimentam de várias hospedeiras em cada localidade, entretanto entre 40% e 50% das interações foram direcionadas a uma única hospedeira, mostrando uma clara preferência local

Abstract: This thesis analysed the int1uence of regional factors in five local communities composed of endophagous insect species that feed on fiower-heads trom the tribe Eupatorieae (Asteraceae) in the Mantiqueira range, trom 1998 to 1999, within altitudes varying trom 760m to 2460m: Ibitipoca (Minas Gerais), Visconde de Mauá (Rio de Janeiro/Minas Gerais), Itatiaia (RJ/MG), Passa Quatro (MG) and Campos do Jordão (São Paulo). It is presented as four independent papers. In the first chapter the Eupatorieae fiora (the most diverse Asteraeeous tribe in the region) present in the Mantiqueira range was compared to the flora of the Espinhaço range (MG) and Southern mountain ranges (Santa Catarina and Rio Grande do Sul). Only a small traction of the Eupatorieae species oceurs in more than one mountain range, and there is a signifieant spatial correlation for Espinhaço range and the pool of the three ranges, with adjaeent loealities being floristically more similar than more distant localities. The second ehapter examines the endophagous insects that develop in the Eupatorieae flower-heads in the Mantiqueira range. Endophagous species were divided in three guilds aeeording to the degree of endophagy and relationship to the host plants: Striet endophages, mobile endophages and faeultative endophages, and their geographic and host ranges were analysed. We show that strict endophages are more specialized and are more often restricted to a host species, genus or subtribe than the other two guilds. We suggest that different guilds show different responses to environrnental pressures. Chapter 3 deseribes the altitudinal distribution of plant and endophagous species grouped into feeding guilds, and tests the mid-domain hypothesis of Colwell and eo-workers against Steven's Rapoport's rule. We observed that in alI localities the peak in species riehness occurs in mid-altitudes - as predicted by the middomain hypothesis - but seldom in the centre of the altitudinal domain, and eaeh guild presented the same pattern of altitudinal riehness distribution in each loeality. The fact that different guilds respond similarly to the same environrnental pressures suggests that ecologically similar species show the same response patterns to the limitations imposed by a harsh environrnent. This is the first time the mid-domain hypothesis is tested for more than a trophie level and in various localities within a region. The fourth and last ehapter presents quantitative trophie webs of the regional and local eommunities in the Mantiqueira range, using interaetion trequeney (inseet ineidenee in plant samples) as quantitative measure. With the exeeption of Itatiaia, both the regional and local webs were divided into eompartments aecording to the endophagous feeding guilds, with interactions within guilds being more intense than among guilds. Regional generalists were also localy generalists, but from 40% to 50% of interactions were directed to on1y one host species, indicating a clear local preference for a given host
Subject: Relação inseto-planta
Ecossistema
Biogeografia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2001
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Almeida_AdrianaMonteirode_D.pdf11.98 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.