Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/316041
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Ecologia quimica e coevolução na interface Traidini (Papilionidae)/ Aristolochia (Aristolochiaceae)
Author: Klitzke, Clécio Fernando
Advisor: Brown, Keith S., Jr
Jr., Keith S. Brown
Abstract: Resumo: Desde a formulação da hipótese de coevolução entre plantas e borboletas por Ehrlich e Raven em 1964 poucos trabalhos têm demonstrado a sua existéncia no sentido estrito. evidenciando-se geralmente o fenomeno de colonização. O objetivo deste trabalho é estudar as interações entre um qrupo restrito de borboletas (Troidini) e suas únicas plantas de alimento larval (Aristolochia) com respeito a mediação quimica na utilização das plantas hospedeiras pelas larvas. Para isto foram criadas larvas de diferentes espécies de Troidini em diferentes espécies de (Aristolochia) encontradas na região sudeste brasileira. Com estes dados e informações da literatura foi possivel estabelecer a utilização e preferência por cada espécie vegetal por cada espécie de Troidini. A análise quimica de 11 espécies de Aristolochia mostrou a existéncia de três classes de compostos secundários mais abundantes: ácidos aristoloquicos (nitrofenantrenos), ácidos labdanóicos (diterpenos) e alcaloides (não identificados neste trabalho). A presença e ausência destes compostos permitiu a reunião destas espécies em três grupos que são utilizados diferentemente pelos Troidini. A análise quimica de 17 espécies de Troidini mostrou a presença de ácidos aristolóquicos e alcaloides. Surpreendentemente larvas de B. polydamas criadas em A. Galeata, uma especie sem acidos aristolóquicos nas folhas, apresentaram estes compostos indicando a possibilidade de sua biossintese pelas larvas. Esta especie só empupou em A. Galeata com o acréscimo de ácidos aristolóquicos. Isto indica a necessidade destes compostos para o total desenvolvimento das larvas nesta planta. Na natureza é possivel observar larvas comendo outras partes da planta que contém estes compostos tais como ramos, flores e frutos. Os ácidos labdanóicos apresentaram efeito fagoinibidor nas espécies testadas sendo que P. neophilus e B. polydamas são menos sensiveis a estes compostos. Estas duas espécies também apresentaram aumento de consumo na presença de AAs. o que indica um efeito fagoestimulante desdes compostos. Algumas frações neutras polares também apresentaram atividade fagoinibidora. Estes resultados permitem a reformulação da hipótese de coevolução entre dois grupos por Brown et. al. (1991a)

Abstract: Since Ehrlich and Raven's paper on butterflv plant coevolution (1964) few works have shown the existence of this phenomenon; generally, colonization seems responsible for present patterns of insect/plant relationships. The object of this work is the studv of chemical ecology of the Troidini/Aristolochia interface: a restricted group of herbivores specialized on a single small plant family. Larvae of many species of Troidini reared on different SE Brazilian Aristolochia species showed a variable specificity and preference in these relationships. Chemical analysis Df 11 Aristolochia species indicated three principal classes of secondary compounds: aristolochic acids (nitrophenanthrenes), labdanoic acids (diterpenes) and alkaloids. The presence or absence of these compounds permitted the division of the Aristolochia species into three groups, differentially used by Troidini species. Chemical analysis of 17 Troidini species showed the presence of aristolochic acids and alkaloids. Aristolochi acids were present in B. polydamas larvae reared on leaves of A. galeata (without these compounds) indicating the possible biosynthesis of these compounds. Larvae of B. polydamas reared on leaves of A. galeata pupated successfully only when aristolochic acids were aded in the diet, indicating that they are necessary to complete development; in nature they feed on stems, flowers or fruits which centain these compounds. Labdanoic acids have antifeedant effect on the larvae of many Troidini species: P. neophilus and B. polydamas (polyphagous species) are more tolerant of these compounds, and show stimulation of feeding by aristolochic acids. Some polar neutral fractions (glycosides?) also showed antifeedant activity. The results of the present stucly lead to a revision of the coevolutionary hypothesis at this interface, proposed by Brown et. al. (1991a)
Subject: Coevolução
Química ambiental
Ecologia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: KLITZKE, Clécio Fernando. Ecologia quimica e coevolução na interface Traidini (Papilionidae)/ Aristolochia (Aristolochiaceae). 1992. [80]f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/316041>. Acesso em: 13 jul. 2018.
Date Issue: 1992
Appears in Collections:IB - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Klitzke_ClecioFernando_M.pdf3.98 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.