Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/316223
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Variação interindividual no uso de recursos em populações naturais : novos padrões e implicações.
Title Alternative: Interindividual variation in resource use in natural populations : new patterns and implications
Author: Araújo, Marcio Silva
Advisor: Reis, Sérgio Furtado dos, 1952-
Abstract: Resumo: A teoria ecológica clássica, em especial a teoria de nicho, foi construída sob a suposição de que os indivíduos de uma população são equivalentes em termos da utilização de recursos. Entretanto, é sabido que os indivíduos de uma população podem variar no uso de recursos e que essa variação pode ter importantes implicações ecológicas e evolutivas. Essa variação interindividual pode dar origem a morfotipos discretos (¿polimorfismo de recursos¿) ou ser contínua (¿especialização individual¿). O presente estudo teve como objetivo investigar a variação interindividual no uso de recursos em quatro populações de rãs do Cerrado brasileiro (Leptodactylus sp., L. fuscus, Eleutherodactylus cf. juipoca e Proceratophrys sp.), uma população de vespas-caçadoras de uma área de Mata Atlântica (Trypoxylon albonigrum) e uma população do peixe lacustre Gasterosteus aculeatus da Columbia Britânica, Canada. Houve evidência de variação interindividual em todas as populações estudadas, indicando que esse fenômeno não é exclusivo de comunidades temperadas de baixa diversidade. Houve uma associação entre a amplitude dos nichos populacionais e o grau de variação interindividual, indicando que os nichos individuais permanecem estreitos apesar da expansão do nicho populacional. Esse padrão é consistente com a presença de trade-offs funcionais associados ao uso dos recursos. A base dos trade-offs permanece desconhecida no caso das rãs e das vespas, mas é provavelmente comportamental. No caso de G. aculeatus, os trade-offs têm base morfológica, mas são mediados pelo comportamento. Além disso, foi identificado um padrão de partição de recursos inédito nesses peixes, em que os indivíduos formam microguildas que representam subdivisões dos recursos litorâneos e pelágicos. São propostos dois novos métodos para a investigação da variação intrapopulacional no uso de recursos, um deles baseado no uso de isótopos estáveis de carbono (d13C) e o outro na teoria de redes complexas

Abstract: Ecological theory, and specially niche theory, was built on the assumption that individuals are equivalent in terms of resource use. However, the individuals in a population may vary in their resources, and this interindividual variation may have important ecological and evolutionary implications. Such variation may give rise to discrete morphological groups (¿resource olymorphism¿) or it may be more continuous (¿individual specialization¿). In the present study, we investigated interindividual variation in resource use in four populations of frogs inhabiting the Brazilian Cerrado (Leptodactylus sp., L. fuscus, Eleutherodactylus cf. juipoca e Proceratophrys sp.), one population of hunting-wasp of the Atlantic Rainforest (Trypoxylon albonigrum), and one population of sticklebacks (Gasterosteus aculeatus) from British Columbia, Canada. We found evidence of interindividual diet variation in all studied populations, indicating that such variation is not restricted to temperate, depauperate comunities. There was an association between niche width and the degree of interindividual variation, indicating that individual niches remain constrained as the population niche expands. This pattern is consistent with the presence of functional trade-offs associated with resource use. In the case of the frogs and the wasps, the nature of the trade-offs remains unknown, but are likely to be behavioral. In the sticklebacks, the trade-offs have a morphological basis, but are mediated by behavior. We found that individual sticklebacks partition resources within littoral and within pelagic prey, which represents a finer pattern of resource partitioning than the traditional ¿littoral-pelagic¿ dichotomy. Two new methods for the quantification of interindividual diet variation are proposed, one based on carbon stable isotopes (d13C) and another based on complex-network theory
Subject: Especialização individual (Ecologia)
Nicho (Ecologia)
Partilha de recursos (Ecologia)
Language: Português
Editor: [s.n.]
Date Issue: 2007
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Araujo_MarcioSilva_D.pdf2.35 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.